Foto: Divulgação

 

Nesta quinta-feira de manhã, o detento Max Colares Pinto, 34, foi espancado até a morte durante o banho de sol na Unidade Prisional do município de Maués, distante 267 quilômetros de Manaus em linha reta.

Corpo de Max Colares foi entregue aos familiares no necrotério do hospital de Maués

“Cachorrão de Maués”, como era mais conhecido o detento assassinado, respondia na Jutiça por crimes de assaltos, latrocínio e tráfico de drogas, por isso era visto pela população como um bandido bastante perigo e temido.

Barras de ferro, pedaços de pau e um pedaço de corda teriam sido usados pelos detentos envolvidos no assassinato do detento, que estava preso e aguardava julgamento havia pouco mais de seis meses.

Assim que a equipe da carceragem encontrou o corpo de Max Colares dentro da cela que dividia com outros cinco detentos, ele foi levado às pressas para o Hospital Geral do município, mas logo foi constatado que ele já estava morto.

 

 

Rosto do detento estava bastante machucado, segundo confirmação da família no necrotério

 

Família foi chamada logo no começo da manhã para receber

o corpo do detento assassinado no presídio (Fotos: Divulgação)

 

O corpo estava cheio de marcas de espancamento e o pescoço do detento completamente roxo, comprovando que ele também foi enforcado com um pedaço de corda encontrado ao seu lado.

A direção da Unidade Prisional de Maués instaurou sindicância interna para apurar o crime e uma equipe da Delegacia Interativa do município também iniciou investigação para identificar autuar os detentos envolvidos no assassinato de Max Colares.

Fonte: Portal do Zacarias