MATADOURO 2916

Na noite de ontem a continuar nesta manhã de (21 quinta -feira) , a população da cidade de Pinheiro mais propriamente do Bairro Dondona Soares e moradores do perímetro do matadouro publico municipal denominado pela população pinheirense de (lixeiro publico municipal) não aguentado mais os odores fedidos dos excrementos e do lixo que os atormenta,  teve o seu fim posto tragicamente  pela  revolta da população que ateou fogo e derrubou o afamado matadouro que após os longos anos de espera pela sua restauração, o que não veio a acontecer ; apesar do gestor municipal Filuca Mendes( PMDB) desde a sua primeira das três gestões vem  programando o embala povo a cada eleição que disputou manteve em todas as promessas que nunca cumpriu. Veja o gráfico promessa/PROPOSTA DE GOVERNO PINHEIRO – MA 2013 – 2016 COLIGAÇÃO “O TRABALHO ESTÁ DE VOLTA” CANDIDATO ‘FILUCA MENDES: PREFEITO & CÉSAR SOARES: VICE-PREFEITO’.

MATADOURO 2894

MATADOURO 2914

Colocando a casa em ordem: Plano Emergencial

Recuperação e recolocação em funcionamento dos equipamentos de saúde.

Recuperação de ruas, avenidas e de vias de acesso a povoados. Recuperação e recolocação em funcionamento dos equipamentos de educação.

Recuperação e recolocação em funcionamento dos equipamentos de assistência social.

Recuperação e recolocação em funcionamento da base de serviços públicos [de saúde e assistência social, prioritariamente] oferecidos ao cidadão.

Recuperação e recolocação em funcionamento da base de segurança pública.

Recuperação de praças e avenidas. Construção da nova rodoviária de Pinheiro.

(Construção do Matadouro Público. Recuperação do Portal de entrada da cidade.)

Revitalização da Feira e de mercados públicos, com a reorganização e capacitação

empreendedora. Articulação com as esferas federal para a recuperação da Barragem do Pericumã

(NADA DISSO FOI CUMPRIDO)

MATADOURO 2912

Como se não bastasse os recursos conseguidos por uma SERIE DE ADITAMENTOS*, o prefeito Filuca Mendes usa o descaso e não teme o poder judiciário nem tribunais de contas, e supostamente lava os recursos no Rio Pericumã JÁ INFECTADO PELA EVACUAÇÃO DOS EXCREMENTOS  E  O LIXO QUE DECORRE DO PRÓPRIO  MATADOURO e adentra os campos que são banhados pelo rio.

(PRIMEIRO DOS CINCO ADITAMENTO DATA DE 2013) *

DIÁRIO OFICIAL ESTADO DO MARANHÃO PUBLICAÇÕES DE TERCEIROS           !” ADITAMENTO PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHEIRO – MA EXTRATO DO PRIMEIRO ADITAMENTO DE PRAZO DO CONTRATO. CONTRATO Nº. 01/PP/084/2013. PARTES:

Prefeitura Municipal de Pinheiro e Hidraele Projetos e Serviços Ltda, CNPJ: 23.687.031/0001-68, ESPÉCIE: Contrato de Prestação de Serviço. OBJETO: Contratação de empresa de arquitetura especializada em desenvolvimento de projetos, para execução dos projetos complementares do Matadouro Público e Rodoviária, de interesse desta Prefeitura Municipal, conforme especificações contida na licitação Pregão Presencial nº 084/2013. BASE LEGAL: Lei nº 10.520/02 e Lei 8.666/93 e suas alterações. VALOR: R$ 58.000,00 (cinqüenta e oito mil reais). VIGÊNCIA DO ADITAMENTO DE PRAZO DO CONTRATO: Início: 09/01/2014; Término: 09/03/2014. FONTE DE RECURSOS: Tesouro Municipal; Poder: 02 Prefeitura; Órgão: 02.26 Secretaria da Infraestrutura; Unidade: 02.26.02 Secretaria Adjunta de Obras Viárias; Funcional Programática 26.782.0339.2301.0000 Construção e Ampliação do Terminal Rodoviário da Sede; Categoria Econômica: 4.4.90.51.00 Obras e Instalações; Ficha Reduzida: 1174; FONTE DE RECURSOS: Tesouro Municipal; Poder: 02 Prefeitura; Órgão: 02.23 Sec. do Des. Econômica da produção, pesca e Turismo; Unidade: 02.23.01 Secretaria Adjunta da Agricultura e Pesca; Funcional Programática 20.605.0339.1218.0000 Construção do Matadouro; Categoria Econômica: 4.4.90.51.00 Obras e Instalações; Ficha Reduzida: 842; SIGNATÁRIOS: Sr. Venilton José Durans Pessoa – Secretário Adjunto de Fazenda e Tributação, pelo contratante e Sr. Mauro Rogério Maranhão Pinto – Representante Legal, pela Contratada. ARQUIVAMENTO: Arquivado na Prefeitura Municipal de Pinheiro – MA, 09 de janeiro de 2014. RÔMULO ROBERTO MARQUES NUNES. Procurador do Município – OAB/MA 11.451 ADITIVO SECRETARIA.

MATADOURO 2931

(Triste e lamentável essa situação que chegou ao ponto de revoltar esse povo que diz não entender os olhos do judiciário que não enxerga  os desvios dos recursos públicos que são supostamente desviados da Prefeitura de Pinheiro)

E vou além apesar de não acatar rebeldias ou vandalismo, o que não foi o acontecido mas sim:  Um alerta populacional provido pelo cansaço de tanta corrupção , impunidade e descaso que esse  administrador impõe ao povo pinheirense .

MATADOURO 2934

São essas as questões que os poderes municipais como prefeitura e câmara de vereadores vão deixando correr por conta do vicio… Até que chegue as proporções que levam a população a esse estado de revolta .

MATADOURO 2933

Não generalizando: Pinheiro precisava de uma ação dessa. O povo já não aguenta mais o prefeito que tem.

FORA FILUCA !

 

 

 

 

Assinar: Postar comentários (Atom)


O vice-presidente Michel Temer (PMDB), a presidente Dilma (PT) e Lula (PT), em 2014

 O ESTADO DE S.PAULO

20 Abril 2016 | 20h 06 – Atualizado: 21 Abril 2016 | 07h 47 www.jgmoreira.com.br

Decisão atende a pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e não torna os três formalmente investigados pelo STF

BRASÍLIA – O ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quarta-feira, 20, que trechos da delação do senador Delcídio Amaral (sem partido-MS) sejam incluídos no inquérito que tramita desde março do ano passado perante a Corte e investiga a formação de quadrilha para atuação no esquema de corrupção na Petrobrás. Teori autorizou a juntada de cinco termos de depoimento do petista, nos quais são citados, entre outras autoridades, a presidente Dilma Rousseff, o vice-presidente Michel Temer e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A decisão atende a pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot e não torna os três formalmente investigados pelo STF. Por ora, segundo o procurador-geral, basta a juntada das informações prestadas por Delcídio. Para Janot, os esclarecimentos do delator “aperfeiçoam entendimento” sobre o esquema criminoso investigado.

Chamado por investigadores de “quadrilhão”, o inquérito que apura a formação de quadrilha para atuar na Lava Jato tem 39 investigados até o momento, com parlamentares do PP, PT e PMDB, além de operadores do esquema.

Ao pedir a juntada dos depoimentos de Delcídio ao inquérito, a Procuradoria-Geral da República aponta que a delação do senador foi um “inovador acordo” de colaboração premiada. Até agora, as delações faziam parte dos núcleos financeiro, administrativo ou econômico do esquema, mas Delcídio avançou sobre o núcleo político.

De acordo com a PGR, fazem parte do núcleo administrativo que colaboraram com as investigações o ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa e o ex-gerente executivo da estatal Pedro Brausco. O núcleo econômico tem os executivos Ricardo Pessoa, da UTC Engenharia, Eduardo Hermelino Leite e Dalton Avancini, ex-vice e ex-presidente da Camargo Corrêa respectivamente. Já o núcleo financeiro contou com delações do doleiro Alberto Youssef e de seu funcionário Rafael Ângulo.

Citações. Foram juntados ao inquérito sobre quadrilha cinco termos dos 21 que compõem a delação de Delcídio. O primeiro deles trata da “nomeação de Néstor Cerveró para a diretoria internacional da Petrobrás” e da “ingerência da presidenta Dilma Rousseff para a nomeação de Nestor Cerveró para a diretoria financeira da BR Distribuidora”, expressões usadas na própria delação.

No depoimento, Delcídio afirmou que em 2003 começaram as discussões sobre quem seriam os diretores da Petrobrás no primeiro governo Lula. Nesse contexto, mencionou que Dilma “tinha relação” com Nestor Cerveró, com Rodolfo Landim e com Graça Foster em razão da atuação como secretária de energia no Rio Grande do Sul. Segundo ele, Lula já tinha o nome de Cerveró para a Diretoria Internacional e “e inclusive Dilma, como então Ministra das Minas e Energias também estava de acordo”.

Delcídio narra no depoimento que o PMDB passou a ter força na Petrobrás após o escândalo do mensalão ter sigo revelado, pois o governo Lula precisava do apoio do partido para governar. A partir daí, disse Delcídio, o partido passou a ter influência sobre Cerveró na estatal. Segundo Delcídio, a influência junto ao diretor permitia que os dirigentes atendessem demandas do partido, como doações e “objetivos não republicanos”. No mesmo depoimento, Delcídio diz que Temer chancelou a indicação de Jorge Zelada para a Diretoria Internacional da Petrobrás, após ter avalizado a indicação de João Augusto Henriques, barrado por Dilma.

“No que tange ao desvio de verbas em favor do PMDB, o possível esquema de financiamento ilícito desse e de outros partidos constitui um dos objetos do inquérito 3989. Desta feita, por ora, basta juntada de cópia do termo a esse inquérito”, escreveu Janot, para justificar o pedido.

Outros termos de depoimento juntados à investigação sobre quadrilha tratam de aquisição de etanol na BR Distribuidora, propina na aquisição de sondas e plataformas na gestão de Joel Renó na Petrobrás, que foi de 1999 a 2001 e CPI do


crime-eleitoral

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os membros do Tribunal Regional Eleitoral, reunidos em sessão jurisdicional, mantiveram a condenação de Ezequiel Cavalcante de Albuquerque sentenciada pelo juízo da 58ª zona (João Lisboa) de pena privativa de liberdade de reclusão de 2 anos e 6 meses, posteriormente convertida em duas restritivas de direito: a 1ª de prestação de serviços à comunidade e a 2ª de prestação pecuniária no valor de 3 salários mínimos, além de multa de 16 dias-multa pela prática do crime de obtenção de documento falso para fins eleitorais, previsto no artigo 354 do Código Eleitoral. A decisão foi proferida na tarde desta segunda-feira, 18 de abril, nos termos do voto do relator Daniel Leite e seguiu parecer do Ministério Público Eleitoral, autor da ação.

“A autoria da infração penal encontra-se confirmada por meio das declarações constantes no interrogatório de Marcos Torres de Sousa, que confirmou ter sido o pastor Ezequiel Cavalcante de Albuquerque quem o induziu a transferir o título para João Lisboa, entregando-lhe uma cópia de uma conta de energia elétrica falsa”, explica Leite em seu voto.

Segundo a denúncia, além de incluir informações inverídicas no requerimento de alistamento eleitoral, Marcos Torres de Sousa utilizou fatura de energia elétrica em seu nome com código de unidade consumidora inexistente na Cemar, o que significa dizer que o documento foi falsificado com o objetivo de atribuir pretensa residência no município.

Albuquerque sustentava não ter entregado documento falso a Sousa para que este pudesse obter inscrição fraudulenta perante a Justiça Eleitoral, muito menos que tenha determinado, sugerido ou anuído com o referido ato. Alegou que, apenas, na qualidade de pastor evangélico, solicitou aos seus fieis que procedessem à transferência de suas inscrições eleitorais para João Lisboa.

O que todo eleitor precisa saber sobre domicílio eleitoral

No artigo “O que todo eleitor precisa saber sobre domicílio eleitoral”, a servidora Karina de Freitas Dotto Gondim (TRE-AC) explica que, para o TSE, o conceito de domicílio eleitoral envolve também o vínculo político, familiar, afetivo, profissional, patrimonial ou comunitário do eleitor com a localidade onde pretende exercer o direito de voto. Na prática, isso quer dizer que quem está morando em outra cidade a estudo ou a trabalho não está obrigado a transferir para aquela cidade seu domicílio eleitoral se o seu vínculo afetivo, familiar, político ou outro é maior com o da sua cidade de origem.

Para solicitar transferência de domicílio eleitoral é preciso observar duas regras: a 1ª é a de estar morando na localidade há pelo menos 3 meses e a 2ª é a de que só poderá realizar nova transferência após 1 ano. O requerimento de transferência é feito no cartório eleitoral do novo município mediante a comprovação de domicílio, com a apresentação de documentos idôneos nos quais conste o endereço atual.

Apesar de o eleitor já sair do cartório com o título novo, o pedido ainda será analisado pelo juiz eleitoral após serem feitas as verificações necessárias para a homologação da transferência. Por isso, todo eleitor deve tomar cuidado com algumas dicas perigosas que podem ser sugeridas por amigos ou candidatos.

Solicitar a mudança de domicílio eleitoral para outro município com o objetivo de votar em algum candidato específico que está concorrendo naquela região configura um crime eleitoral chamado fraude em transferência. Essa ocorrência costuma ser comum em eleições municipais. O Ministério Público Eleitoral e o juiz eleitoral, porém, estão sempre atentos a essa movimentação e o eleitor poderá ser processado criminalmente.

Publicidade

Moradores da Vila Esperança não reconheceram o corpo como sendo de um morador da região.

Moradores da Vila Esperança não reconheceram o corpo como sendo de um morador da região. – Domingos Ribeiro/Mirante AM

Moradores da região não identificaram o corpo; agentes da PM estão no local.

SÃO LUÍS – Na manhã desta quarta-feira (20), o corpo de um homem, ainda não identificado, foi encontrado na avenida principal do bairro Vila Esperança, em São Luís.

Segundo informações da o corpo, encontrado esquartejado, estava dividido em várias sacolas pretas na Avenida dos Curiós.

Agentes do 1º Batalhão da Polícia Militar estão no local. Segundo eles, o crime, supostamente, aconteceu nas últimas horas. Moradores da Vila Esperança não reconheceram o corpo como sendo de um morador da região.

 


O Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE/MA) decretou, por meio da Resolução n° 249, a inadimplência dos gestores públicos que não enviaram suas prestações de contas relativas ao exercício financeiro de 2015 ao órgão.

Foi instaurado também o procedimento de Tomada de Contas Especialdos prefeitos, presidentes de câmaras municipais e gestores estaduais declarados inadimplentes. Com essa medida, auditores estaduais de controle externo do TCE/MA serão enviados aos municípios e às instituições inadimplentes para ter acesso no local à documentação que deveria ter sido enviada ao TCE/MA para análise.

A relação com os nomes dos gestores públicos inadimplentes com o TCE/MA também será encaminhada à Procuradoria Geral de Justiça, à Procuradoria da República, ao Tribunal Regional Eleitoral, ao Tribunal de Contas da União e ao Governo do Estado do Maranhão para as providências que entenderem necessárias.

Confira abaixo os nomes dos gestores declarados inadimplentes pelo TCE/MA:

Relação dos gestores do Poder Executivo que não apresentaram a prestação ou tomada de contas anual do exercício financeiro 2015

Ordem Entidade Gestor
1. Anajatuba Sydnei Costa Pereira (13/10 a 31/12/2015)
2. Bacuri – José Baldoino da Silva Nery (1º/1/2015 a 16/3/2015)

– Richard Nixon Monteiro dos Santos (16/03/2015 a 31/12/2015)

3. Bom Jardim Lidiane Leite (1º/1 a 30/8/2015)
4. Centro Novo Arnobio Rodrigues dos Santos
5. Governador Newton Bello Leula Pereira Brandão

 

Relação dos gestores do Poder Legislativo que não apresentaram a prestação de contas anual do exercício financeiro 2015

Ordem Entidade Gestor
1. Bom Jardim Arão Sousa da Silva
2. Governador Luís Rocha Rubem Batista de Macedo
3. Lajeado Novo Luís Oliveira de Carvalho Júnior
4. Mata Roma Raimundo Ivaldo do Nascimento Silva
5. Presidente Sarney Adelmo Moraes Silva
6. São Bento Flávio Barbosa Pereira
7. Turiaçu Raimundo Anilson Fernandes dos Santos

 

Relação dos gestores da Administração Pública Estadual – Administração Indireta que não apresentaram a tomada de contas anual do exercício financeiro 2015

Ordem Entidade Gestor
       1. Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão Fortunato Macedo Filho
       2. Fundação da Criança e do Adolescente do Estado do MA Elisangela Correia Cardoso


eduardo-cunha-dida-sampaio-estadao

‘Enviei para nosso amigo um livro de 181 páginas sobre túneis suíços’

Pernambuco Júnior deu detalhes aos procuradores. “Inclusive, relacionado a este e-mail, já foi identificada uma transferência ocorrida no dia 24 de abril de 2012 – ou seja, dois dias antes do e-mail – na qual consta repasse de valores de 181 mil francos suíços (equivalentes na época a US$ 198.901,10, conforme tabela), para a conta da offshore Penbur Holdings, provavelmente no banco BSI.”

Delator afirma que pagou propina a Eduardo Cunha no exterior.

Delator afirma que pagou propina a Eduardo Cunha no exterior.

O delator entregou à Procuradoria-Geral da República ‘múltiplos registros de agenda outlook, relativos a encontros seus com Eduardo Cunha, referindo inclusive ao endereço do escritório político dele no Rio de Janeiro’.

“Nestes registros, Eduardo Cunha é identificado pelas iniciais de seu nome, ‘EC’.”

Em 14 páginas de depoimento, o empresário Ricardo Pernambuco Júnior narrou com detalhes o primeiro encontro que teve com o presidente da Câmara para combinar como seriam feitos pagamentos no exterior. A reunião teria ocorrido no escritório político de Cunha, no Rio, início de agosto de 2011.´Nessa época, o peemedebista ainda não exercia a presidência da Casa.

Pernambuco Júnior descreveu para os investigadores o escritório do presidente da Câmara. “Indagado sobre a descrição do escritório político de Eduardo Cunha, respondeu que se trata de um escritório com decoração mais antiga, que tem uma antessala, com uma recepcionista; que, além disso, havia dois sofás, em seguida um corredor, com duas salas; que nestas salas havia uma secretária mais alta e um assessor do deputado; que este assessor era uma pessoa mais velha, com cerca de 60 anos, acreditando que fosse um pouco calvo, possuindo cabelo lateral; que nunca conversou, porém, nenhum assunto com tais pessoas; que mais à esquerda tinha a sala do deputado Eduardo Cunha, com uma mesa antiga, de madeira maciça, com muitos papeis em cima; que acredita que o escritório fique no 32.º andar.”

 

 


Luiz Gonzaga Barros, o “Luizinho”

As investigações, iniciadas no ano de 2015, levaram à identificação de um esquema criminoso com atuação desde 2010, responsável pela concessão de benefícios de pensão por morte fraudulentos. Os instituidores e, em alguns casos, o próprio titular, eram pessoas fictícias, criadas virtualmente através da falsificação de documentos públicos.A Força-Tarefa Previdenciária, integrada pela Polícia Federal, Ministério do Trabalho e Previdência Social e Ministério Público Federal, com a finalidade de reprimir crimes previdenciários, deflagrou na manhã desta terça-feira (19), nas cidades de São Luís, São Bento, Palmeirândia, Pinheiro e Turilândia, todas no Estado do Maranhão, a Operação Vínculos.

Os vínculos empregatícios inexistentes do instituidor eram implantados no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) junto à Prefeitura Municipal de São Bento, com salários de contribuição no teto previdenciário, sendo transmitidos através de Guias de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (GFIP) irregulares.

O esquema criminoso contava com a participação do ex-prefeito do Município de São Bento, contadores, um advogado especializado em causas previdenciárias, um ex-funcionário do Cartório de Palmeirândia, um servidor do INSS e intermediários.

A Polícia Federal cumpriu trinta e dois Mandados Judiciais, sendo nove de prisão temporária, dezenove de busca e apreensão e quatro de condução coercitiva. Dentre os Mandados Judiciais consta, ainda, a determinação para que o INSS suspenda o pagamento de onze benefícios de pensão por morte, bem como com relação ao servidor da autarquia previdenciária, a proibição de frequentar o ambiente de trabalho e a determinação do afastamento das funções públicas pelo prazo de noventa dias.

A operação contou com a participação de 75 (setenta e cinco) policiais federais e de 2 (dois) servidores da área de inteligência do Ministério do

Trabalho e Previdência Social, a assessoria de Pesquisa Estratégica e Gerenciamento de Riscos (APEGR).

O prejuízo inicialmente identificado aproxima-se de R$ 1,5 milhão. O valor do prejuízo evitado com a conseqüente suspensão desses benefícios, levando-se em consideração a expectativa de sobrevida média da população brasileira, é de R$ 12 milhões.

A Operação foi denominada VÍNCULOS em alusão tanto ao esquema criminoso que agia na implantação de vínculos empregatícios irregulares no CNIS, quanto pelo relacionamento comprovado entre os membros da associação criminosa.

Os envolvidos foram indiciados pelos crimes de estelionato previdenciário, inserção de dados falsos, associação criminosa e falsidade ideológica, cujas penas máximas acumuladas podem chegar a 24 anos de prisão, sem prejuízo de outras infrações penais que forem identificadas após a deflagração, como lavagem de capitais e organização criminosa.

O resultado desse trabalho é fruto da Força-Tarefa Previdenciária, composta pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social, Departamento de Polícia Federal e Ministério Público Federal, visando combater crimes contra a Previdência Social.

Do Blog do Neto Ferreira


Anderson com o presidente do PCdoB, Márcio Jerry, e com o deputado Othelino Neto

pesquisa5

pesquisa3

pesquisa6

O pré-candidato a prefeito de Alcântara, Anderson Wilker (PCdoB), é o primeiro colocado na disputa eleitoral no município, segundo pesquisa de intenções de votos realizada pelo instituto Exata e registrada na Justiça Eleitoral, no período de 07 a 09 de abril. Ele dispara com 50% da preferência em um cenário com todos os outros concorrentes.

Em um cenário apenas com o atual prefeito Domingos Araken (PT), Andreson aparece em primeiro lugar com 60% das intenções de votos contra somente 7% do gestor.

Já no quesito rejeição, Arakén dispara com 69%. É o pré-candidato que tem a menor preferência, junto ao eleitorado, segundo a pesquisa Exata, enquanto Anderson tem apenas 8%.

A pesquisa avaliou também o grau de satisfação do eleitor com o governador Flávio Dino (PCdoB). Segundo a pesquisa, 61% dos entrevistados aprovam o atual governo do Maranhão.

Anderson Wilker hoje é assessor de Articulação Política do governo do Estado. O crescimento político dele na cidade ficou evidente nas eleições de 2014, quando liderou as campanhas do governador Flávio Dino e do deputado Othelino Neto (PCdoB), que terminaram como os mais votados em Alcântara.

A pesquisa foi registrada junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA), sob o protocolo MA-04702/2016, e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o protocolo MA-04702/2016. Margem de erro: 3,5%.

pesquisa2

 


SÃO BENTO

DAQUI A POUCO MAIS NOTICIAS NESTE BLOG.

SÃO BENTO-MA.

Em carros descaracterizados, a Polícia Federal faz operação em três locais: Prefeitura, casas residenciais de um funcionário da prefeitura e ex- dono de Cartório e do ex-prefeito de São Bento.


Othelino destacou o posicionamento firme do PCdoB na luta pela democracia com a totalidade de sua bancada

Othelino destacou o posicionamento firme do PCdoB na luta pela democracia com a totalidade de sua bancada

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) lamentou, na sessão desta segunda-feira (18), a aprovação do prosseguimento do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) na Câmara Federal. “É uma página triste na história da democracia, do parlamento brasileiro. E quando me pronunciei sobre esse assunto aqui, fiz sempre questão de dizer que eu era crítico de alguns aspectos do governo petista, em especial das alianças excessivamente à direita que fez, fortalecendo e deixando valentes os monstros que hoje são os algozes do PT”, disse.

Othelino destacou o posicionamento firme do PCdoB na luta pela democracia com a totalidade de sua bancada votando pelo estado democrático de direito. “Infelizmente, o PT, o governo do PT sofrem um grave revés por conta de terem valorizado os aliados errados. Os deputados do PCdoB estavam lá, firmes com a democracia”, frisou.

O deputado destacou ainda a postura de outros partidos de esquerda, como o PDT, com a grande maioria de sua bancada, o PSOL, deputados da Rede que estavam, na Câmara, protestando contra o impeachment. “Realmente foi um momento muito feio para a história do país, onde vários deputados manifestaram votos pela continuidade do impedimento da presidente da República sem, sequer, citar o fato gerador do processo. Poucos se referiram às pedaladas. Quase todos disseram que estavam cassando por razões, eminentemente, político-ideológicas”, disse.

Othelino criticou também as manifestações que se deram no plenário da Câmara Federal contra o comunismo. “O vermelho representa o sangue da luta de muitos que se dedicaram e deram suas vidas pela liberdade, pelas lutas das causas populares. Nós só queremos com o nosso vermelho, que nos orgulha, que respeitem o Estado Democrático de Direito. Neste sentido, espero que nós possamos reagir para que o nosso país não concretize este grave retrocesso em sua história política”, disse.

Na tribuna, Othelino destacou os oito deputados federais do Maranhão que votaram pela manutenção do Estado Democrático de Direito: Rubens Júnior (PCdoB), Weverton Rocha (PDT), Waldir Maranhão (PP), Aluísio Mendes (PTN), João Marcelo (PMDB), Júnior Marreca (PEN), Pedro Fernandes (PTB) e José Carlos (PT), o único deputado federal do PT no Maranhão.

Sobre Flávio Dino

Quanto às críticas ao governador Flávio Dino (PCdoB) por conta do prosseguimento do processo de impeachment, Othelino enfatizou que ele “não foi derrotado” como tenta passar a oposição. Segundo o deputado, “quem perdeu foi o Brasil, o Estado Democrático de Direito.

“O governador foi o político que sempre foi. Teve posição e a manifestou publicamente. Teve a coragem de levantar a sua bandeira e de defendê-la até o final. Muito embora tivesse razões, fosse ele apenas olhar para o que o PT fez com ele nas últimas duas eleições de governador, para até ser solidário. Mas ele não estava falando para a ocasião; estava falando para a história. E mesmo tendo tido os constrangimentos que teve, quando o PT do Maranhão foi obrigado a não estar na coligação dele, teve a postura de defender, acima de tudo, aquilo que ele compreende e de defender a democracia”, frisou.

Segundo Othelino, Flávio é um homem de posição, diferente de outros que passaram anos se locupletando dos governos do PT,  dizendo-se representantes do PT no Estado e que agora viraram a camisa, no momento em que o governo do PT está absolutamente fragilizado.

“Assim se definem os estadistas e os covardes. Os estadistas seguem na sua linha com coragem, de forma decidida, olhando para a história. Os covardes pulam do barco quando ele ameaça afundar”, finalizou.


%d blogueiros gostam disto: