Política

eduardo-cunha-dida-sampaio-estadao

‘Enviei para nosso amigo um livro de 181 páginas sobre túneis suíços’

Pernambuco Júnior deu detalhes aos procuradores. “Inclusive, relacionado a este e-mail, já foi identificada uma transferência ocorrida no dia 24 de abril de 2012 – ou seja, dois dias antes do e-mail – na qual consta repasse de valores de 181 mil francos suíços (equivalentes na época a US$ 198.901,10, conforme tabela), para a conta da offshore Penbur Holdings, provavelmente no banco BSI.”

Delator afirma que pagou propina a Eduardo Cunha no exterior.

Delator afirma que pagou propina a Eduardo Cunha no exterior.

O delator entregou à Procuradoria-Geral da República ‘múltiplos registros de agenda outlook, relativos a encontros seus com Eduardo Cunha, referindo inclusive ao endereço do escritório político dele no Rio de Janeiro’.

“Nestes registros, Eduardo Cunha é identificado pelas iniciais de seu nome, ‘EC’.”

Em 14 páginas de depoimento, o empresário Ricardo Pernambuco Júnior narrou com detalhes o primeiro encontro que teve com o presidente da Câmara para combinar como seriam feitos pagamentos no exterior. A reunião teria ocorrido no escritório político de Cunha, no Rio, início de agosto de 2011.´Nessa época, o peemedebista ainda não exercia a presidência da Casa.

Pernambuco Júnior descreveu para os investigadores o escritório do presidente da Câmara. “Indagado sobre a descrição do escritório político de Eduardo Cunha, respondeu que se trata de um escritório com decoração mais antiga, que tem uma antessala, com uma recepcionista; que, além disso, havia dois sofás, em seguida um corredor, com duas salas; que nestas salas havia uma secretária mais alta e um assessor do deputado; que este assessor era uma pessoa mais velha, com cerca de 60 anos, acreditando que fosse um pouco calvo, possuindo cabelo lateral; que nunca conversou, porém, nenhum assunto com tais pessoas; que mais à esquerda tinha a sala do deputado Eduardo Cunha, com uma mesa antiga, de madeira maciça, com muitos papeis em cima; que acredita que o escritório fique no 32.º andar.”

 

 


Luiz Gonzaga Barros, o “Luizinho”

As investigações, iniciadas no ano de 2015, levaram à identificação de um esquema criminoso com atuação desde 2010, responsável pela concessão de benefícios de pensão por morte fraudulentos. Os instituidores e, em alguns casos, o próprio titular, eram pessoas fictícias, criadas virtualmente através da falsificação de documentos públicos.A Força-Tarefa Previdenciária, integrada pela Polícia Federal, Ministério do Trabalho e Previdência Social e Ministério Público Federal, com a finalidade de reprimir crimes previdenciários, deflagrou na manhã desta terça-feira (19), nas cidades de São Luís, São Bento, Palmeirândia, Pinheiro e Turilândia, todas no Estado do Maranhão, a Operação Vínculos.

Os vínculos empregatícios inexistentes do instituidor eram implantados no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) junto à Prefeitura Municipal de São Bento, com salários de contribuição no teto previdenciário, sendo transmitidos através de Guias de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (GFIP) irregulares.

O esquema criminoso contava com a participação do ex-prefeito do Município de São Bento, contadores, um advogado especializado em causas previdenciárias, um ex-funcionário do Cartório de Palmeirândia, um servidor do INSS e intermediários.

A Polícia Federal cumpriu trinta e dois Mandados Judiciais, sendo nove de prisão temporária, dezenove de busca e apreensão e quatro de condução coercitiva. Dentre os Mandados Judiciais consta, ainda, a determinação para que o INSS suspenda o pagamento de onze benefícios de pensão por morte, bem como com relação ao servidor da autarquia previdenciária, a proibição de frequentar o ambiente de trabalho e a determinação do afastamento das funções públicas pelo prazo de noventa dias.

A operação contou com a participação de 75 (setenta e cinco) policiais federais e de 2 (dois) servidores da área de inteligência do Ministério do

Trabalho e Previdência Social, a assessoria de Pesquisa Estratégica e Gerenciamento de Riscos (APEGR).

O prejuízo inicialmente identificado aproxima-se de R$ 1,5 milhão. O valor do prejuízo evitado com a conseqüente suspensão desses benefícios, levando-se em consideração a expectativa de sobrevida média da população brasileira, é de R$ 12 milhões.

A Operação foi denominada VÍNCULOS em alusão tanto ao esquema criminoso que agia na implantação de vínculos empregatícios irregulares no CNIS, quanto pelo relacionamento comprovado entre os membros da associação criminosa.

Os envolvidos foram indiciados pelos crimes de estelionato previdenciário, inserção de dados falsos, associação criminosa e falsidade ideológica, cujas penas máximas acumuladas podem chegar a 24 anos de prisão, sem prejuízo de outras infrações penais que forem identificadas após a deflagração, como lavagem de capitais e organização criminosa.

O resultado desse trabalho é fruto da Força-Tarefa Previdenciária, composta pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social, Departamento de Polícia Federal e Ministério Público Federal, visando combater crimes contra a Previdência Social.

Do Blog do Neto Ferreira


Anderson com o presidente do PCdoB, Márcio Jerry, e com o deputado Othelino Neto

pesquisa5

pesquisa3

pesquisa6

O pré-candidato a prefeito de Alcântara, Anderson Wilker (PCdoB), é o primeiro colocado na disputa eleitoral no município, segundo pesquisa de intenções de votos realizada pelo instituto Exata e registrada na Justiça Eleitoral, no período de 07 a 09 de abril. Ele dispara com 50% da preferência em um cenário com todos os outros concorrentes.

Em um cenário apenas com o atual prefeito Domingos Araken (PT), Andreson aparece em primeiro lugar com 60% das intenções de votos contra somente 7% do gestor.

Já no quesito rejeição, Arakén dispara com 69%. É o pré-candidato que tem a menor preferência, junto ao eleitorado, segundo a pesquisa Exata, enquanto Anderson tem apenas 8%.

A pesquisa avaliou também o grau de satisfação do eleitor com o governador Flávio Dino (PCdoB). Segundo a pesquisa, 61% dos entrevistados aprovam o atual governo do Maranhão.

Anderson Wilker hoje é assessor de Articulação Política do governo do Estado. O crescimento político dele na cidade ficou evidente nas eleições de 2014, quando liderou as campanhas do governador Flávio Dino e do deputado Othelino Neto (PCdoB), que terminaram como os mais votados em Alcântara.

A pesquisa foi registrada junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA), sob o protocolo MA-04702/2016, e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o protocolo MA-04702/2016. Margem de erro: 3,5%.

pesquisa2

 


Othelino destacou o posicionamento firme do PCdoB na luta pela democracia com a totalidade de sua bancada

Othelino destacou o posicionamento firme do PCdoB na luta pela democracia com a totalidade de sua bancada

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) lamentou, na sessão desta segunda-feira (18), a aprovação do prosseguimento do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) na Câmara Federal. “É uma página triste na história da democracia, do parlamento brasileiro. E quando me pronunciei sobre esse assunto aqui, fiz sempre questão de dizer que eu era crítico de alguns aspectos do governo petista, em especial das alianças excessivamente à direita que fez, fortalecendo e deixando valentes os monstros que hoje são os algozes do PT”, disse.

Othelino destacou o posicionamento firme do PCdoB na luta pela democracia com a totalidade de sua bancada votando pelo estado democrático de direito. “Infelizmente, o PT, o governo do PT sofrem um grave revés por conta de terem valorizado os aliados errados. Os deputados do PCdoB estavam lá, firmes com a democracia”, frisou.

O deputado destacou ainda a postura de outros partidos de esquerda, como o PDT, com a grande maioria de sua bancada, o PSOL, deputados da Rede que estavam, na Câmara, protestando contra o impeachment. “Realmente foi um momento muito feio para a história do país, onde vários deputados manifestaram votos pela continuidade do impedimento da presidente da República sem, sequer, citar o fato gerador do processo. Poucos se referiram às pedaladas. Quase todos disseram que estavam cassando por razões, eminentemente, político-ideológicas”, disse.

Othelino criticou também as manifestações que se deram no plenário da Câmara Federal contra o comunismo. “O vermelho representa o sangue da luta de muitos que se dedicaram e deram suas vidas pela liberdade, pelas lutas das causas populares. Nós só queremos com o nosso vermelho, que nos orgulha, que respeitem o Estado Democrático de Direito. Neste sentido, espero que nós possamos reagir para que o nosso país não concretize este grave retrocesso em sua história política”, disse.

Na tribuna, Othelino destacou os oito deputados federais do Maranhão que votaram pela manutenção do Estado Democrático de Direito: Rubens Júnior (PCdoB), Weverton Rocha (PDT), Waldir Maranhão (PP), Aluísio Mendes (PTN), João Marcelo (PMDB), Júnior Marreca (PEN), Pedro Fernandes (PTB) e José Carlos (PT), o único deputado federal do PT no Maranhão.

Sobre Flávio Dino

Quanto às críticas ao governador Flávio Dino (PCdoB) por conta do prosseguimento do processo de impeachment, Othelino enfatizou que ele “não foi derrotado” como tenta passar a oposição. Segundo o deputado, “quem perdeu foi o Brasil, o Estado Democrático de Direito.

“O governador foi o político que sempre foi. Teve posição e a manifestou publicamente. Teve a coragem de levantar a sua bandeira e de defendê-la até o final. Muito embora tivesse razões, fosse ele apenas olhar para o que o PT fez com ele nas últimas duas eleições de governador, para até ser solidário. Mas ele não estava falando para a ocasião; estava falando para a história. E mesmo tendo tido os constrangimentos que teve, quando o PT do Maranhão foi obrigado a não estar na coligação dele, teve a postura de defender, acima de tudo, aquilo que ele compreende e de defender a democracia”, frisou.

Segundo Othelino, Flávio é um homem de posição, diferente de outros que passaram anos se locupletando dos governos do PT,  dizendo-se representantes do PT no Estado e que agora viraram a camisa, no momento em que o governo do PT está absolutamente fragilizado.

“Assim se definem os estadistas e os covardes. Os estadistas seguem na sua linha com coragem, de forma decidida, olhando para a história. Os covardes pulam do barco quando ele ameaça afundar”, finalizou.


 

eduardo-cunha-dida-sampaio-estadao

‘Enviei para nosso amigo um livro de 181 páginas sobre túneis suíços’

 

17/04/2016, 05h03- Atualizado 18/04 , 18h13  www.jgmoreira.com.br

POR JULIA AFFONSO, MATEUS COUTINHO E FAUSTO MACEDO

Em delação, empresário Ricardo Pernambuco Júnior revela código para tratar, com seu pai, propina para o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

Eduardo Cunha. Foto: Dida Sampaio/Estadão

O empresário Ricardo Pernambuco Júnior, da Carioca Engenharia, revelou à Procuradoria-Geral da República o significado de uma mensagem cifrada trocada com seu pai para tratar de suposta propina para o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Pernambuco Júnior é um dos delatores da Operação Lava Jato.

Segundo o empreiteiro, a propina total ‘devida’ a Cunha era de R$ 52 milhões, que deveriam ser divididos pela Carioca – R$ 13 milhões -, OAS e Odebrecht, sobre contratos do Porto Maravilha, no Rio. O empresário entregou aos investigadores uma tabela que aponta 22 depósitos somando US$ 4.680.297,05 em propinas supostamente pagas pela Carioca a Eduardo Cunha entre 10 de agosto de 2011 e 19 de setembro de 2014.

“Há um e-mail com o assunto “túneis”, em que o pai do depoente, no dia 26 de abril de 2012, escreve: “Enviei para nosso amigo um livro de 181 páginas sobre túneis suíssos (sic). Convém ele confirmar se recebeu o livro e se gostou das fotos”; que se tratava de uma mensagem cifrada enviada por seu pai”, contou. “A pessoa de ‘nosso amigo’ fazia referência ao deputado Eduardo Cunha e a menção ‘181 páginas’ referia-se ao valor de 181 mil francos suíços e, ainda, ‘túneis suíssos (sic)’ fazia referência ao país do depósito, ou seja, a Suíça.”

 

DELAÇÃO

 

Cont…

 

 

 

 

 


flavio-dino-olhar-de-odio-e1452202444479-940x540

Comunista alertou para possível futuro arrependimento do ex-governador por ter votado pelo afastamento da presidente

Como era esperado, o governador Flávio Dino (PCdoB) usou as redes sociais para se manifestar sobre a votação da bancada maranhense no processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Com 18 deputados, a bancada deu 10 votos favoráveis ao afastamento da petista.

Um desses votos foi do ex-governador e deputado José Reinaldo Tavares (PSB). Tavares fez questão de pedir desculpas ao governador ao externar seu voto. Ele declarou que não poderia trair sua própria consciência e o que fizeram com ele e com o ex-governador Jackson Lago (PDT). Ele lembrou ainda do estelionato da Refinaria Premium I, em Bacabeira, antes de declarar o voto pelo impeachment de Dilma.

Ainda assim, ao se manifestar sobre o voto do padrinho, Flávio Dino fez questão de prestar homenagem e agradecimento aos parlamentares maranhenses que “votaram contra o golpe, pelo respeito à Constituição e à democracia”, e aproveitou para mandar o recado: “Votar NÃO neste momento exige muito discernimento, respeito à história do Brasil e coragem. E quem age assim, não se arrepende. Avante”, disse.

Vale aguardar do que Zé Reinaldo pode se arrepender por não ter seguido o esperado pelo governador comunista.


jackson-lago II

Eu não quero me justificar embora sinta poder fazer isso com a maior dignidade, sem ter medo de sofrer represálias ou mesmo colocar em risco a minha vida porque falar de políticos é perigoso, mas…  O justo é estar seguro do que posso fazer sem alegar algo ou me segurar na aba do chapéu de alguém que condignamente poderia me repreender se estivesse vivo.

Não foi assim com esse meu pensamento que a cara de pau e o descortino politico levou o Deputado Zé Reinaldo Tavares (PSB-Ma), a tentar se proteger na cortina da fortificação ao mencionar demagogicamente o nome do nosso saudoso Governador Jackson Lago , falando da sua cassação ao declarar seu voto ao impeachment da Presidenta Dilma Rousseff, o que fez na maior cara de pau untada   de óleo de peroba  simulando esconder que ele votando da maneira que votou  estar retornando o poder ao mesmo PMDB (JOSE SARNEY) que foi o cabeça da cassação do nosso eterno Governador.

Esse realmente vai morrer velho sem noção e vendo o nosso Maranhão cansado de patinar na esteira politica do descalabro calamitoso que sempre a família Sarney envolveu nosso Estado.

Eu, como maranhense em nome da nossa família, em nome dos meus filhos e netos e em nome dos que nos querem bem; digo NÃO a você Zé Reinaldo. Você me indigna e envergonha por todas quantas ações demagogas sejam providas mediocremente pela sua incompetência em nos representar não fazendo por merecer a unção dos votos do povo, o que  não correspondendo assim a expectativa da gente que como eu está cansada de ver cada vez mais distante os interesses da coletividade trocados pelos interesses pessoais que você como tantos políticos maranhenses nunca renunciaram.

PURA DECEPÇÃO…


Bancada maranhense - Câmara

A mudança foi após o deputado Waldir Maranhão (PP) desistir de votar a favor. O deputado José Reinaldo (PSB) que estava indeciso decidiu votar contra o impeachment

MUDANÇAS

16/04/2016 – 18h24

Dos 18 deputados maranhenses que irão participar da votação do impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT) neste domingo, estão divididos em 9 contra e 9 a favor.
A mudança foi após o deputado Waldir Maranhão (PP) desistir de votar a favor. O deputado José Reinaldo (PSB) que estava indeciso decidiu votar contra o impeachment.
Os nove parlamentares que irão votar a favor do impeachment contra a presidente Dilma são Eliziane Gama (PPS), Hildo Rocha (PMDB), André Fufuca (PP), Juscelino Filho (DEM), Sarney Filho (PV), Alberto Filho (PMDB), Cléber Verde (PRB), Victor Mendes (PSD) e João Castelo (PSDB).

VOTAÇÃO

Impeachment: 9 a favor, 7 contra, 1 não respondeu e 1 indeciso dos maranhenses

Já os 9 deputados maranhenses contrários ao impeachment são Pedro Fernandes (PTB), Waldir Maranhão (PP), Rubens Júnior (PCdoB), Zé Carlos (PT), Weverton Rocha (PDT), Júnior Marreca (PEN), João Marcelo (PMDB), José Reinaldo (PSB) e Aluísio Mendes (PTN).

O Maranhão será o 16º estado a votar e os parlamentares maranhenses serão chamados por ordem alfabética.

Comentários


suspeito111122

José Antonio de Sousa, conhecido como ‘Toinho’

#Fonte Jornal Pequeno

Um homem foi preso e um adolescente apreendido suspeitos de matar e esquartejar Manoel Messias Silva de Sousa, de 14 anos, em Pedreiras, a 245 km de São Luís. O responsável pelo crime, José Antonio de Sousa, conhecido como ‘Toinho’, foi preso em casa. De acordo com a polícia, o menor apreendido de 16 anos teria ajudado José Antônio a matar Manoel Messias.
suspeito-430x280A dupla suspeita de cometer o crime teria espalhado partes do corpo do jovem pelo matagal. Segundo o delegado, o crime foi motivado por conta de uma dívida.“Ontem à noite ainda representamos pela prisão preventiva do ‘Toinho’, que foi deferida pelo doutor Arthur, e hoje pela manhã conseguimos localizar e prender esse indivíduo, que já está aqui, à disposição da Justiça”, afirmou o delegado Plínio Napoleão, responsável pelo caso.

“Um troco, cerca de cem reais. É certo que a vítima teria tentado esconder esse menor e, ao perceber que estava sendo enganado pela vítima, ele [Toinho] partiu para as agressões físicas e juntamente com o outro, começou a desferir golpes de faca e acabaram esquartejando-o”, explicou.

Ainda conforme Plínio Napoleão, que acompanha as investigações, o jovem que está apreendido na delegacia da cidade já tem passagem pela polícia por tentativa de homicídio no ano passado.


Deputados se reúnem com Ministro dos Transportes em Brasília para cobrar manutenção da BR 135

Joelson Braga/ TV Assembleia

icone-whatsapp

As obras de duplicação da BR-135 serão retomadas já na próxima semana e serão entregues até o fim do ano. Esta foi a boa notícia que os deputados maranhenses receberam do ministro dos transportes, Antônio Carlos Rodrigues,  no encontro realizado na capital Federal, nesta terça-feira (12).

O encontro de trabalho no Ministério dos Transportes contou com as presenças  do vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), do presidente da Frente Parlamentar em favor das BRs que passam no Maranhão, deputado Fábio Macedo (PDT) e dos deputados Júnior Verde (PV), Glauberth Cutrim (PDT), Rafael Leitoa (PDT), Roberto Costa (PMDB) e Rogério Cafeteira (PSB). O deputado Federal Weverton Rocha (PDT) também participou da reunião.

Para o deputado Othelino Neto, o ministro demonstrou interesse em resolver as questões emergenciais, principalmente na BR-135 que está com vários trechos comprometidos. “Saímos daqui com o sentimento reforçado de que o drama vivido por milhares de maranhenses em relação a BR 135 está perto do fim”, declarou o vice- presidente do parlamento estadual.

O ministro dos transportes observou que o órgão fará o possível para resolver de imediato os trechos esburacados. “Eu solicitei ao ministro  que fossem aumentadas as equipes que estão trabalhando para garantir a trafegabilidade na BR-135. E isto vai ser feito para agilizar a recuperação”, disse Fábio Macedo.

O diretor-geral do DNIT garantiu o empenho do órgão na melhoria das estradas federais no estado. Já o deputado Rogério Cafeteira lembrou que o problema das BRs no Maranhão se arrasta há muito tempo, mas que agora há uma conjunção de esforços no sentindo de resolver o problema. “O problema é a falta de manutenção ao longo dos anos. Mas agora o ministro se comprometeu em abrir licitação para que haja uma manutenção e isto é muito bom”, concluiu Cafeteira.


%d blogueiros gostam disto: