Em uma operação desencadeada na manhã desta quinta-feira (18), as policias civil e militar conseguiu efetuar a prisão de Agailton Ventura Guajajara, com apoio da comunidade indígena e do poder Executivo do município de Jenipapo dos Vieiras. A prisão foi em decorrência de suspeitas a diversos assaltos ocorridos na BR 226.

De acordo com o delegado Renilto Ferreira a ação foi realizada em várias aldeias indígenas que compõem a reserva Cana Brava que corta 22km da BR 226, entre Grajaú e Barra do Corda. A finalidade da atuação era localizar e prender homens responsáveis pelos constantes assaltos na BR.

Agailton que estava foragido da justiça e, que já é bem conhecido por policiais e suas vítimas pelos requintes de crueldade e violência durante as ações criminosas.  É apontado como um dos líderes de assaltos efetivados na BR 226, local onde age a vários anos. Para a polícia essa prisão é muito significativa, haja à vista as constantes viabilizações de ações para coibir essa prática criminosa.

Até o momento quatro pessoas foram detidas para esclarecimentos junto as forças policias. O trabalho continua intensificando o combate dessa modalidade de crime.

 ASCOM/SSP-Ma.


A polícia prendeu três homens que invadiram uma funerária e assaltaram todas as pessoas que participavam do velório de uma idosa.

O assalto aconteceu no final da tarde deste domingo no bairro da Cidade Nova, primeira etapa, Zona Norte de Manaus.

Os assaltantes Carlos Portelgar Souza Reis, 27, Gilson de Carvalho SAraiva, 23, e Jefferson Guimarães Reis, 21, foram presos cerca de duas horas depois por uma guarnição da 14ª Companhia Interativa Comunitária.

Eles caíram em uma blitz de trânsito que estava sendo realizada nas imediações do local do assalto.

 

Jefferson chamou os dois homens

para fazer o assalto (Foto: Divulgação)

Jefferson Guimarães trabalhou na funerária durante algum tempo e foi ele quem convidou Carlos e Gilson para realizar o assalto.

 

As vítimas tiveram que entregar dinheiro, jóias e telefones celulares. Os criminosos usavam armas de fogo de brinquedo e uma faca.

Os três homens foram apresentados no 14º Distrito integrado de Polícia (DIP) e autuados em flagrante por crime de roubo majorado.


Resultado de imagem para imagens de armas de fogo calibre 38

Duas pessoas morreram por disparo de arma de fogo em bairros diferentes.
Em outras ocorrências, dois homens morreram por acidente de trânsito.

Até a manhã deste domingo, sete mortes foram registradas no Instituto Médico Legal (IML) de São Luís, entre as quais duas por acidente de trânsito, além de dois homicídios por arma de fogo e uma pessoa que foi vítima de espancamento.

As vítimas no trânsito foram dois homens. Ítalo Maycon Montelo Campos de 25 anos morreu depois de ser socorrido ainda para o Hospital Djalma Marques (Socorrão I), no Centro de São Luís. A outra ocorrência foi no Ipase. Madson Serra Souza morreu aos 27 anos depois de colidir o veículo contra uma estrutura de concreto perto da Ponte do Caratatiua. Ainda sobre trânsito, só que nas estradas federais no Maranhão, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que quatro pessoas ficaram feriadas em acidentes não detalhados.

Imagem relacionada

Já os homicídios foram por disparo de arma de fogo e apenas uma vítima foi identificada. José Mercedes Silva de 27 anos foi levado ao Hospital Clementino Moura (Socorrão II), mas não resistiu aos ferimentos. O outro crime desta natureza foi na Vila Cafeteira e o corpo do homem deu entrada no IML sem identificação. Quem também não foi identificado foi um homem vítima de morte por espancamento na Janaína.

Por fim, a morte de Aluísio Holanda Lima Júnior de 21 anos está sem causa determinada. OI corpo procedeu da Upa do Bacanga. Enquanto que José Ailton Jesus dos Santos de 40 anos, morador do Maracanã, morreu de infarto, de acordo com o relatório do instituto.

Do G1 MA /  12/03/2017 12h00 – Atualizado em 13/03/2017   07h10  www.jgmoreira.com.br / com fotos ilustrativas


Criminosos usaram de tortura psicológica para roubar objetos em residência.
Em troca de tiros com a polícia, dois morreram e outros três foram detidos.

Uma família viveu momentos de terror na noite desse sábado (23) no bairro do Gapara, Região Metropolitana de São Luís (MA). Criminosos usaram de tortura psicológica para roubar dinheiro e objetos em residência. Em troca de tiros com a polícia, dois morreram e outros três foram detidos.

O caso aconteceu por volta das 21h, quando seis suspeitos invadiram o local rendendo o caseiro. Na casa, estavam ainda o proprietário de 57 anos e outras sete pessoas da mesma família, entre elas uma criança de cinco anos.

No interior da residência, os criminosos buscavam dinheiro e objetos. Para obter o que queriam, eles ameaçaram cortar o dedo da criança e chegaram a trancar todas as vítimas em um quarto.

  • Suspeitos identificados
Mortos:
– Janderson Mendes Farias, 18 anos;
– Jhonatan Santos da Conceição, 17 anos;
Capturados:
– Yuri Francisco Sousa dos Santos, 18 anos;
– Railson Bezerra Cardoso, 21 anos;
Foragido:
– Lucas Silva Marques

Em uma rápida ofensiva, policiais de duas equipes do 1º Batalhão de Polícia Militar (BPM) conseguiram deter três dos suspeitos. Outros dois foram atingidos durante uma troca de tiros, foram encaminhados para o Hospital Djalma Marques (‘Socorrão I’), no Centro da capital maranhense, mas não resistiram e morreram. Um dos suspeitos está foragido.

Entre os suspeitos mortos, um era adolescente de 17 anos. Já entre os detidos pela PM-MA, um tem 14 anos e permanece apreendido no Plantão Central de Polícia Civil da Vila Embratel, onde o caso foi registrado.

Os outros presos já foram encaminhados ao Centro de Triagem do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Com eles, foram recuperadas armas e objetos roubados das vítimas.

Os corpos dos suspeitos mortos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML), que neste domingo recebeu outros sete corpos – sendo outros dois de vítimas de armas de fogo e um de arma branca.

Do G1 MA


adriana

O Vereador Sílvio Bedí (PRP) de Viana, e sua esposa, Adriana Guimarães, ex-secretária de educação do município, foram alvos de assalto ontem domingo, 20/03, por volta das 18h30, próximo do município de Matinha, a 222 km da capital São Luís, na Baixada Maranhense, local onde o casal possui um posto de combustível.

Populares informam que  o vereador reagiu ao assalto tendo sido atingido juntamente com sua esposa por vários tiros pelos dois bandidos que tentavam levar a renda diária do estabelecimento.

ma_09490_44580_13

Adriana Guimarães não resistiu aos ferimentos e veio a óbito, sendo que o seu corpo ainda se encontrava no Hospital de Matinha, até o momento desta postagem.

Noticiais enviadas a este Blog, dão conta que o Vereador Silvio Bedi, ferido com dois projéteis no braço e no abdome foi transferido para um Hospital em São Luis-Ma.

Até o presente momento os assaltantes encontram-se foragidos e as polícias Civil e Militar de Viana ainda não se pronunciaram oficialmente sobre o crime .

 


três-assassinados-em-esperantinópolis-1024x576

images (4)

 

O crime foi por volta das 20h30. Os três trafegavam em uma motocicleta Honda CG, de cor azul, quando foram surpreendidos

HOMICÍDIO

 – 07h28 Atualizado 20/03/2016

A cidade de Esperantinópoles está chocada com um triplo homicídio que aconteceu, na noite da última quinta-feira (17). As vítima forma um homem, uma mulher e o filho dela, mortos a tiros, entre os povoados Bela Vista e Centro do Meio.
O crime foi por volta das 20h30. Os três trafegavam em uma motocicleta Honda CG, de cor azul, quando foram surpreendidos por pessoas, ainda não identificadas, que realizaram a execução com vários disparos de arma de fogo.
Manoel Alves Sousa, de 42 anos, levou seis tiros; a cunhada, identificada apenas como Antônia, de 34 anos, foi alvejada com três tiros, e o filho Caíque, de nove anos, também, morreu com três disparos. Há a suspeita de que os homens queriam matar apenas Manoel Alves, mas acabaram matando a cunhada e o sobrinho dele também.
A Polícia Militar esteve no local, mas, até o momento, não há pistas dos suspeito

ASSALTO HOJE Bandidos invadiram academia, mas aluno reagiu, trocou tiros e matou um suspeito (Foto: Divulgação)

Publicado por em 21 de janeiro de 2016

21/01/2016 07h01 – Atualizado em 21/01/2016 07h43

Vítima que reagiu teria se identificado como policial e era aluno da academia.
Crime foi no bairro Bequimão e teve participação de outros três suspeitos.

Um assalto acabou com a morte de um criminoso em troca de tiros na noite de quarta-feira (20), no bairro Bequimão, em São Luís, quando um aluno reagiu à ação e baleou um dos quatro assaltantes. O homem que matou o assaltante teria se identificado como policial. Ele não foi encontrado.

Segundo a polícia, o assalto aconteceu por volta de 20h e teria tido a participação de quatro suspeitos armados que entraram na academia e renderam funcionários e alunos. A troca de tiros começou logo que um aluno reagiu à ação dos assaltantes, assustando ainda mais os alunos. O tiroteio foi interrompido minutos depois quando um dos suspeitos caiu baleado.

Os outros três bandidos fugiram levando os pertences dos clientes. O grupo estava em um carro Hyundai HB20 de cor branca.

De acordo com a polícia, as investigações vão dizer se o aluno que reagiu ao assalto é mesmo policial.

O suspeito morto durante tiroteio foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) e ainda não foi identificado. A academia onde houve a ação ficar na parte de trás de uma casa e por isso não foi permitida a entrada da imprensa no local.


Suspeitos de assalto a banco presos no Maranhão (Foto: Alessandra Rodrigues/Mirante AM)

MSuspeitos Luís Alberto, 29; Wellyson, 22; e José Maria, 55 (Foto: Alessandra Rodrigues/Mirante A)

17/01/2016 11 h 08 – Atualizado em 17/01/2016 18 h 09

Filho de ex-vereador é preso suspeito de assalto a banco no Maranhão

Operação da polícia desarticulou grupo suspeito de assaltar banco em Icatu.
Ao todo, três foram presos e dois mortos em confronto com a polícia.

Do G1 MA

Dois suspeitos foram mortos e outros três, presos, durante operação das polícias Civil e Militar realizada no sábado (16), próximo a Rosário, no Maranhão. Foram detidos Luís Alberto Freitas Alves, de 29 anos, que seria filho do ex-vereador Adalberto Rocha Alves, o “Dako”; José Maria Marques Cantanhede, 55; e Wellyson de Sousa Santos, 22. Os dois suspeitos mortos ainda não foram identificados. O grupo é suspeito do assalto à agência do Bradesco ocorrido na terça-feira (12), em Icatu (MA).

Quadrilha usava mapa para transitar pelo Estado (Foto: Alessandra Rodrigues/Mirante AM)Quadrilha usava mapa para transitar pelo Estado
(Foto: Alessandra Rodrigues/Mirante AM)

O delegado Tiago Bardal disse, em entrevista coletiva neste domingo (17), que o assalto a bancos tem sido um dos meios utilizados pelos políticos para o financiamento de campanhas eleitorais no Estado.

“A gente vem batendo na mesma tecla. Infelizmente, em ano eleitoral cresce o roubo a banco. No Maranhão, teve, no ano passado, um combate forte à agiotagem, que era um meio que eles procuravam para lançar campanha, assim como o tráfico [de drogas]. O outro é o assalto a banco. Como no tráfico já foram apreendidas duas toneladas de drogas recentemente, o investimento no assalto a bancos tá sendo usados por eles agora”, explica Bardal.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP-MA), após o assalto, foram montadas barreiras policiais na região. Um caminhão não teria obedecido à ordem de parada e iniciou troca de tiros, ocasião na qual foram presos José Maria e Luís Alberto, que auxiliava os assaltantes na fuga, segundo o delegado Tiago Bardal.

Na manhã de sábado, uma equipe da Polícia Civil abordou um veículo suspeito em Morros. Ao perceber a presença policial, o grupo tentou fugir por uma estrada vicinal, mas o carro teria atolado na areia.

Dois conseguiram fugir e Wellyson Santos foi preso. A polícia continuou em busca dos foragidos, quando houve troca de tiros e os dois suspeitos acabaram mortos.

Nas diligências, foram apreendidos uma metralhadora ponto 45, uma escopeta calibre 12, uma pistola ponto 40 de uso da Polícia Militar do Piauí e grande quantidade em dinheiro, provavelmente proveniente do roubo ao banco.

Os presos foram levados para a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), emSão Luís, onde foram aututados por roubo qualificado e associação criminosa e, depois, encaminhados para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, na capital.


 

POLICIA III 005Mesmo antes de se pensar em fazer discurso laudatório da apologia mais imbecil dos últimos tempos que tenho ouvido “PINHEIRO LUGAR BOM DE VIVER”, este rincão Maranhense já era a localidade da Baixada com o maior índice de violência. Este  numero vem crescendo assustadoramente nos últimos anos desde 2010, (segundo pesquisa) deixando a população preocupada com a falta de segurança. Todos os dias novos acontecimentos acometido por atos violentos que leva a intitular a cidade de Pinheiro, de: “CIDADE SEM LEI”

Ontem por volta da 17 horas, desta quarta feira14/10, mais um ato de violência praticada por assaltantes aconteceu no centro da cidade de Pinheiro na loja de artefatos “PLASTICOS E COUROS”, dois assaltantes abordaram um senhor conhecido  por Inácio, de profissão sapateiro.

Os dois meliantes chegaram numa moto branca já com arma em punho, tons costumeiros e agressivos, pedindo que o cidadão Inácio lhes repassasse o dinheiro que supostamente pensavam que ele conduzia.

Quando perceberam que o Sr. Inácio não estava de posse do que pedia, um dos assaltantes efetuou impiedosamente dois (02) disparos a queima roupa na vitima, atingindo o seu tórax.

Depois da ação criminosa os assaltantes evadiram-se  do local tomando rumo ignorado. A equipe do SAMU conduziu o baleado até o Hospital Antenor Abreu onde foi internado e tendo sido já deslocado para a capital do estado, em virtude da gravidade que se encontra a vitima.


ASSALTOS

Segundo dados do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Maranhão (STTREMA), neste mês já foram registrados 13 assaltos à ônibus. No primeiro semestre, foram contabilizados 246 casos e abril foi o mês com a maior quantidade de assaltos com 62 casos registrados. O ano passado terminou com um total de 366 assaltos a ônibus.

  • THIAGO BASTOS / O ESTADO

Muitas pessoas estão sendo obrigadas a pegar vários ônibus para evitar ficar por muito em paradas por medo de assaltos; ocorrências dentro dos coletivos também assustam

O medo ainda é o sentimento dos usuários do transporte coletivo que aguardam à noite nos abrigos da capital maranhense, especialmente após as 20h. O Estado percorreu as principais avenidas da cidade e constatou que, apesar da promessa da Polícia Militar do Maranhão (PMMA) para reforçar a segurança nos corredores de São Luís (em operação intitulada Catraca), os cidadãos ainda temem a ocorrência de assaltos no horário.

Na Avenida dos Portugueses, por exemplo, em um ponto localizado ao lado do campus do Bacanga, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), usuários priorizam embarcar em qualquer coletivo por medo. “Eu poderia até pegar outro ônibus, no entanto, como estou com medo de permanecer por aqui, vou pegar qualquer linha para ir ao Terminal e de lá, eu me viro”, disse o artesão Marcelo Ferreira, de 34 anos, morador do Sá Viana. Ele revelou ainda que o medo era tão grande, no momento em que estava no abrigo, que ficou preocupado até com a presença do veículo de reportagem de O Estado. “Quando eu vi o carro de vocês parando aqui perto, pensei logo que fosse outra coisa”, disse.

Na Avenida Getúlio Vargas, no Monte Castelo, em frente à Igreja Nossa Senhora da Conceição, vários usuários relataram ocorrências de assaltos no local. “ Eu já vi pessoas aqui sendo assaltadas. É um local muito perigoso mesmo”, disse a estudante Wendy Cristina, de 23 anos, moradora da Fé em Deus.

Ainda na Avenida Getúlio Vargas, nas proximidades de uma empresa que oferece curso técnico, pessoas que saem das aulas para pegar ônibus no horário relatam insegurança no trecho. “ Aqui eu sei que é perigoso, já vi gente passando pela avenida correndo de assaltante. Essa avenida ficou muito sujeita aos bandidos e piorou com a falta de policiamento”, reclamou o militar Jefferson dos Santos Barbosa.

Na Avenida Beira-Mar, nos abrigos instalados pela Prefeitura de São Luís, os usuários do transporte coletivo também reclamaram da falta de policiamento no trecho. “ É incrível pois a gente fica aqui e em nenhum momento nós conseguimos ver policiais. Às vezes prefiro gastar mais uma passagem para pegar logo um ônibus e sair daqui, do que ficar aqui e ser vítima de assaltos”, disse.

Motoristas – Além do temor dos usuários que esperam por um coletivo nos abrigos, motoristas e passageiros também temem a ocorrência de roubos na parte interna dos veículos. Os motoristas, em especial e em sua maioria preferem não revelar as identidades, afirmam que, em determinadas situações, preferem não parar em específicos pontos de ônibus. “Por exemplo, quando fica mais tarde, por volta das 10h da noite e no fim do turno, a gente só para no Centro e em outros abrigos em que a gente já conhece mais ou menos a pessoa”, disse um motorista da linha Cohatrac/São Francisco. Por coincidência, a linha foi a mesma usada pela jovem Alessandrina Alves, que faleceu no dia 3 deste mês após tentativa de assalto a coletivo na capital maranhense.

Procurada por O Estado, a Polícia Militar do Maranhão (PMMA) informou que tem intensificado, nos últimos dias, as operações de verificação do uso de armas no interior dos coletivos. No entanto, apesar da informação, nos pontos visitados por O Estado, não foi encontrada uma viatura da PM.