Jactã morreu na hora com pelo menos quinze tiros pelo corpo

O traficante de drogas e ex-presidiário Jactã da Silva Araújo, 27, foi executado com pelo menos quinze tiros de pistola por volta das 22h30 de ontem, quinta-feira, 30, na Rua Orion, bairro do Aleixo, Zona Centro-Sul de Manaus.

De acordo com uma das testemunhas do crime, dois homens chegaram à rua a pé, empunhando pistolas, e dispararam os tiros em Jactã e contra seu irmão e sócio no tráfico de drogas, identificado como “Jarbas”.

Jactã e seu irmão foram atingidos pelos tiros e depois que caíram ao chão sangrando, os pistoleiros efetuaram mais disparos e correram para o canto da rua, onde uma terceira pessoa parou um carro e o trio assassino fugiu em alta velocidade.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi ao local do crime, confirmou que Jactã já estava morto, e seu irmão, que ainda respirava, foi levado às pressas para o Hospital e Pronto-Socorro Dr. Platão Araújo, onde permanece em estado grave.

Policiais militares e equipe do Samu no local do assassinato do traficante e baleamento de seu irmão 

Os policiais que investigam o assassinato de Jactã receberam informação de que ele respondia a processo criminal por tráfico de drogas, mantinha boca de fumo no Aleixo e era um dos líderes de facão que atua no bairro desde que saiu da cadeia.

No período em que Jactã ficou preso, foi seu irmão “Jarbas” quem ocupou seu lugar no tráfico de drogas, e agora tudo indica que uma facção rival armou um plano para executar os dois de uma só vez, mas somente um está morto até o presente momento.

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros vai investigar o crime.

Deixe uma resposta