Segundo Ministro de Bolsonaro, a negociação está bastante adiantada

O acordo com entre Brasil e os Estados Unidos para uso do Centro de Lançamentos de Alcântara, no Maranhão, está bem adiantado e respeitará cem por cento a soberania nacional. A informação não é nada agradável para os quilombolas que vivem nos arredores e mais uma vez vão ter que deixar suas casas.

A declaração, feita nesta sexta-feira (11), é do ministro Marcos Pontes, da pasta de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Pelas palavras pouco estão se preocupando com as famílias que moram nos quilombos próximos ao CLA.

Segundo informações do jornal paulista Folha de São Paulo, este acordo do Brasil com os EUA é considerado por setores da Força Aérea Brasileira (FAB) como importante impulso para um programa espacial nacional.

O objetivo é conseguir colocar satélites em órbita, técnica hoje dominada por um clube restrito de não mais que dez países, e comercializar bases de lançamento de satélites para países estrangeiros. Estimativas da FAB apontam que ganho poderia ser de R$ 140 milhões anuais.

Mais onde ficam os quilombolas nesse projeto, já que são remanescente e vivem há séculos na região e precisam de terras para cultivar e sobreviver? É necessário alguém olhar para o lado dos trabalhadores.

Por: O Imparcial / G7

Deixe uma resposta