ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO MARANHÃO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DO DEPUTADO OTHELINO NETO DATA – 23/04/2015 .

OTHELINO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO MARANHÃO

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DO DEPUTADO OTHELINO NETO

DATA – 23/04/2015

_______________________________________________

O Deputado OTHELINO NETO (PC do B ) defende licitação para transporte de ferry-boat e critica serviços e privilégios de empresas

 

 O deputado adiantou, na tribuna, que avalia a possibilidade de apresentar um Projeto de Lei, extinguindo a isenção de impostos estaduais para as empresas de ferry-boat

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) destacou, na sessão desta quinta-feira (23), a realização de uma audiência pública, nesta sexta-feira (24), às 9h, no auditório da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), que vai começar a discutir, abertamente, com a sociedade a proposta de licitação para o Serviço Público de Transporte Aquaviário Intermunicipal de Passageiros, Cargas e Veículos na modalidade ferry-boat, no trajeto Ponta da Espera/Cujupe. O parlamentar criticou os péssimos serviços prestados pelas empresas, na Baixada Maranhense, e os privilégios de isenção que elas conseguiram, graças à omissão histórica do Estado em relação ao setor.

 

A audiência será conduzida pela Agência Estadual de Mobilidade Urbana, sob a coordenação do presidente Arthur Cabral Marques, e a discussão sobre a abertura do processo de licitação foi determinada pelo governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). Além de representantes de secretarias de governo e entidades civis organizadas, empresários do setor foram convidados para participar da discussão.

 

Segundo Othelino, atualmente, as empresas, que realizam o transporte via ferry-boat, operam com base em permissão precária. Para o deputado, a partir da licitação, o Estado tem como objetivo definir critérios que garantam à população a prestação de serviços de qualidade.

 

“O governo Roseana não moveu ´uma palha´ para resolver o problema. Há, assim, uma grande diferença deste governo para a gestão passada. Este é um governo que tem atitude. No passado, esse assunto era considerado de menor importância, talvez pelo desprezo que o governo anterior tinha pela Baixada Maranhense”, disse Othelino.

 

Audiência e extinção de isenção

 

Na tribuna, Othelino informou que a Assembleia Legislativa já aprovou a realização de uma audiência pública, de sua autoria, que acontecerá no dia 14 de maio com o objetivo de discutir, amplamente, os problemas e as soluções para o serviço de ferry-boat. “Quem viajar no ferry de caminhonete vai pagar R$ 80. Só um veículo desse já cobre a taxa que o ferry-boat paga quando atraca aqui na Ponta da Espera ou no Cujupe. Só para que se veja o tamanho do absurdo que é essa situação, esse negócio da China que foi entregue para essas duas empresas”, disse.

 

O deputado adiantou, na tribuna, que avalia a possibilidade de apresentar um Projeto de Lei, extinguindo a isenção de impostos estaduais para as empresas de ferry-boat. Disse que vai discutir com o secretário da Fazenda, Marcellus Ribeiro Alves, e com o presidente da Agência Estadual de Mobilidade Urbana, Arthur Cabral Marques, para verificar se o fim dessa isenção não poderia provocar pressão por aumento das passagens.

 

“Mas creio que a extinção dessa isenção não provocaria essa pressão por aumento. Já avalio as possibilidades concretas de tentar acabar com esse privilégio imoral para essas empresas que faturam milhões e afrontam os baixadeiros do Maranhão, prestando péssimos serviços para todos nós”, afirmou Othelino.


Governistas voltam a defender contrato firmado pelo Detran

GOVERNISTAS

 

 

 

 

Os deputados Othelino Neto (PCdoB) e Rogério Cafeteria (PSC) voltaram a defender, na sessão desta quarta-feira (22), o contrato feito pelo Detran com a BR Construtora e disseram que o fim de outros contratos de terceirizadas vai gerar economia de R$ 10 milhões para o órgão. O primeiro enfatizou que o desembargador José Castro não foi levado ao erro quando deu liminar validando o contrato temporário com a empresa.

Othelino disse que a oposição tenta prolongar agora o assunto depois de ver a decisão anterior do juiz Clésio Cunha, que mandava suspender o contrato, ser revista pelo desembargador. “Certamente, ele está lá na função de desembargador porque tem o preparo para analisar tecnicamente os autos e daí proferir a sua decisão. Ele entendeu que houve legalidade”, afirmou.

“É preciso que se tenha cuidado, porque, com o intuito de ofender o governo do Estado, de criar essas dúvidas quanto à legalidade, e neste caso falamos do contrato do Detran, acaba se atingindo instituições que estão apenas cumprindo com o seu dever. Eu tenho certeza e estou confiante de que o desembargador, ao dar aquela decisão, deu baseado na análise daquele processo”, enfatizou Othelino.

Rogério Cafeteria bateu na mesma tecla e lembrou que, quando saiu a decisão em primeira instância, o governo não emitiu qualquer tipo de crítica. “Eu acho que não cabe agora ficar contestando decisões e, pior, insinuando que um desembargador pode ser suscetível a um “engano”. Um desembargador não seria ingênuo a esse ponto. Eu queria reafirmar, não apenas a economia feita, isso é muito claro, mas todas as empresas, que tiveram os seus contratos cancelados, faziam parte do TAC assinado com o Ministério Público do Trabalho”, explicou.

De acordo com o deputado, “essas empresas que faziam parte principalmente da área de informática, apesar de não constar no contrato, forneciam mão-de-obra sim, quase na totalidade da área de informática que era servida por servidores terceirizados dessas empresas, sendo que não previam isso no contrato”.


POLÍTICOS AMIGOS DO DIRETOR FINANCEIRO DO SISTEMA PERICUMÃ DE COMUNICAÇÕES NEGAM AJUDA AO SEU ÚNICO FILHO PEDRO HHYAN (03 ANOS) QUE VEIO A ÓBITO NO HOSPITAL MATERNO INFANTIL DE PINHEIRO-MA.
.
DESABAFO DE UMA MÃE QUE PERDEU SEU FILHO PEDRO RHYAN DE TRÊS (03) ANOS DE IDADE POR NEGLIGÊNCIA MÉDICA NO HOSPITAL MATERNO INFANTIL. EM PINHEIRO, NO DIA 16 /04/2015.

O dia das mães se aproxima e eu não terei motivo para sorrir, pois por irresponsabilidade, negligência e omissão de socorro, não tenho mais o meu bebê para me chamar de mãe todos os dias.

Não sei se as pessoas me entendem se conhecem o tamanho da dor que estou sentindo, não tem remédio, não tem palavras, tudo está ferido, tudo perdeu o sentido, parece que não existo mais, meu único filho, minha única razão de viver.

Agora o que me acompanha são as lembranças de como eu era feliz até que algumas pessoas sem dó nem piedade tirassem meu filho de mim. Não tenho mais forças, não tenho mais vida, pois tudo que eu tinha me foi tirado de forma brusca, não quero que nenhuma mãe sinta o que estou sentindo agora.

Entreguei meu filho no centro cirúrgico do hospital para fazer uma simples cirurgia de hérnia que duraria apenas vinte minutos, deixei aos cuidados desses monstros vestidos de branco: Dr. Lima, Dr. Geraldo (o anestesista) e Drª. Adriana e algumas enfermeiras despreparadas que me trataram muito mal no momento de tanto desespero.

Quando me entregaram o meu filho depois da cirurgia foi aos gritos de tanta dor de cabeça, com vômito e depois veio às convulsões e eu procurei o Dr. Lima e ele falou que era normal, era o efeito da anestesia. E eu o tempo todo pedindo o encaminhamento para levá-lo para São Luis e eles não deixaram, o meu filho passou mal o dia todo e entrou pela noite dando crise em cima de crise, e quando resolveu liberar, ele já estava em coma, me ajoelhei, gritei e implorei por socorro e eles pareciam não me ouvir.

A diretora do hospital Ana Cecilia depois de muita insistência minha, ela resolveu ligar para o anestesista Dr. Geraldo e ele não deu importância só apareceu lá somente às duas Horas da manhã.

Fui maltratada por todos que estavam de plantão, médicos, enfermeiras, anestesista e inclusive até os vigias, era como se eu quisesse muito do hospital, mas na verdade eu só queria ajuda para salvar o meu filho.

Durante o dia todo quando vi que ainda poderia fazer alguma coisa para salvar o meu filho, procurei amigos políticos da cidade que tinham condições de ajudar conseguindo um avião para levá-lo para São Luis, liguei e não tive retorno, essa ajuda nunca chegou. Então resolvi pedir ajuda às três horas da manhã para um amigo que é secretário do município de CHAPADINHA que prontamente me atendeu, enviando uma ambulância toda equipada para nos esperar na Ponta da Espera o qual eu agradeço muito, mesmo não dando tempo de meu filho chegar vivo para ser atendido, esse amigo se mostrou disposto a nos ajudar. Hoje sinto VERGONHA de ser Pinheirense, saber que um município como Pinheiro não tem U.T.I. e nem mesmo uma ambulância com uma mini-U.T.I. mandaram o meu filho em coma pelo Ferry-Boat em uma ambulância sem nenhuma estrutura, apenas no soro, isso era desumano pela gravidade do problema. E hoje mesmo depois desse crime bárbaro esses que se dizem profissionais ainda continuam atuando no mesmo hospital, como se nada tivesse acontecido, colocando muitas vidas em risco.

Eu fui ingênua em acreditar nas falsas palavras desses incompetentes, que por falta de preparo meu filho foi tirado de sua família de uma forma fria e irresponsável. Hoje ele está ao lado do Pai intercedendo por nós e principalmente por aqueles que lhe tiraram o direito e a alegria de viver.

De Ana Ribeiro, mãe de Pedro Rhyan, mais uma vitima da negligência médica do Hospital Materno Infantil de PinheiroANA


TRESLOUCADA  PAIXÃOimages 1000

Em mim uma sombra
Em teus olhos a luz
Refletida na tua flama
O sol que me leva a ti

Teus olhos me atraem
Devoram-me e me induz
Arrebatando-me ao êxtase
Para uma vontade incontida…
Desmedida de prazer…

Tento fugir da recordação
Esbarrando-me na incerteza
Deparando-me na duvida
Do vicio de te amar
Ou do meu próprio desejo

Esse teus olhos…
Que refletem a minha lua
São os irresistíveis vislumbres
Que invadem meu coração
Iluminam minha alma
Tocando fundas minhas emoções

Os teus olhos castanhos vivaz
São ternas estrelas do meu céu
Espelho do meu destino
Clarão da minha vida
Luz do meu caminhar

Os teus olhos são o fascínio vivo
Do meu ser e da minha inspiração
Mesmos cruéis hão de sobrevir
Se perversos ou enigmáticos
Teus olhos serão eternos lúmens…
Da minha tresloucada paixão.

 


 

Abatido pela corrupção, ‘Salangô’ é ‘ressuscitado’ por Flávio Dino após rombo de R$ 70 milhões

O projeto de irrigação Salangô foi oficialmente reativado pelo Governo do Estado, na manhã deste sábado (18), quando Flávio Dino também anunciou investimentos na ordem de R$ 3 milhões para o projeto, marcando a abertura da colheita 2015. A reativação do Salangô beneficiará cerca de 457 famílias de agricultores distribuídas em várias associações.SANGALÔ


ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO MARANHÃO

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DO DEPUTADO OTHELINO NETO

DATA -16/04/2015

OTHELINO Deputado Othelino disse que o prefeito conviveu com a permanente sabotagem da sua administração, nos últimos dois anos

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) rebeteu, na sessão desta quinta-feira (16), críticas da oposição à gestão do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr (PTC). Segundo o parlamentar, o petecista foi obrigado a administrar, durante dois anos, sem apoio do governo Roseana Sarney, a capital maranhense porque não quis se curvar ao grupo dominante que só liberava convênios e recursos para o seu próprio grupo.

Othelino disse que o prefeito conviveu com a permanente sabotagem da sua administração e que a ex-governadora não só deixava de repassar verba e firmar convênios, como também não cumpria o seu papel e, com seu grupo, ainda trabalhava para evitar que viessem recursos federais para a cidade. E ainda, segundo o deputado, fazia campanha permanente, utilizando o seu aparato de comunicação contra o prefeito, isto porque ele não aceitou ser cooptado pelos antigos mandões do Maranhão. “Ele não caiu no conto do vigário”, frisou.

Dirigindo-se aos deputados Wellington do Curso (PPS) e Andrea Murad (PMDB), Othelino disse que os parlamentares cometeram injustiça por um lado quando falam que a “Prefeitura estaria destruída”, porque isso, de fato, não é real. Para o vice-presidente da Assembleia, o prefeito lida com demandas que só aumentam e administra uma cidade, que tem mais de um milhão de habitantes, e que, nos últimos dois anos, foi discriminada pelo governo do grupo Sarney.

“Se tivesse ido para lá bater continência para a ex-governadora Roseana, Edivaldo teria tido um tratamento completamente diferente. Cidades muito menores do que a capital maranhense foram beneficiadas com milhões do governo do Estado, enquanto a Prefeitura de São Luís e seu povo receberam apenas o desprezo”, comentou.

Eleições passadas

Sobre as eleições passadas, Othelino esclareceu que Edivaldo participou da campanha do governador Flávio Dino, ativamente, mas dentro daquilo que a lei permite e sem deixar de cumprir com as suas obrigações, que são muitas e diárias de prefeito de uma cidade cheia de problemas e de dívidas que ele tem que administrar.

Othelino destacou ainda que as coisas estão mudando porque o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), sabe das suas responsabilidades, tanto que assinou, nesta quinta-feira (16), o convênio para obras de pavimentação na capital maranhense. “Os problemas existem sim. São anteriores à sua gestão e vão ser enfrentados, pela primeira vez, com o apoio do governo”, frisou.

Manipulação

Em aparte, o deputado Edivaldo Holanda (PTC) disse que o deputado Wellington, autor das críticas, estaria sendo manipulado politicamente. “Ele atende a um comando externo que o manipula no plenário desta Casa. Os ouvidos dele, o coração e a mente estão ligados num projeto cuja manipulação da sua atuação o torna, cada vez, menor”, comentou.

Edivaldo Holanda disse também que Wellington tem que honrar o mandato que recebeu do povo e deixar que os cordões que o manipulam sejam cortados por ele mesmo. “Que ele possa ter a sua atuação de parlamentar. É um professor. É um homem de raciocínio. É inteligente e ele poderá ainda, porque tem os quatro anos pela frente, desenvolver um grande trabalho em favor do povo do Maranhão”, finalizou.


 

Fonte Jornal Pequeno

espaco_publico_flavio_dino_foto_agencia_brasilComeça nesta segunda programa de rádio ‘Conversando com o Governador’

O governador Flávio Dino inicia nesta segunda-feira (20) o programa de rádio “Conversando com o Governador”. O programa jornalístico semanal terá duração de cinco minutos e será transmitido pela Rádio Timbira AM e dezenas de emissoras em todo Estado. Dinâmico e interativo, o programa terá perguntas enviadas pelos ouvintes via redes sociais, telefone e serão gravadas com o governador Flávio Dino. O programa vai ao ar todas as segundas-feiras a partir das 7h

 

 

 


Sessão especial celebra aniversário dos 70 anos da independência do Vietnã

14/04/2015 17:21:00 – Agência Assembleia

 

 

A Assembleia Legislativa realizou, na manhã desta terça-feira (14), sessão especial comemorativa do aniversário de 70 anos da Independência do Vietnã, que teve a presença do embaixador daquele país, Nguyen Van Kien; do secretário-chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares; e do secretário de Estado da Articulação Política e presidente do PCdoB no Maranhão, Márcio Jerry.

 

A solenidade, presidida pelo deputado Humberto Coutinho (PDT), foi iniciada com a execução do Hino Nacional da República Socialista do Vietnã. O autor do requerimento, deputado Othelino Neto (PCdoB), fez uso da palavra, explicando que tomou a iniciativa de propor a sessão especial, também como forma de promover celebração dos 40 anos do fim da guerra do Vietnã.

 

“Esta Casa vive hoje este momento especial de celebração da importância de um povo que, de forma corajosa e heróica, luta por sua sobrevivência em uma das áreas mais importantes da Ásia, na fronteira com a China”, afirmou Othelino Neto. Ele frisou também a importância do estreitamento das relações diplomáticas e econômicas do Brasil com o Vietnã.

 

Ainda no seu discurso, Othelino afirmou que assim como o Vietnã venceu uma guerra contra os Estados Unidos, o PC do B venceu a guerra política no Maranhão contra um grupo dominante. Completou chamando a atenção para a questão das conquistas comunistas e destacou o espírito de luta dos vietnamitas.

 

“Foi aqui no Maranhão que foi eleito o primeiro governador comunista da história do Brasil. Encontramos um Estado pobre, com os piores indicadores do país. Não precisamos usar armas, mas nós tivemos adversários e oponentes fortes e arrogantes, e conseguimos derrotar essa oligarquia que até hoje não se conformou com a perda do poder. E, na história real do Vietnã, sabemos que seu povo foi um povo herói, de muita coragem, por conhecer bem o seu território, aplicando táticas de guerrilha para se defender utilizando como ferramenta subjetiva, o amor a sua terra e seu povo, e como objetiva soube se preparar para combater e forçar a saída dos invasores”, analisou

 

O secretário de Articulação Política e presidente do PCdoB no Maranhão, Márcio Jerry, fez uma abordagem sobre o legado das lutas emancipatórias do Vietnã, frisando o exemplo de luta dado por este povo asiático para todo o resto do mundo. “Com esta homenagem ao Vietnã, celebramos valores como a defesa da igualdade das pessoas, a fraternidade e a cooperação entre os povos”, discursou Márcio Jerry.

 

A sessão especial teve também a presença do conselheiro comercial do Vietnã, PhamBaUong; do secretário do embaixador do Vietnã, Le Tung Son; e da secretária municipal de Informática e Tecnologia, Tati Lima, na condição de representante do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior.

 

Ao fazer uso da palavra, o embaixador do Vietnã, Nguyen Van Kien, afirmou que há 26 anos existe uma relação de cooperação entre o seu país e o Brasil. “O Brasil é o maior parceiro comercial na América Latina. Temos a intenção de continuar com essa parceria e o Maranhão está inserido nessa nova rodada de negócios. Iremos implantar essa cooperação o mais breve possível”, afirmou.

 

Ao final da solenidade, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho, também enalteceu o aniversário da independência do país asiático, destacando a projeção internacional do Vietnã, buscando ser um país cada vez mais industrializado e moderno e que preserve o seu patriótico legado histórico com profundidade. A cerimônia foi encerrada com a execução do Hino Nacional do Brasil.


ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO MARANHÃO

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DO DEPUTADO OTHELINO NETO

DATA – 13/04/2015

Deputado denuncia falhas no atendimento do Banco do Brasil em Pinheiro

 

 Othelino Neto disse que enviará ofício ao Banco do Brasil, solicitando audiência para tratar da questão

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) denunciou, na sessão desta segunda-feira (13), o sofrimento pelo qual estão passando os moradores da Baixada Maranhense, em especial da cidade de Pinheiro, por conta do atendimento do Banco do Brasil na região. “São constantes as cenas de idosos esperando horas na fila, mesmo no preferencial. Há pessoas que demoram uma hora ou mais para serem atendidas”, observou.

 

Segundo o deputado, o BB de Pinheiro atende não só os correntistas e usuários de serviços naquela cidade, como também de diversos municípios vizinhos. “Já houve casos, inclusive, de pessoas que passaram mal na fila do banco. E, neste último final de semana, recebi, mais uma vez, a reclamação, através de um grupo de WhatsApp, além de ter lido uma matéria que foi publicada no blog do professor Sandro Lima”, comentou.

OTHELINO


REQUERIMENTO N° 012 / 15 REPUBLICAR EM 12.02.15 Senhor Presidente, Na forma regimental requeiro a V. Exa. Que, depois de ouvida a Mesa, seja transcrito nos Anais da Casa o artigo do Editorial intitulado O fim da esbórnia oficial, publicado no Jornal Pequeno, edição de hoje, 10 de fevereiro de 2015, onde o autor aborda a forma como os bônus litúrgicos e mordomiais de um governante foram dispensados pelo novo governador do Estado, Dr. Flávio Dino. SALA DAS SESSÕES DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO MARANHÃO, 10 de fevereiro de 2015 – OTHELINO NETO – Deputado Estadual

O fim da esbórnia oficial

OTHELINO

Os bônus litúrgicos e mordomias de um governante foram dispensados pelo governador Flávio Dino. E é até natural o espanto dos barões assinalados que, quando no domínio da nação maranhense, se acostumaram a escorregar no mármore de carrara dos palácios e a abastecer o próprio estômago com nobres iguarias só permissíveis aos imperadores, nababos e, vez por outra, a doleiros e executivos de grandes empreiteiras do Brasil.

É estranho mesmo, para um Maranhão em que até ontem os amigos do poder faziam surgir mansões do nada e seguranças cruzavam os ares do país a bordo de jatinhos alugados com dinheiro público, que um governante dispense a suntuosidade do Palácio dos Leões e vá morar com sua família num apartamento de sua propriedade. Estranho, mas um exemplo irrefutável de desprendimento nessa terra pobre, de gente pobre e indignada diante dos gastos do sarneisismo e com a esbórnia oficial.

Com as festas regadas a lagostins e champagnes francesas, enquanto o governo não tomava conhecimento do piso salarial dos professores e até gasolina faltava nas viaturas da Polícia Militar. Um governante que não ocupa a Casa de Veraneio com jantares e almoços principescos para comemorar, quem sabe, a falta de acesso do povo à Justiça é, de fato, uma figura estranha ao universo dos lordes acostumados a comer as sobras e excessos dos que se refestelavam no poder.

Um governador em voo de carreira, que se nega a tomar do dinheiro do povo e pagar 50 mil reais por alugueis de jatinhos é, para esses lordes, alguém que não merece admiração porque com ele só o povo se identificará. Esse governador, preocupado mais em reduzir os índices de criminalidade que em alimentar colunistas com caviar russo, que prefere o discurso social aos benefícios da liturgia, sabe que foi eleito pelos que comem arroz com feijão e, talvez por isso, se sinta melhor sentado ao lado do motorista que o elegeu.

Trata-se, pois, de deixar bem claro que estamos diante de uma nova ordem política, de governar um povo que amargou durante muitos anos a ausência de um governo que com ele realmente se importasse; trata-se de impor limites aos gastos da máquina pública e de, como primeiro mandatário do Estado, absorver a consciência dessa nova ordem.

Acabou a esbórnia oficial, acabaram-se os festejos nos cofres públicos, as comissões degradantes, os privilégios de casta.

É preciso vencer essa tendência do Estado para o esbanjamento de recursos públicos. Pelo Estado perdulário paga o povo com falta de saúde, segurança e educação. É preferível um governador em voo de carreira, que um povo correndo de medo dos gastos do governador. Como, aliás, aconteceu durante muito tempo no Maranhão. (Editorial do JP)


%d blogueiros gostam disto: