BANCO DO BASIL PINHEIRO

Deputado volta a denunciar precariedade no atendimento da agência do BB em Pinheiro

OTHELINO 

 Além de repetir o apelo na tribuna, o deputado disse que avalia a possibilidade de fazer uma representação contra o Banco do Brasil para que cumpra a lei

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) voltou a criticar, na sessão desta segunda-feira (25), a precariedade na prestação de serviços do Banco do Brasil na Baixada Maranhense, sobretudo no município de Pinheiro, onde os clientes se queixam de permanecer horas nas filas para obter um atendimento e agora nem fazer saques no caixa eletrônico, no final de semana, eles conseguem. O parlamentar já esteve na tribuna pelo mesmo motivo há 45 dias, provocado por cidadãos da região, mas nenhuma providência foi tomada.

Othelino reiterou que o Banco do Brasil de Pinheiro não atende apenas esse município, mas a população de várias outras cidades que acabam tendo como referência esta agência, desde Alcântara, Bequimão, Peri-Mirim, Palmeirândia, Santa Helena, Presidente Sarney e Turilândia. “E o que se vê é um atendimento cada dia pior e agora ficou ainda mais cruel a situação, porque, nos fins de semana, já é comum, na sexta-feira à noite, as pessoas não conseguirem mais sacar dinheiro no caixa eletrônico”, denunciou.

Além de repetir o apelo na tribuna, o deputado disse que avalia a possibilidade de fazer uma representação contra o Banco do Brasil para que cumpra a lei, os seus compromissos e para que preste um atendimento de qualidade a toda população, em especial, neste caso, de Pinheiro. “Peço isso não só em função das mais de 80  mil pessoas que moram no município, mas pelos diversas cidades e localidades que estão no entorno e que são atendidas também naquela agência”, afirmou.

Segundo Othelino, o cidadão, que precisa sacar o seu salário, para fazer a feira, uma despesa imediata ou mesmo para vir a São Luís por meio do ferry, que não aceita cartão de débito, fica sem nenhuma assistência. O deputado disse que a explicação do Banco do Brasil é nada mais do que uma folha de papel escrito “terminal em manutenção”.

Pedido de audiência

O deputado disse que, há 45 dias, pede uma audiência com a Superintendência do Banco do Brasil para que possa dar uma explicação e uma sinalização sobre se há perspectiva de resolver esse problema. Othelino lembrou que, através do BB, recebem os seus salários os servidores de Pinheiro, de vários municípios, na grande maioria, os funcionários do Estado, do Judiciário e do Governo Federal.

“Se um deputado estadual, com a representatividade que o povo do Maranhão lhe concedeu, não consegue ser recebido pela Superintendência do Banco do Brasil, imagina o que não sofre o cidadão comum”, frisou o parlamentar.

Segundo Othelino, o Banco do Brasil precisa se comprometer a fazer um atendimento de qualidade, não só na Baixada, mas em todo o Maranhão. “É inadmissível que na sexta-feira à noite já não se tenha mais dinheiro nos caixas eletrônicos da agência de Pinheiro para que as pessoas possam sacar. E a arrogância, infelizmente, tem prevalecido. As pessoas não têm conseguido ter a resposta para essa aflição”, disse o deputado.


ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO MARANHÃOVARGEM GRANDE IVARGEM GRANDE II

 

Othelino recebe demanda para obra de estrada vicinal em Vargem Grande

 O pré-candidato a prefeito de Vargem Grande, Toinho do Juvenil (PCdoB), pediu a intermediação do deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) para a construção de uma estrada vicinal, interligando o povoado de Santo Antônio do Póvoas a Cantos dos Bois, beneficiando mais quatro localidades. Ele trouxe requerimento do vereador do Município, Roberto Lima de Souza (PPS), que sugere que a obra seja incluída nas emendas parlamentares.

Toinho do Juvenil e o vereador pedem a implantação da estrada vicinal com 17,4km com o objetivo de interligar os povoados e de tirar do isolamento os agricultores familiares das localidades de Sapucaia, Soledade, Mutuns, Campestre, Vereda e Santa Helena, contemplando 87 famílias que não dispõem de via para escoamento de produção.

Segundo as duas lideranças políticas, no período chuvoso, essas localidades ficam isoladas sem acesso aos principais serviços prestados pelo poder público. Na reunião com Othelino, Toinho do Juvenil conversou ainda sobre outras necessidades e demandas do município de Vargem Grande.

O deputado Othelino disse que a obra é importante, merece atenção por parte do governo do Estado e que está empenhado por ações que proporcionem construção de estradas, beneficiem agricultores e famílias carentes de Vargem Grande e de diversos municípios do Maranhão.


Segundo suspeito de assalto em Panaquatira tomba em confronto com a Polícia

Assalto em Panaquatira terminou com a morte de cinco pessoas que aproveitavam o fim de semana em Panaquatira

Após o trágico assalto em Panaquatira, que tirou a vida de cinco pessoas que aproveitavam o final de semana, em uma residência, homens do Serviço de Inteligência da Polícia Militar, Grupo Tático Móvel, Albatroz descobriram informações de que o suspeito, identificado como Josinaldo Aires da Costa, 27 anos, também conhecido como Nal de Panaquatira, estaria escondido em uma casa na 2ª Travessa Alcione, na Vila Alcione, em São José de Ribamar.  Na troca de tiros, o bandido tombou e faleceu a caminho do hospital.

Segundo a polícia, o suspeito estava armado no quintal da casa e percebeu a ação dos policiais. Houve troca de tiro e Nal acabou sendo alvejado por três disparos no tórax. Ele chegou a ser socorrido pelos policiais e encaminhado ao Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão II), na Cidade Operária, onde chegou sem vida.

Com ele, a polícia encontrou um revólver calibre 38, com seis munições, três deflagradas e três intactas e a pistola do policial. As armas foram apresentadas no Plantão da Cidade Operária.

 


Governo deflagra quatro operações contra agiotagem em cinco meses

Fonte-Jornal PequenoMARCA-GOVERNO-SECOM

Em pouco tempo o Governo Flávio Dino desbaratou através de quatro operações várias quadrilhas de agiotagem que desviaram milhões de reais dos cofres públicos e que continuavam agindo impunemente em prefeituras maranhenses. Só no mês de maio foram três ações coordenadas pela Comissão de Investigação de Agiotagem e a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), com apoio do Grupo de Atuação Especial no Combate a Organizações Criminosas (Gaeco) e do Ministério Público.

As Operações ‘El Berite’; ‘Morta-Viva’ e ‘Maharaja’ juntas resultaram na prisão de nove pessoas entre prefeitos e ex-prefeitos; vereadores e um ex-presidente de Câmara; um ex-presidente da Comissão de Licitação; um dono de uma distribuidora de medicamentos; um contador e um agiota.

‘Imperador’ foi a primeira operação deflagrada este ano no combate ao desvio de recursos públicos e ocorreu no dia 31 de março. A ação culminou com a prisão temporária da ex-prefeita de Dom Pedro, Arlene Barros e do filho dela, Eduardo Barros, apontado nas investigações como o líder do grupo.

Entre os anos de 2009 e 2012 eles teriam desviado algo em torno de R$ 5 milhões. Apesar de agirem a tanto tempo livremente nas prefeituras, as investigações de agiotagem no Maranhão estavam paralisadas desde 2013 e só foram retomadas em 2015, já no Governo Flávio Dino.

Durante coletiva para divulgar o resultado da “Operação Imperador”, o secretário de Segurança Pública Jefferson Portella anunciou a criação da Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção, que tem como meta o combate ao desvio de recursos públicos no Estado.

A medida integra o plano de metas estabelecido pelo governador Flávio Dino para garantir o combate à corrupção e controle social das contas públicas no Estado cujo raio apuratório está sendo feito caso a caso, independente de coloração partidária.

SEM PROTEÇÃO – Se antes as investigações de agiotagem no Maranhão esbarravam na proteção do Palácio dos Leões, agora o próprio governador defende o cumprimento da lei e a ação da polícia. Inclusive reforçando que a polícia e o Poder Judiciário podem agir e decidir livremente sobre as prisões, independente do grupo político a qual pertençam. Eis um passo fundamental no combate a corrupção e garantia do direito dos mais pobres.

Operações do governo contra a agiotagem

‘El Berite’ – Em 19 de maio foram cumpridos quatro mandados de prisão temporária e um de condução coercitiva. Foram presos o ex-prefeito de Bacabal, Raimundo Nonato Lisboa; o ex-presidente da Câmara dos vereadores de Bacabal, Manoel Moura Macedo; o ex-presidente da Comissão de Licitação, Aldo Araújo de Brito; e o dono de uma distribuidora de medicamentos, Francisco de Jesus Silva Soares. Também, foi cumprido um mandado de condução coercitiva em desfavor da ex-secretária Municipal de Cultura de Bacabal, Maria do Carmo Xavier. Esta é a terceira operação desencadeada no mês de maio e a quarta deste ano. Mais de R$ 4 milhões foram movimentados de forma irregular.

‘Morta Viva’ e ‘Maharaja’ – No dia 5 de maio foram deflagradas as operações ‘Morta-Viva’ e ‘Maharaja’, envolvendo as prefeituras dos municípios de Marajá do Sena, Bacuri e Zé Doca, que culminou com as prisões do prefeito de Bacuri, Richard Nixon Monteiro dos Santos; o prefeito e o ex-prefeito de Marajá do Sena, Edvan Costa e Perachi Roberto Moraes, respectivamente; o contador da Prefeitura de Marajá do Sena, José Epitácio Muniz Silva, o Cafeteira; e Josival Cavalcanti da Silva, o Pacovan, apontado como agiota nas investigações. Movimentaram mais de R$ 70 milhões

‘Imperador’ – A primeira operação deflagrada neste ano no combate ao desvio de recursos públicos ocorreu no dia 31 de março. A ação culminou com a prisão temporária da ex-prefeita de Dom Pedro, Arlene Barros; e do filho dela, Eduardo Barros, apontado nas investigações como o líder do grupo. Entre os anos de 2009 e 2012 teriam desviado algo em torno de R$ 5 milhões


Já está provado que a praia do prefeito de Pinheiro, Filuca Mendes éCLINICA DE CHICÃO NÃO pagar os seus credores. Esse história vem se repetindo por seus mandatos anteriores ao mandato atual, logo nos primeiros dias da sua terceira administração o prefeito Filuca num gesto bondoso, atirando com pólvora  alheia,Segundo o Vereador Enesio Vitorino Ribeiro, tratou de raspar o cofre da Prefeitura e32 autorizou um pagamento superior a Cr$ 600,000,00  uma das empresas de um aliado político mais conhecido como o “REI DO FESTIM” que programa e faz festas no endereço inexistente da churrascaria do CNPJ pago, fornecendo banquetes a particulares intencionalmente a mando do prefeito para que se aproximem onde serão aliciados tais quais menores dependentes que tem a mente governada pela barriga. Entretanto por vários meses o dito cujo prefeito, utilizou a CLINICA DO CHICÃO,onde mandava efetuar serviços de R- X, chegando a um débito de CR$ 80.000,00 em atendimento para a Secretaria de Saúde do Município que nunca foram pagos ao dono da  Clinica.

E pasmem os senhores: Nem apelando ao seu amigo, o pai do prefeito o Senhor Filadelfo Mendes Filho (Dedeco Mendes) cidadão honesto e cumpridor das suas obrigações, o senhor Chicão não obteve êxito na cobrança.

E para constar: Nada mais hilário escutar de pessoas ligadas ao prefeito que o mesmo tem dito, não pago. O que não é nenhuma novidade.

Sem censura: Já pensou se a clinica trabalhasse o Raios-X da cabeça desse dragão que só tem maldás instintivas?…  Ah! Chicão… Você não teria como trasladar  o diagnostico desse monstro.

PREFEITO PAGUE A CLINICA DO SENHOR CHICÃO ATÉ POR QUE O TATÁ SUPOSTAMENTE NUNCA ENTREGOU A COMPRA PAGA COM OS 600,000,00 E OS MEDICAMENTOS E A DEMAIS NUNCA FORAM ENTREGUES, apesar disso ser só o inicio da pescaria, já que o grosso mesmo não vem na ponta do anzol e sim, por licitações milionárias . Ou eu estou enganado ?… Sabe, eu não entendo muito disso…


BARRAGEM IIIESTRUTURA DA BARRAGEM DO RIO PERICUMÃ COMPROMETE OS VERDES CAMPOS DA BAIXADA.

Essa obra construída na década de 70-inaugurada em 82, não sofre nenhuma reforma há havidos 36 anos desde a sua inauguração. Está quase toda comprometida pela corrosão da ferrugem na sua estrutura de ferro

 

Gasta pelo tempo e na tendo tido manutenção adequada por quem de direito a fazê-la, coloca em risco os campos alagados da baixada, o que virá já em vistas a ser uma tragédia uma vez que a sua construção tinha o objetivo de represar a água doce do Pericumã e impedir  invasão de água salgada.

O que tínhamos como uma obra de grande  importância  no quesito social da região caiu em estado de triste abandono por parte das autoridades competentes que só vêem na população baixadeira o seu escudo eleitoral como a égide de perpetuação de poder, enganando-os com promessas desconcertantes a cada eleição que participam.

Como é sabido o Rio Pericumã e um dos maiores da região. Abastece uma população de aproximadamente 80 mil habitantes natos Pinheirenses e poderia levar a outros municípios vizinhos grandes benefícios. Se na sua funcionalidade normal a barragem fosse bem cuidada.

Esse esplendoroso Rio que aporta essa barragem/comporta seria o canal principal a ser utilizado no abastecimento do pescado para Pinheiro e também na substência da agricultura salvo critérios  observados a não fosse a triste realidade de um esgoto a céu aberto e o chorume de um lixão que escorre por entre seu leito.

Hoje o (DNOCS) é o principal responsável por essas comportas, mas o sistema de vedação da parte água doce é feito por resíduos diversos do lixão que trabalha diuturnamente para matar e enterrar o nosso Pericumã.

E o que mais me indigna é ver que as eleições estão batendo ás portas, ver vereadores da Câmara de Pinheiro na sala de visitas de José Sarney, recebendo (promessa) emenda valiosa 50 milhões, para dragagem do Rio, políticos e administrador municipal de braços cruzados enquanto vereadores usuários whatsApp de grupos locais se digladiam numa guerra ferrenha de acusações por conta da barragem ao invés de unirem forças e cobrar soluções.

 


Câmara banca comilança de deputados

Parlamentares usam cota parlamentar até para almoçar duas vezes no domingo e fazer lanches dignos de lutadores de MMA. Um deles já gastou R$ 11 mil com refeições desde fevereiro. Tudo ressarcido com dinheiro público

Deputado gastou o equivalente a 24 cestas básicas em cerca de 100 dias com alimentação

As notas fiscais apresentadas para obtenção de ressarcimento pelo deputado federal Francisco Floriano (PR-RJ), no início da atual legislatura, mostram que ele é um homem com muito apetite. A ponto de almoçar duas vezes no mesmo dia ou de fazer lanches que seriam dignos de atletas de MMA. Até embalagens para “quentinhas” Floriano custeou com verba da Câmara.

Em menos de quatro meses, o parlamentar gastou R$ 8.631,16 da Cota de Auxílio de Atividade Parlamentar (Ceap) a título de “fornecimento de alimentação”. Em cerca de 100 dias, o deputado gastou o equivalente a 24 cestas básicas, quando levado em consideração o valor da cesta básica paulista, que é de R$ 354,19 – a mais cara do país. Apesar de gastar R$ 8,6 mil, ele não foi o campeão de dispêndios com alimentação na Câmara. O deputado Rogério Peninha Mendonça (PMDB-SC)  foi o que mais gastou com comida neste início da legislatura, conforme dados da Operação Política Supervisionada (OPS). As despesas com alimentação do peemedebista chegaram a R$ 11,1 mil desde fevereiro. Pelas regras da Casa, a cota só pode ser usada para bancar refeições do parlamentar.

No dia 8 de fevereiro, um domingo, Floriano almoçou no Restaurante Carioca, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Depois do almoço, apresentou duas notas fiscais pedindo ressarcimento à Câmara utilizando a cota de auxílio de atividade parlamentar. Uma das notas tinha valor de R$ 209,44 e outra, de R$ 227. Foram dois pratos de picanha assada, um deles acompanhado com purê de batata e outro com banana à milanesa. Uma nota foi emitida às 15h23 e outra às 15h43 conforme revelam os comprovantes fiscais.

Teoricamente, domingo é dia de folga dos parlamentares. Não foram registradas atividades políticas no restaurante da Barra da Tijuca, onde o deputado almoçou. Além das refeições, ele também custeou, com verba da Câmara, couvert artístico de R$ 38 no mesmo estabelecimento. A casa cobra couvert artístico individual de R$ 19. O valor foi incluído na mesma nota fiscal dos alimentos consumidos.

Em um sábado, dia 2 de maio, às 21h37, o congressista fez um lanche digno de atleta de MMA. Segundo nota apresentada por ele à Câmara, Floriano consumiu, em uma casa chamada Bili Bali Sucos, 500 ml de água de coco, um leite de amêndoas, um hambúrguer, uma porção de queijo prato, um ovo frito, uma salada, uma fruta do conde, uma porção de filé mignon e mais duas porções de açaí. O valor da nota: R$ 85,30.

Esse não foi o único lanche de peso do deputado. No dia 6 de março deste ano, uma sexta-feira, o parlamentar também estava no Jardim Botânico (RJ), igualmente na Bili Bali Sucos e fez uma refeição às 23h13. A nota tinha valor de R$ 158,18. Na alimentação de Francisco Floriano, estavam três pratos de filé mignon, duas Coca-Colas em lata, uma Coca de 500 ml, três ovos fritos, uma porção de queijo prato, duas saladas, um açaí em tigela, outro açaí de 300 ml e um hambúrguer.

Aliás, essa não foi a única nota fiscal apresentada para justificar gastos com açaí. No dia 11 de março, o parlamentar comprou um açaí com banana no valor de R$ 13,90 e ainda bancou o custo da embalagem para viagem, que custava R$ 1,00. Um outro gasto com refeição encomendada para viagem ocorreu no dia 31 de março. Conforme nota apresentada à Câmara, ele gastou R$ 53 em um “frango com embalagem”, em um restaurante da Asa Sul, em Brasília. Em todos os casos, ele pediu ressarcimento das despesas à Câmara por meio da cota criada para custear despesas atreladas ao mandato.

Nestes menos de quatro meses de legislatura, também foram identificadas outras pequenas despesas, todas custeadas com a verba da Câmara. Foram pelo menos quatro notas fiscais apresentadas para lanches no McDonald’s, além de outros documentos fiscais para pedir ressarcimento por salgados. Como o caso de uma nota de R$ 3,20 em que o parlamentar cobrou o pagamento de um “folhado doce”. O lanche ocorreu no Rio de Janeiro às 12h12 do dia 6 de março – uma sexta-feira.

A Câmara permite a utilização do cotão para despesas alimentares. No entanto, elas precisam estar vinculadas à realização da atividade parlamentar. Além disso, o art. 14 do Ato da Mesa Diretora que disciplina a utilização do Ceap, afirma que “a cota não poderá ser antecipada ou transferida de um beneficiário para outro”. Ou seja, o deputado pode até se alimentar com verba da Câmara, mas isso somente pode ocorrer com a comprovação de que foi uma alimentação paga durante atividade parlamentar e o benefício não pode ser estendido a assessores, amigos, familiares ou funcionários.

Desde quarta-feira o Congresso em Foco procura o deputado fluminense para obter explicações sobre seus gastos, mas não houve retorno. Já o deputado Peninha Mendonça (PMDB-SC) disse, em nota oficial, que apesar dos custos com alimentação, ele “economizou em outros itens, tais como: publicidade, combustível, aluguel, passagens aéreas, etc.”

 


Blog da Sílvia TerezaSEXO FRÁGIL? Minha resposta a “Bob Sarney”!

bob sarney2

bob sarney

O blogueiro “sarno-frustrado”, Robert Lobato, mais conhecido como “Bob Sarney”, após ter se tornado uma das “viúvas” da oligarquia, resolveu “se doer”, nesta sexta-feira (22), com a ausência de certos jornalistas e blogueiros, entre eles esta editora que vos fala, em um editorial publicado pelo Jornal Pequeno e que destacou a força dos blogs contra o todo poderoso Sistema Mirante de Comunicação, sobretudo durante o período das eleições de 2014.

Entre as “informações” lançadas por Robert Lobato Sarney (O Bob Sarney) – que eu não tenho o hábito de ler, mas me enviaram o texto copiado no WhatsApp – uma delas dá conta que eu  estaria “soltando fogo pelas ventas” porque teria sido excluída do editorial do JP e ainda disse “não saber se procede”.

Em outro trecho, o escriba – que me apelida e me fere com bullying – descreve outra “alucinação” e ainda afirma “não sei se é verdade”, em uma ridícula postagem sem consistência de dados e sem checagem dos “fatos” com o nítido objetivo de tentar me diminuir.

Eu, que no momento estava passando por uma endoscopia que me consumiu horas para plena recuperação, nem iria responder, mas acho que nós mulheres não podemos nos submeter a nenhum tipo de violência psicológica. Não é só a violência física que se deve denunciar. Temos que reagir a qualquer tipo de machismo. Note que há homens, entre os citados por “Bob Sarney” de terem sido excluídos, mas ele se volta com preconceito apenas para mim, que ele deve considerar o “sexo frágil” da história.

Sexo frágil?

Sexo frágil? Engana-se, Bob Lobato, ops “Bob Sarney”. Já diz o ditado que “quem não sabe brigar, não procura briga”. Devo deixar claro ao escriba, que não checou informações e terminou prejudicando a sua própria credibilidade, que eu quero ser sempre reconhecida é como excelente jornalista e como profissional pelo trabalho que faço de informar os meus leitores. Só isso me interessa!

E no mais, prezo pela credibilidade do meu blog. Peço, inclusive, desculpas aos meus leitores por ter baixado “um pouco” o nível para me reportar ao “baixo nível” de “Bob Sarney”.  Nem é o meu estilo, mas não vou deixar me intimidar por comentários infelizes e machistas de quem quer que seja. E tenho dito

– See more at: http://silviatereza.com.br/#sthash.hi0yzQx3.dpuf


zedagraca RUA 043zedagraca RUA 039 Quais os caminhos que se podem trilhar no combate a corrupção?

O testemunho sistemático de operações e atos suspeitos por parte da autoridade que administra o município de Pinheiro começa a levar sua população a encabeçar um movimento para monitorar cobrar em conteste o curso de cada trajeto de obra suposta de fraudes municipal via superfaturamento e buscar mecanismo que se possa empregar para combatê-las.

A percepção de caos ou ludibrio descrevem-se em típicos sinais pertinentes e amplamente disseminadas que se contrapõe  à lei da responsabilidade fiscal e administrativa e da responsabilidade social na eficiência e no emprego do dinheiro publico corroído pela corrupção, fazendo vitimas os cidadãos que pagam corretamente seus impostos e esperam em forma de contra-partida alcançarem o desenvolvimento do local onde vivem, o que na verdade  o poder executivo não lhes dá esse direito tão importante que é o de não ser vitima da corrupção.

Pressuponho que em se mostrando dados é inadmissível se reconstruir obras a cada quatro ou seis meses, tais quais as obras das fotos anexas, pois se a eficiência nesses serviços não estivesse atrelada ao suposto ganho ilícito encima do dinheiro do povo que é garimpado descaradamente e estimula a mal da impunidade que  compromete a vida das gerações  atuais e futuras  que vêem a olhos nus a desgraça consumada pela irresponsabilidade de quem sempre ativou o descontrole administrativo de um município que ganhou um novo nome: “Padrão típico de corrupção.”


EMBRUTECIDOS

Se um dia eu resolver parar de falar de rosas

Esquecer-me que poeta eu sou…

Esquecer versos, poemas e prosas

Parar no tempo e na poesia

Fugir do sol que me aquece

Emudecer de vez, lacrar meus tímpanos

Não enxergar o que outros vêem

Diga-me o que há de ser?…

 

Nem sempre o que falo interessa

Ôce’s são surdos, cegos e mudos

Ansiosos profanos e malucos!

 

Parem e tentem me escutar…

Não corram por que de correr já cansei

A minha pressa sempre foi em vão

Até nas miseras preces necessidades

Que as minhas mãos buscaram

Do querer só a pretensão…

Numa resposta, um recado num bilhete…

“ Se na intensidade da busca pelo que se quer não acontecer, é preferível ficar cego, mudo, surdo e não acompanhar a insanidade de quem queria ficar aberto na abrutasses  curtindo o frio de uma ilusão”


%d blogueiros gostam disto: