O assassinato de forma brutal do estudante do Colégio Militar Kayube de Carvalho Oliveira, 16, ocorrido no final da tarde do último domingo, 5, está sendo investigada pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

De acordo com o registro do crime, o estudante foi encontrado morto com várias facadas e pauladas, nas margens de um igarapé da Comunidade Val Paraíso, bairro Jorge Teixeira, quarta etapa, Zona Leste de Manaus.

A polícia tem duas versões para um caso e a primeira é que o estudante pode ter sido vítima de latrocínio, que  é o roubo seguido de morte, quando passava por uma área onde se reúnem muitos usuários de drogas nos finais de semana.

A segunda versão, segundo afirmaram os familiares aos policiais que investigam o crime, é que Kayube teria sido linchado por moradores do local depois de ser confundido com um bandido que tinha acabado de roubar uma jovem. Segundo essa versão, os próprios assaltantes teriam, ao perceber populares se aproximando, apontado Kayube como sendo ele o assaltante, o que teria levado ao linchamento por engano.

 

Kayube estava a caminho da igreja quando foi  abatido de forma brutal (Foto: Divulgação)  

O estudante cursava o segundo ano do Ensino Médio do Colégio Militar e a família conta que no domingo ele saiu de casa para ir à igreja que frequentava no bairro, por isso, o que todos acreditam é que os bandidos da área atacaram Kayube durante o seu percurso.

O que reforça a possibilidade de latrocínio, de acordo com um dos investigadores da DEHS, é que foram roubados o par de tênis, relógio, telefone celular e a carteira porta-cédulas com algum dinheiro do estudante do Colégio da Polícia Militar.

A investigação da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD) irá esclarecer qual das duas possibilidades resultou na morte do estudante Kayube de Carvalho Oliveira, de apenas 16 anos.


Foto: Reprodução

O leitor e assinante do blog não sabe exatamente onde ocorreu a barbárie .São imagens realmente muito fortes. Na verdade, são imagens chocantes!

Em um  instante, o homem está vivo. No instante seguinte, um tiro de fuzil… E já não há mais vida.

 

Tudo muito rápido.

 

A barbárie não ocorreu no Brasil, mas barbárie é barbárie, não importa onde ocorreu, não é verdade?

 

ATENÇÃO! IMAGENS FOPRTES!

 


Cabeça de “Negão” exposta como troféu em uma cerca

 

Uma barbárie ocorreu nesta quarta feira (04) no município de Tutóia. Segundo a polícia, o assaltante e foragido da Justiça, identificado como Negão ou Melk, assassinou a tiros o jovem Paulo Vitor Cardoso, de 24 anos, no povoado Bom Gosto, zona rural da cidade, e acabou morto por linchamento e ainda foi decapitado por populares, em um matagal.
A confusão começou em um bar, quando Negão, em companhia de dois homens, se envolveram em uma brigam. Eles mataram Paulo Vitor e balearam duas pessoas, nomes não revelados, que até a tarde de ontem estavam internadas correndo risco de morte em um hospital da cidade de Parnaíba, no estado do Piauí.
A polícia saiu à procura dos acusados e achou primeiramente a cabeça de Negão, enfiada em um tronco de uma cerca de arame em uma área de matagal. O corpo dele foi achado logo depois com marcas de violência, principalmente fraturas nos braços e nas pernas. Ainda segundo informações da polícia, ele levou ainda vários tiros e uma das balas atingiu a cabeça, que foi decapitada em uma cerca.
O delegado Rubem Sérgio dos Santos, disse que Negão deve ser natural de Vargem Grande e estava em Tutóia praticando roubos. Inclusive, ele, recentemente, teria participado de quatro assaltos nessa localidade e a polícia tinha solicitado a sua prisão ao Poder Judiciário, que já havia decretado um mandado de prisão preventiva. A polícia vinha fazendo incursão na região para prendê-lo, mas havia conseguido localizá-lo.
 
Assassinatos
Ainda segundo o delegado, após praticarem os crimes, o trio fugiu embrenhando-se em um matagal, no povoado Estiva. Os moradores, revoltados com a situação saíram em perseguição e encontraram primeiramente Negão, que foi morto por linchamento e os agressores, não satisfeitos, separaram a sua cabeça do corpo, e a deixaram sobre um esteio de cerca de arame, como demarcando o terreno e saíram a procura dos outros dois homens.
Ainda ontem a polícia foi informada e se deslocou ao povoado onde realizou incursões pela área e conseguiu prender Edenilson Oliveira e apreendeu a mulher de Chupa, uma adolescente, de 17 anos. Em poder a menor, a polícia encontrou uma quantidade de maconha e mais de R$ 2 mil.
Eles foram levados para a delegacia de Polícia Civil de Tutóia, enquanto os corpos de Paulo Vitor Cardoso e de Negão, foram removidos para o hospital da cidade onde passaram por autópsia e identificação. “Negão não era morador de Vargem Grande, mas havia chegado recentemente à cidade e estaria realizando roubos”, declarou o delegado.
 
Mais barbárie
No dia 18 de setembro, a polícia encontrou o corpo de Francisco Tristão Vieira Neto com os pés e as mãos amarradas em sua residência, no centro de Tutóia. No local havia pedaços de pano.
O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), em São Luís, para além da perícia, identificar a causa da morte. A delegacia da cidade ainda investiga esse caso visando descobrir o motivo a autoria desse crime. Há suspeita de que dois adolescentes teriam participado deste homicídio.