O caminhão já parado na contramão, pneus furados a tiros, e ao fundo o prédio do Congresso.

Após uma perseguição espetacular envolvendo ao menos 13 viaturas, policiais militares de Brasília conseguiram interceptar, com tiros nos pneus, um caminhão do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal conduzido por um bombeiro que dizia ter a intenção de colidir o veículo contra o prédio do Congresso Nacional. O fato ocorreu na madrugada deste domingo (3).

O bombeiro, que não foi identificado, tomou posse do caminhão de resgate da corporação na cidade de Ceilândia, e se dirigiu em ata velocidade para o Plano Piloto. Ainda não se sabe se a motivação do autor do atentado era política ou se se trata de alguém com problemas mentais.

Alertada, a Policia Militar acionou unidades da Rotam e da Patamo, que somente conseguiram parar o caminhão do Corpo de Bombeiros a poucos metros do Congresso, após atingir seus pneus com tiros. O condutor perdeu o controle e subiu no canteiro central, até que o veículo parou em sentido inverso à pista de acesso ao Congresso.

“Por volta das 1:30h da madrugada deste domingo (3) uma viatura do CBMDF foi retirada do Quartel, sem autorização, por um Bombeiro Militar. A Polícia Militar foi acionada via Copom (190), tendo contato visual com o veículo na via Estrutural sentido Plano Piloto. Várias ordens de parada foram dadas ao condutor, mas sem sucesso. Durante todo o percurso viaturas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros acompanhavam o veículo e balizavam o trânsito no sentido de evitar acidentes. Por volta de 1:50h, o veículo se aproximava da Praça dos Três Poderes pela via S1, momento em que viaturas do PATAMO e da ROTAM efetuaram disparos contra os pneus do veículo para interceptá-lo. O condutor foi imediatamente retirado e conduzido ao Quartel do Corpo de Bombeiros onde recebeu voz de prisão. O local foi preservado pela Polícia Militar e a perícia da Polícia Civil foi acionada”, explica a PM-DF em nota.

Em áudio do diálogo da PM com o bombeiro, é possível ouvir quando este diz que só vai parar quando bater no Congresso Nacional.

“No Congresso Nacional eu paro, no Congresso Nacional eu paro. Não vou matar ninguém, não vou atropelar ninguém, não vou passar por cima de ninguém. No Congresso Nacional eu paro”, diz o bombeiro.

Diário do Poder/