Paola está desparecida desde domingo  (Foto: Reprodução / Instagram)

Foto: Reprodução

Policiais da Divisão de Homicídios de Porto Alegre investigam se uma jovem que foi executada dentro de uma cova é Paola Avaly Corrêa, de 19 anos, que estava desaparecida desde o último domingo.

 

A família da jovem a reconheceu em um vídeo que está circulando em redes sociais.

 

Na tarde desta quinta-feira, a Polícia Civil do Rio Grande do Sul informou que o corpo da jovem foi encontrado no bairro Agronomia, na Zona Leste de Porto Alegre.

 

As imagens mostram uma mulher com mãos e pés amarrados deitando em uma cova rasa aberta no meio do mato. A jovem deita de lado, obedecendo ordens de um ou mais homens. Em seguida, é possível ouvir os disparos.

O vídeo começou a circular na segunda-feira, segundo o delegado Gabriel Bicca, da Divisão de Homicídios de Porto Alegre. As imagens foram mostradas para a família nesta quarta-feira, que afirmaram ser Paola. O delegado, no entanto, age de maneira cautelosa e diz que as duas “têm as mesmas características”.

 

A mãe de Paola Avaly está à base de calmantes e sem condições de falar sobre o assunto. Segundo uma irmã, que não quis se identificar, Paola abandonou os estudos e saiu de casa para morar no bairro Bom Jesus. A jovem foi na casa dos pais no Dia das Mães e não deu mais notícias.

— Não era de conhecimento da família que a Paola tivesse relacionamento com que alguém ligado ao tráfico. A minha irmã foi reconhecida por algumas pessoas da família que viram o vídeo, mas não permitimos que a minha mãe visse. É horrível e ela (a mãe) já está sofrendo muito — disse a irmã de Paola.

O vídeo tem cenas fortes. Sem esboçar qualquer reação, a mulher deita de lado na cova e olha para os seus (não se sabe quantas pessoas estavam no momento da execução) algozes e deita. Em seguida, são feitos dois disparos e dá para ver as faíscas saindo do revólver.

— Estamos ouvindo familiares e amigos. Segundo a família, ela parou de estudar e saiu de casa para viver no bairro Bom Jesus, na Zona Leste de Porto Alegre, uma área da cidade conflagrada — disse Gabriel Bicca.

 Paola Avaly Corrêa (Foto: Reprodução / Instagram)

A polícia apura se um corpo encontrado na Vila Tamanca, Zona Leste da cidade, é o de Paloma. A jovem é considerada desaparecida desde domingo, quando foi a última vez que foi vista pela família.

Em nota, a Divisão de Homicídios de Porto Alegre afirma que Paola tem antecedentes criminais por suspeita de receptação.

Há informações de que a jovem estava se relacionando com um homem que tem envolvimento com o tráfico. A polícia informou que Paola visitou recentemente Nathan Sirangelo, na Cadeia Pública de Porto Alegre, preso na galeria em que se concentram criminosos ligados à facção Bala na Cara. A última visita foi no dia 9 de maio.

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES!

 

 Fonte: Portal do Zacarias

O corpo de um homem ainda não identificado foi encontrado no início da manhã deste domingo (13), na Avenida Abiurana, próximo a uma fábrica no Distrito Industrial, Zona Sul de Manaus.

De acordo com informações da 7ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), uma denúncia anônima realizada por volta das 5h30 informou a localização do corpo.

O Departamento de Polícia Técnico Científica (DPTC) afirmou que a vítima possuía oito perfurações causadas por disparos de pistola ponto 40, que atingiram a cabeça e o tórax.

Nenhum documento de identificação foi encontrado junto ao corpo, que foi conduzido ao Instituto Médico Legal (IML).

O homem possui idade entre 16 e 20 anos, vestia bermuda jeans e camisa vermelha escura.

A Polícia Civil investiga o caso.

 

 


 

“Mucura” foi assassinado quando se embalava em uma rede dentro de sua casa

Mais um assassinato que pode estar ligado ao tráfico de drogas foi registrado pela polícia. Desta vez o crime aconteceu na Rua Cravinho, bairro Jorge Teixeira 2, Zona Leste de Manaus.

A vítima foi o ex-presidiário Marlon de Oliveira Simas, 26, vulgo “Mucura”, que foi executado com cinco tiros.

O ex-presidiário se embalava em uma rede em sua casa quando um homem  invadiu o imóvel e efetuou os disparos que atingiram a cabeça, o abdome e o braço direito que provocaram a morte instantânea.

A mulher de “Mucura”, que não quis se identificar, confirmou que ele era traficante e que havia saído da cadeia no mês de março deste ano depois de ser beneficiado pelo regime semiaberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj).

Um vizinho ajudou equipe do IML na remoção do corpo de dentro da casa

Já existiam ameaças de morte e o ex-presidiário teria contado isso para sua mulher, mas permanecia traficando drogas no bairro e o que menos acreditava, ao que tudo indica, é que os inimigos teriam a coragem de invadir sua casa para executá-lo.

O homem que fez os disparos que mataram Marlon “Mucura” correu para fora, subiu na garupa de uma motocicleta pilotada por um comparsa e saíram do local em alta velocidade, contaram testemunhas.

Uma equipe do Instituto Médico Legal (IML) fez a remoção do corpo. Um perito do Instituto de Criminalística juntou as cápsulas dos projéteis de pistola calibre 9 milimetros que estavam no chão da casa. Uma investigação foi iniciada pela equipe da Delegacia de Homicídios.

ATENÇÃO! IMAGEM FORTE! 

Foto: Divulgação Portal do Zacarias


João Miguel morreu depois de ser agredido pelo padrasto

O acusado sentou no peito e depois ficou  de joelhos nas  costas do enteado  provocando sua morte

O menino João Miguel Cardoso, com dois anos de idade, morreu horas depois de ser agredido pelo seu padrasto Francisco Romário Brandão, 22, que já foi preso e confessou o crime na Delegacia Especializada em Apoio e Proteção a Criança e ao Adolescente (Deapca).

A agressão aconteceu na Comunidade Parque Riachuelo, bairro do Tarumã, Zona Oeste de Manaus, na noite do último domingo.

A mãe do menino identificada como Luana da Silva, 21, e o acusado participavam de uma festa na casa de um vizinho quando ele foi levar o garoto para dormir.

Francisco Romário contou em seu depoimento que já estava com o enteado no quarto quando ele começou a chorar e também vomitou em sua roupa. Nesse momento, Francisco Romário deitou João Miguel na cama, sentou sobre seu peito e depois o verou e ficou de joelhos em cima das costas do menino

A mãe Luana da Silva chora pela morte  violenta do filho (Fotos: Divulgação)  

De acordo com a delegada Juliana Leão, que trabalha no plantão da Deapca, o padrasto voltou para a festa com o menino no colo, chamou sua mãe dizendo que João Miguel estava passando mal e foram juntos com a criança para um Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

A criança recebeu atendimento de urgência mas veio a óbito. Quando soube que o enteado tinha falecido, Francisco Romário foi embora da UPA e não retornou mais.

O médico que atendeu João Miguel informou que havia indícios de agressão física, a polícia então foi acionada e horas depois o padrasto foi preso.

O acusado sentou   no peito e depois ficou  de joelhos nas  costas do enteado  provocando sua morte (Fotos: Divulgação) 

O exame de necrópsia realizado no Instituto Médico Legal (IML) confirmou as lesões no corpo do menino e também que ele teve o fígado dilacerado e sangramento dos pulmões.

Francisco Romário foi interrogado na Deapca e confessou ter sentado no peito e ter ficado de joelhos nas costas de João Miguel.

A delegada Juliana Leão concedeu entrevista coletiva à imprensa e confirmou que o acusado confessou o crime.

A mãe da criança disse que mantinha um relacionamento amoroso com Francisco Romário havia apenas dois meses.

O autor do crime foi indiciado e vai responder por homicídio qualificado.


O corpo de um homem com idade aproximada de 20 anos, trajando bermuda azul, foi encontrado, na manhã desta sexta-feira, 27, no ramal Águas Claras, nas proximidades da Avenida das Torres, Zona Norte de Manaus.

Um perito do Instituto de Criminalística da Polícia Civil informou que o homem foi morto com três tiros na cabeça e também tinha marcas de agressão por todo o corpo.

Um caseiro que se identificou como Jaime Batista Colares, 40, foi o primeiro a encontrar o cadáver quando saiu para fazer uma capinação e deparou-se com o homem. que tinha o rosto encoberto com um saco plástico.

 

A vítima, de cor morena, não estava com nenhum documento pessoal que facilitasse sua identificação, mas uma tatuagem nas costas pode ajudar a reconhecê-lo nas próximas horas.

O corpo foi retirado do local pelo Instituto Médico Legal por volta das 9h.

 

Um dos policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) lembrou que o ramal Águas Claras sempre foi local de “desovas”.

Fotos: Divulgação


Uma família no interior do Maranhão vem sendo marcada como vítima de crimes de encomendas executados por pistoleiros, já tendo cinco mortos com o que foi assassinado hoje, 3 km da cidade de Junco do Maranhão. Marcelo era dono de rede de postos de combustíveis e fazendas. Da família dele foram executados também o irmão Valdecir, donos da rede de postos de combustíveis Santa Maria e Fabinho, que é sobrinho.

Naquele região é do conhecimento de todos uma rixa entre a família das vítimas e do fazendeiro Patrick, que encontra-se preso em Pedrinhas, acusado de comandar várias mortes em regiões do Pernambuco, assim como o provável roubo de gado e carga.

Recentemente uma irmão de Patrick foi executado numa estrada e até agora a polícia não desvendou o crime. A família e amigos do finado Valdecyr garantem que não têm nenhuma ligação com a morte do irmão de Patrick.

De acordo com as primeiras informações, Marcelo, que é evangélico e também dono de postos de combustíveis no Pará, estava na estrada quando um Corola de cor azul se aproximou e crivou e furou o carro da vítima de bala, ferindo ainda um policial de nome Belforth e um segurança. Marcelo foi levado a um hospital, não resistindo, veio a óbito.

Eles estavam saindo de Nunes Freire com destino a uma fazenda em Amapá do Maranhão, mas a execução aconteceu 3 km da cidade do Junco, quando apareceram quatros homens fortemente armados. A polícia não conseguiu localizar nenhum deles até o momento.

Textos: Blog de  Luis Cardoso

Com informações:  Mauro Garcia


Policial civil Geraldo Filho foi ao local do crime e confirmou a execução de “Loirinho”

O lavador de carros Alfeson Martins de Jesus, 23, conhecido como “Lorinho”, foi assassinado com tiros de pistola calibre 380 que atingiram os ombros, peito, abdome e cabeça, por volta de 5h da madrugada desta sexta-feira, 20, no bairro Alfredo Nascimento, Zona Norte de Manaus.

Os vizinhos ouviram gritos e disparos de arma de fogo e chamaram a polícia. “Loirinho” foi encontrado morto dentro de uma rede por policiais militares da 6ª Companhia Interativa Comunitária, que foram os primeiros a chegar no local do crime.

Um dos moradores relatou que viu dois homens chegando na frente da casa da vítima, que devia conhecê-los, porque abriu a porta para a dupla.

Não demorou muito tempo para que os tiros fossem ouvidos e logo em seguida os dois homens saíram correndo de dentro da casa e fugiram.

 

Policiais militare foram os primeiros a chegar ao local do crime

 

Equipes do IML e Delegacia de Homicídios também foram acionadas

Há suspeita de que “Loirinho” tinha envolvimento com o tráfico de drogas no bairro Alfredo Nascimento.

Uma investigação foi iniciada pela equipe de plantão da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

 

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES! 

 

 

 

 

Fotos: Divulgação:  Portal do Zavarias


Um assassinato a tiros que pode ter ligação com o tráfico de drogas aconteceu no final da tarde de ontem, terça-feira, 17, em um pequeno comércio do beco São Francisco, bairro do Tancredo Neves, Zona Leste de Manaus.

A vítima foi o presidiário do regime semiaberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), Alexandre Guimarães Jacaúna, 29, vulgo “Lilico” que usava inclusive uma tornozeleira eletrônica.

Um homem que a polícia ainda vem tentando identificar chegou no beco armado com uma pistola calibre 380 e depois de discutir com o presidiário, disparou tiros contra sua cabeça e peito, provocando morte instantânea.

O homem assassinado vinha cumprindo pena depois de ser condenado por crime de tráfico de drogas, por isso a polícia trabalho com a hipótese do crime ter sido um “acerto de contas” entre “Lilico” e vendedores de entorpecentes.

Membros da família não quiseram se identificar e só confirmaram que ele voltou a traficar drogas depois quer progrediu para o regime semiaberto e que também tinha vários criminosos como inimigos no bairro Tancredo Neves.

O corpo foi examinado pelo perito criminal do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) e logo em seguida foi removido do beco São Francisco pela equipe do Instituto Médico Legal (IML).

 

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES! 

 

 

Fotos: Divulgação Portal do Zacarias


Alessandra morreu na hora dentro da rede onde se embalava no momento que foi atingida pelos tiros

Mulher identificada como Alessandra Naiara Bezerra da Costa, 26, também conhecida como “Mulher Melancia”, foi executada na madrugada de hoje, quarta-feira, 18, com vários tiros no corpo.

Ela estava deitada em uma rede na varanda de sua casa, situada na Rua Rafael Siqueira, bairro da Colônia Santo Antônio, Zona Leste de Manaus.

Os vizinhos viram quando dois homens chegaram no local em uma motocicleta vermelha, sem placa e um deles correu até a varanda da casa e disparou pelo menos cinco tiros contra a Alessandra.

A mulher estava se embalando na rede e de acordo com as testemunhas não teve tempo de esboçar qualquer reação de acordo com apuração dos policiais da Delegacia de Homicídios.

O assassinato pode ter ligação com o tráfico de drogas naquela área do bairro tendo em vista que a “Mulher Melancia” já foi envolvida com a venda de entorpecentes e chegou a ser presa por esse crime.

O corpo foi removido ainda de madrugada pela equipe do Instituto Médico Legal e uma investigação deverá ter contiuidade no decorrer da semana.

 

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES! 

 

 

Fotos: Divulgação Portal do Zacarias


Um jovem com idade aproximada de no máximo 18 anos, trajando apenas camisa de meia marrom e uma bermuda preta, foi assassinado com tiros na cabeça e o corpo foi encontrado durante a madrugada desta terça-feira, 17, na Avenida Autaz Mirim, bairro Armando Mendes, quase em frente da fábrica Sansung, Zona Leste de Manaus.

O vigilante de uma outra empresa situada no local contou aos policiais militares que faziam o patrulhamento da área e que foram os primeiros a chegar, ter visto quando três homens pararam um carro de cor escura e retiraram a vítima do porta-malas, dispararam ao menos três tiros em sua cabeça depois de mandarem ele se ajoelhar e em seguida fugiram em alta velocidade.

Foi o mesmo vigilante que telefonou para o número 190 da Polícia Militar e comunicou o assassinato.

Numa primeira linha de investigação, policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) suspeita de acerto de contas ligado ao tráfico de drogas.

O jovem assassinado não tinha documentos nos bolsos da bermuda que usava e até a metade da manhã desta terça-feira continuava sem nenhuma identificação no Instituto Médico Legal.

 

ATENÇÃO! IMAGEM FORTE! 

 

Foto: Divulgação Portal do Zacarias