montagem

Funcionários de clínica foram demitidos e indiciados por registro de imagens do corpo. (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil indiciou duas pessoas pelo vazamento de fotos e vídeos em redes sociais do momento em que o corpo do cantor Cristiano Araújo, que morreu em um acidente de carro na BR-153, em Goiás, era preparado para o sepultamento. De acordo com o delegado Eli José de Oliveira, do 4º Distrito Policial de Goiânia, elas vão responder pelo crime de vilipendiar cadáver (desrespeito ao corpo), com pena que vai de um a três anos de prisão.

“São os dois funcionários da Clínica Oeste, onde o corpo foi preparado. Além disso, uma terceira pessoa, que foi quem divulgou as imagens, também poderá ser indiciada pelo mesmo crime”, disse Oliveira.

Segundo o delegado, os funcionários da clínica, os técnicos em tanatopraxia (procedimento de retirada dos fluídos do corpo para o enterro) Marco Antônio Ramos, de 41 anos, e Márcia Valéria dos Santos, de 39, já foram ouvidos e liberados. O terceiro envolvido, que ainda vai prestar depoimento. Ele é colega de Márcia em um curso de enfermagem.

“A Márcia disse que o Marco só percebeu que ela estava gravando quando já estava no meio da filmagem, mas não a impediu. Depois, ela mandou esse vídeo para o colega, que estuda com ela, e foi ele quem postou nas redes sociais”, explicou Oliveira.

Em uma das fotos, o cantor aparece com hematomas no rosto e, na outra, ele está com o terno que vestia quando foi sepultado. Já o vídeo mostra o processo de preparação do corpo.

“Nos depoimentos tanto o Marco quanto a Márcia assumiram que sabiam do regimento interno da clínica em que trabalham que impede o registro de imagens dos cadáveres. Ela afirmou que já trabalhava no local há quatro anos e que o ato foi impensado. Por isso, a clínica não deve ser responsabilizada. A não ser que os familiares entrem com ação na Justiça”, destacou o delegado.

Oliveira ressaltou que inquérito sobre o caso já está em fase final de conclusão. A sócia-proprietária da clínica, Laurinete Menezes Oliveira, também foi ouvida pelo delegado. “Ela ressaltou que todos os funcionários assinam o termo, que os responsabiliza pelos atos. Sendo assim, a clínica fica passível de uma ação cível, mas não criminal”.

Na manhã desta sexta-feira (26), a assessoria de imprensa da Clínica Oeste confirmou ao G1 que os funcionários já foram demitidos.

Em nota, o estabelecimento afirmou que repudia a ação dos empregados. “A Clínica Oeste existe há quatro anos e reitera seu compromisso com a ética, a transparência, o zelo pela prestação do serviço e o respeito às famílias, e se solidariza com todos os que, como ela, repudiam tal ato”, destacou o texto.

Na quinta-feira,  o diretor de comunicação do cantor Cristiano Araújo, Rafael Vannucci, disse que os advogados que cuidavam da carreira do artista irão analisar o vazamento nas redes sociais de fotos e vídeo feitos durante a preparação do corpo para o velório e o sepultamento. Ele explicou que ainda não viu as imagens, mas que já ouviu comentários sobre o caso.

“O escritório do Cristiano Araújo, o CA Produções Artísticas, vai analisar os fatos e zelar pela imagem dele mesmo após a sua morte. Vamos tentar agir da melhor forma possível, mas a decisão de fazer qualquer coisa é da família”, explicou.

Instituto Médico Legal
Ao G1, o médico legista Peterson Freitas Moreira, diretor clínico do Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia, disse que os registros não foram feitos dentro do órgão. Ele, inclusive, disse estar “indignado” com a situação.

“Isso é um absurdo. Ficamos sabendo do vazamento há poucas horas. O vídeo não foi feito aqui. Os dois funcionários que aparecem não trabalham no IML. Além disso, no caso das fotos, não somos nós quem vestimos os corpos”, enfatizou.

O médico explicou ainda que, no caso do sertanejo, foi necessário analisar o corpo, mas nenhum órgão foi retirado. Ele revela que participou da necropsia de Cristiano com mais dois profissionais e que nenhum estava com celulares. Além disso, um policial fazia a segurança da sala.

Segundo Peterson, em alguns casos, é preciso fotografar o corpo como forma de comprovar laudos e documentos. Porém, isso é feito de forma profissional e somente para interesse do IML. “Se um servidor age desta forma, ele tem que responder um processo administrativo, podendo até ser expulso do órgão”, informa.

Em nota, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária já havia informado que a Polícia Civil já concluiu que as imagens não foram feitas no IML e aponta que o local onde o vídeo foi feito pode ser a sala de um estabelecimento de preparação de corpos para velório e sepultamento.


ELIAS

MAIS UM CRIME DE ASSASSINATO ACONTECEU NA MANHÃ DE ONTEM (25/06) no Povoado Àguas Boas, proximo ao Povoado Pedrinhas dos Araujo- Zona Rural de Pinheiro. Segundo a Policia de Pinheiro o adolescente  de nome Elias Lobato Cabral foi morto por engano vitama de arma de fogo

O autor do disparo que ceifou a vida  do jovem ainda não foi divulgado.

Informações colhidas por este Blog, junto às pessoas do Povoado dão conta que Elias foi morto por engano, suspeitando-se que o assassinato seria para um seu irmão conhecido pelo alcunha de “Motor” haja visto pelo seu envolvimento no banditismo de delitos cometidos na região. A suposição de terceiros foi que o autor do disparo o confundiu pela aparência dos irmãos e assassinou Elias.

Mais detalhes ainda hoje no Blog.

 


26/06/2015 09h27 – Atualizado em 26/06/2015 09h58

Trabalhadores resgatados em SP embarcam de volta a São Mateus (Foto: Reprodução / TV Mirante)Trabalhadores resgatados em SP embarcam de
volta a São Mateus-Ma.

Eles foram levados com a promessa de emprego na construção civil.
Um inquérito policial já está sendo instaurado para apurar o caso.

Do G1 MA .

Os 80 trabalhadores maranhenses que foram levados enganados para Ribeirão Preto na última sexta-feira (19) com a promessa de emprego na construção civil, voltaram na madrugada desta sexta-feira (26) ao município de São Mateus, a 194 km de São Luís.

Depois de enfrentarem dois dias de estrada, todos eles foram para a Secretaria de Desenvolvimento e Renda de São Mateus assim que chegaram na cidade para participar de uma reunião com representantes do Ministério do Trabalho do Maranhão, Polícia Civil e pessoas ligadas à órgãos de proteção de direitos humanos.

A reunião durou quase duas horas. Os trabalhadores deixaram o prédio da secretaria insatisfeitos com a situação, já que muitos pediram dinheiro emprestado para viajar e foram enganados.

“A gente saiu daqui com uma proposta de emprego lá, pagando um agenciamento de R$200, um contrato de R$50 e mais uma passagem de R$250. Além das despesas daqui até lá que a gente teve e não foram reembolsadas”, contou Aluísio Vasconcelos, montador de estrutura metálica.

A falta de empregos na cidade foi um dos motivos que fez José Alexandre, de 51 anos, deixar o município para ir em busca de melhoria de vida em São Paulo. O trabalhador não esquece o drama que viveu longe de casa. “Lá nós estávamos como moradores de rua, passando fome, não tinha lugar para tomar banho”, relatou.

Um inquérito policial já está sendo instaurado para apurar o caso. “Todos esses cidadãos que aqui estão irão registrar seus respectivos boletins de ocorrência, serão cadastrados no Ministério do Trabalho Estadual para que seja apurada a responsabilidade no âmbito trabalhista contra essas pessoas ”, disse o Superintendente da Polícia Civil do interior do estado, Dircival Gonçalves.

Segundo o presidente do sindicato dos trabalhadores e trabalhadoras rurais de São Mateus, Valentino Santos, a cada quinze dias ônibus saem da cidade levando trabalhadores maranhenses para outros estados sem nenhum tipo de fiscalização por parte do município.

O Superintendente da Polícia Civil do interior do estado garantiu que o órgão estará vigilante para que casos como este não se repitam na cidade.

Relembre o caso
Oitenta e oito trabalhadores de São Mateus do Maranhão foram abandonados, na madrugada de domingo (21), em um posto de combustíveis no quilômetro 320 da Anhanguera, em Ribeirão Preto (SP), após receberem uma proposta para trabalhar em obras de construção civil na cidade.

A polícia ouviu três trabalhadores e um dos motoristas dos ônibus informou que tanto a empresa aliciadora quanto o empregador devem responder pelo crime de aliciamento de trabalhadores, previsto no artigo 207 do Código Penal. A pena é de detenção de um a três anos e multa.


DRACULA II

O oficial de justiça Edionor Cláudio Cunha está em prisão preventiva, por suspeitas de cometer estupro na cidade de Carutapera, interior do Maranhão. As acusações ao oficial não se limitam somente ao município, mas em várias outras cidades do interior do estado.

A Secretaria de Segurança Pública informou que a prisão preventiva foi realizada em atendimento a uma representação feita pela autoridade local, baseada em um inquérito que investiga o crime de estupro de vulnerável.

A polícia apreendeu, no automóvel, vários objeto, como CDs, pen drives e câmeras digitais.

O responsável pela operação foi o coordenador titular da Delegacia de Carutapera, em parceria com equipes da Delegacia Regional de Zé Doca.


IRREGULARIDADES

25/06/2015 – 15h49

Equipes de fiscalização do Procon orientam usuários  do serviço de ferryboat

Em fiscalização no serviço de ferryboat realizada após queixas de consumidores, o Procon constatou, o não cumprimento à lei da gratuidade para idosos e da tabela de horários, além da ausência de toldos e pisos apropriados – como o piso tátil que facilita o acesso à passageiros com dificuldade na visão e o antiderrapante, que evita escorregões em dias de chuva. A condições de higiene da lanchonete do local também foram desaprovadas pela equipe do Procon.

Durante a fiscalização, a equipe do Procon verificou que o manuseio de alimentos é feito sem o uso de equipamentos adequados, como luvas e toucas. Também foram encontrados produtos sem o prazo de validade afixadoque foram imediatamente apreendidos e destruídos.
A visita foi realizada após audiência pública regida pelo presidente da Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana (MOB), José Arthur Cabral Marques. Na ocasião, estiveram presentes Rodrigo Maia, procurador-geral do Estado, Duarte Júnior, diretor-geral do Procon, e tambémrepresentantes das empresas que prestam o serviço aquaviário.
De acordo com Duarte Júnior, o Procon realizará fiscalizações até agosto, quando o prazo dado pelo regulamento publicado em abril deste ano, pela MOB, chega ao fim. “O Procon se manterá presente no acompanhamento das adaptações realizadas pelos prestadores de serviço de ferryboat no Maranhão. O objetivo é garantir a total adequação ao regulamento, dentro do prazo previsto, para que os consumidores tenham acesso a um trabalho de qualidade”, disse.
Em caso de descumprimento e não adequação ao regulamento do serviço público de transporte aquaviário intermunicipal de passageiros, cargas e veículos e de outras providências, sanções poderão ser aplicadas, conforme prevê o Código de Defesa do Consumidor e o decreto 2181/1997.

Entre os envolvidos, dois suspeitos são apontados de fazerem parte da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) do Estado de São Paulo

Operação desencadeada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV), resultou na prisão de uma quadrilha de traficantes na Região Metropolitana de São Luís. Entre os envolvidos, dois suspeitos são apontados de fazerem parte da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) do Estado de São Paulo.

Segundo informações do delegado titular da DRFV, Marcos Afonso, o bando é liderado por Jheyson Pereira da Silva, vulgo “Diego” ou “Amarelinho”. Ele é apontado como autor de pelo menos dez homicídios na Região Metropolitana de São Luís e era responsável pelo abastecimento de entorpecentes na capital maranhense. As informações apontam ainda que a quadrilha composta por Jarison Sá Almeida, conhecido como “Senzala”, Natan Costa de Oliveira e Luís Alfredo Pimenta, também é suspeita de integrar o PCC.

“O ‘Amarelinho’ e o ‘Senzala’, são ligados ao PCC, sendo que o primeiro é apontado também como líder do Primeiro Comando do Maranhão (PCM) na capital. Ele assumiu o posto após a morte do antigo líder Gilvan Santos, o ‘Leleco’, durante uma troca de tiros com a polícia na Vila Conceição em janeiro deste ano. O ‘Amarelinho’ é suspeito de pelo menos dez homicídios, nove só no município da Raposa. Os crimes estão sendo investigados pela polícia e que investiga também se ele deu ordens para a execução de integrantes de facções rivais.

Na ação realizada em conjunto com a Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), na Vila Conceição e Alto do Calhau, foi apreendida uma pistola 9 milímetros; 60 munições do mesmo calibre; quarenta munições de ponto 40; um quilo de maconha; uma peteca de cocaína, uma quantia em dinheiro, entre reais e moedas estrangeiras, como dólares e bolivares; e um quilo de cal.

Jheyson Pereira, Jarison Sá Almeida, Natan Costa e Luís Alfredo Pimenta foram conduzidos para as dependências da DRFV, onde foram autuados por tráfico de drogas, associação para o tráfico e posse ilegal de arma de fogo de uso restrito. Contra Jheyson existia ainda um mandado de prisão, expedido pela Comarca de Raposa por homicídio.

– See more at: http://silviatereza.com.br/


25 DE JUN DE 2015

CERTIDÃO BLOGUEIROBloqueiro João Costa foi agredido Fisicamente Por Aliados do Prefeito Marcel Curio durante Arraiar de Governador Nunes Freire

Durante a Noite de Quarta Feira do Arraiara de Governador Nunes Freire, o bloqueiro e Jovem Líder Politico Joao Costa, foi agredido fisicamente por  Aliados do Prefeito Marcel Curio e Funcionários da prefeitura municipal de Governador Nunes Freire.
A vítima Irá prestar boletim de ocorrência na Delegacia, A agressão se deu Por Conta que o Blog Do João Costa Realizar Varias Matérias Denunciando a Péssima Administração do Prefeito Municipal. Após o registro, o bloqueiro acionará a justiça em desfavor de seus agressores.
Estes tipos de atitude dos Aliados do Prefeito Precisam ser vista pela justiça como um caso de extrema importância, Principalmente pelo fato que a guarda municipal estava presente na ação e não fez nada para impedir as agressões, e não realizou nenhuma apreensão contra os agressores.
“O Governo Curió pensa que vivemos no regime militar, quando opinião e informação eram cerceadas, o senhor Marquinhos curió foi tomar satisfação comigo pelas varias matérias postadas é um desrespeito principalmente por ser integrante do governo municipal. Em seguida partiu para agressão nem dando ação para defesa, Eu repudiou toda e qualquer tipo de agressão” destaca João costa
“Estou revoltado em saber que Governador Nunes Freire “Encruzo” caminhou pra esse atraso, teríamos regredido para a idade da pedra e ninguém me avisou? Ontem Fui Agredido Fisicamente No Nosso Arraiar Por Aliados do Prefeito Marcel curió, Tudo porque não concordam com as inúmeras denuncias que faço em meu facebook e blog.
Estou Revoltado e triste pelas agressões, Indignando por falta de ação da Guarda Municipal que estava presente e nada fez “ou fez” (Protegeu os aliados do prefeito) e pela policia que chegou e não realizou nenhuma ação.
Pra quem não conhece sejam bem vindo a Nunes freire de um novo tempo Uma Nova Historia!
 
Veja os B.O Feito na Delegacia e promotoria!

STEFANE

Stheffany Pereira, de 23 anos, disse que monitor a humilhou publicamente.
Direção da escola contesta versão da aluna, que estuda há 3 anos no local.

João Ricardo BarbosaDo G1 MA

A transexual Stheffany Pereira, de 23 anos, resolveu constituir um advogado para entrar na Justiça contra o Estado do Maranhão. O motivo foi uma discussão com um monitor do Liceu Maranhense, escola estadual que frequenta há três anos. Na semana passada, ela foi advertida quando entrava no banheiro feminino acompanhada de outras duas alunas.

A direção da escola nega que houve excessos por parte do funcionário e contesta a versão da aluna. O diretor do Liceu Deurivan Sampaio disse que o fato ocorreu na noite da última quinta-feira (18), enquanto a estudante afirma que o caso teria acontecido na quarta-feira (17).

A aluna, que estuda no período noturno, conta que, ao chegar na porta, o monitor teria dito ela não poderia entrar no banheiro feminino, o que teria iniciado uma discussão.

“Eu já estava no banheiro feminino. Estudo no Liceu há três anos e sempre frenquentei o banheiro feminino, por isso que fiquei constrangida, pois nunca tinha passado por isso na escola. Sou muito querida por professores, alunos e meus amigos. E esse monitor é antigo na escola e nunca tinha tido problema comigo antes, essa foi minha surpresa. Ele me humilhou, pois ele poderia ter me chamado no reservado e na verdade me expôs ao público. Quando me dei conta, já estavam todos olhando. Enquanto ele falava, eu chorava”, revela.

Quando me dei conta, já estavam todos olhando. Enquanto ele falava, eu chorava”
Aluna transexual Stheffany Pereira

Stheffany, que é transexual desde os 15 anos, diz que nunca passou por nada parecido e garante que foi humilhada, uma vez que a advertência teria sido pública. “Se fosse uma questão de preconceito, eles nem me aceitariam na escola. Não tive nenhum problema na matrícula. Antes de chegar ao Liceu, já era conhecida de vários daqui”, acrescenta.

O diretor Deurivan Sampaio da escola afirma que não houve discussão e que o funcionário teria seguido à coordenação para relatar o caso quando percebeu que a jovem estava alterada. “Nossos corredores são monitorados por câmeras de vídeo. Isso resguarda até o servidor e mostra a forma como ele conversou com o aluno”, disse.

Medidas
O artigo 6º da Resolução 12 do Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoções dos Direitos de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais (CNCD/LGBT) diz que “Deve ser garantido o uso de banheiros, vestiários e demais espaços segregados por gênero, quando houver, de acordo com a identidade de gênero de cada sujeito”. O texto é de 16 de janeiro de 2015.

Deurivan Sampaio, diretor-geral do Liceu Maranhense (Foto: João Ricardo Barbosa / G1)Deurivan Sampaio, diretor-geral do Liceu
Maranhense (Foto: João Ricardo Barbosa / G1)

“Interpretamos aqui na escola que a resolução não tem força de Lei, ela apenas sugere que se resolva essa situação, mas a escola não pode tirar o direito das meninas sobre a privacidade para assegurar esse direito a ele. Acredito que esse caso merece uma discussão e uma regulamentação, mas ainda não existe lei sobre isso. Por isso, vamos continuar com a mesma postura até que haja uma determinação legal para que todos possam usar os espaços sem nenhum constrangimento para ninguém”, avaliou o diretor Deurivan Sampaio.

Stheffany, que é natural de Rosário (MA), disse que viajou nessa quarta-feira (24) até a cidade natal para pegar documentos necessários à ação na Justiça contra o Estado. O advogado já foi constituído.

Discussão
Reuniões com os pais estão marcadas para esta quinta-feira (25) e o assunto entrará em pauta. Pela manhã e pela tarde, a direção da escola vai expor o material divulgado sobre o caso e discutir amplamente o assunto com os responsáveis pelos alunos.

A direção da escola também informou que revelou que um representante da Comissão dos Direitos Humanos da OAB-MA visitou a escola e conversou com o funcionário envolvido para levantar maiores informações. O funcionário continua com suas atividades normais na escola. A aluna está na semana final de provas. As férias começam na sexta-feira (26).


25/06/2015 08h39 – Atualizado em 25/06/2015 08h49

Familiares denunciaram o caso após flagrar iminência do abuso.
Homem teria dito que criança se insinuava para ele, diz polícia.

Do G1 MA, com informações da TV Mirante

Um idoso identificado como José Pereira de França, de 70 anos, foi preso nessa quinta-feira (25) suspeito de abusar sexualmente da bisneta da esposa, de 7 anos. De acordo com a polícia, familiares denunciaram o caso depois que flagraram o homem na iminência de praticar o abuso contra a criança.

“Os familiares formularam uma denúncia de que ele estava tentando molestar sexualmente uma criança. A polícia esteve no local, ele foi conduzido para a delegacia”, informou a delegada da Mulher de Codó Maria Tecla Cunha.

Segundo a delegada, o homem chegou a alegar que a menina se insinuava para ele. “Ele diz simplesmente que a criança se insinuava para ele, o que não nos convencel, lógico”, afirma.

O homem foi autuado em flagrante e permanecerá preso à disposição da Justiça. “Existe uma versão por parte dele que não nos convence e, infelizmente, como existe a suposição de estupro de vulnerável, ele foi autuado em flagrante e agora a Justiça deve se manifestar a respeito do fato”, conclui Cunha.


24/06/2015 16h26 – Atualizado em 25/06/2015 11h41

Marcos da Cunha Andrade Filho foi detido nesta quarta-feira (24).
Suspeito teria argumentado que falta 20 dias para se formar em medicina.

Do G1 MAINSTRUMENTOS

Um homem identificado como Marcos da Cunha Andrade Filho foi detido nesta quarta-feira (24) suspeito de atuar ilegalmente como médico em Bacuri, no norte do Maranhão. Segundo o delegado Jorge Antônio, responsável pelo caso, o rapaz argumentou que se vai se formar em medicina daqui a 20 dias, mas não comprovou o fato.

“Ele falou que ainda é aluno do curso de medicina, só que não mostrou pra nós algo que o identificasse como acadêmico. Nós entendemos que ele está usurpando uma função de médico e o autuamos em flagrante”, explicou o delegado em entrevista à Rádio Mirante AM.

O delegado afirmou que o suspeito foi encontrado sozinho no hospital, sem o acompanhamento de profissionais registrados. “O acadêmico sempre tem que estar sendo acompanhado de um profissional da área. Esse não, esse tava como médico plantonista sozinho no hospital”, disse.

A polícia agora investiga se o suposto estudante, que é filho de uma médica, chegou a ser contratado oficialmente pela Prefeitura de Bacuri. Também será verificado se o profissional a quem pertence o número do Conselho Regional de Medicina (CRM) que ele utilizava estava ciente do caso.

“Ele estava de plantão a pedido de alguém e nós já passamos o nome da pessoa que entrou em contato com ele para o delegado de Bacuri, que vai aprofundar essa investigação porque não é a primeira vez que pessoas que dizem ser médicos vão trabalhar em Bacuri sem nenhuma fiscalização”, finaliza.


%d blogueiros gostam disto: