A polícia foi para o local e confirmou o encontro do cadáver na avenida dos Oitis

O corpo de um homem que a polícia ainda não conseguiu identificar foi encontrado carbonizado e com um punhal cravado na região do abdômen.

O cadáver foi encontrado por volta das o6 hs na Avenida dos Oitis, também conhecida como Estrada do Puraquequara, bairro do Distrito Industrial 2, Zona Leste de Manaus.

 

Moradores da área disseram que viram de suas casas um grande clarão provocado pelas chamas e que também saia muita fumaça do local, mas imaginavam que era alguém ateando fogo em lixo.

 

O corpo carbonizado foi retirado do local pelo Instituto Médico Legal e o caso já está sendo investigado por uma equipe designada pelo delegado Orlando Amaral, titular da Delegacia de Homicídios.

ATENÇÃO! IMAGEM FORTE! 

Foto: Divulgação



O corpo foi encontrado no final da tarde por moradores do ramal do Pau Rosa

O corpo de um homem, identificado através de sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com o nome de Isac Oliveira Ferreira, 26, foi encontrado no final da tarde do último domingo no ramal do Pau Rosa, localizado no km 21 da rodovia BR 174, que liga Manaus a Boa Vista/Roraima (RR).

Moradores do ramal encontraram o corpo, que trajava calça azul, tênis da mesma cor e de acordo com o resultado da perícia realizada no local do crime, foi morto com pauladas na cabeça. O cadáver também apresentava alguns golpes produzidos supostamente por um punhal.

A polícia foi comunicada do crime e no mesmo ramal, aproximadamente a 1 km de onde estava o cadáver de Isac, com marcas de sangue nos bancos dianteiro e traseiro, foi encontrado seu carro Fiat Pálio Fire, de cor vermelha, placa NAI 6942,  que só teria sido deixado para trás porque ficou sem gasolina no tanque de combustível.

CNH do homem foi encontrada no porta-luvas de seu carro

O corpo foi removido do ramal pela equipe do Instituto Médico Legal (IML) e o carro de Isaac foi guinchado para o pátio do Departamento de Polícia Técnica e Científica (DPTC), onde irá  passar por perícia para coleta de impressões digitais de supostos autores do assassinato.

De acordo com o delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Jeff David Mac Donald, há uma possibilidade de se tratar de um crime de latrocínio, no entanto a motivação exata deste assassinato só deverá ser confirmada no decorrer da investigação.

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES! 

Com informações: Portal do Zacarias


O homem foi jogado completamente nu no meio da estrada Manoel Urbano

Um homem com o nome e idade ainda desconhecidos foi assassinado a tiros e o corpo completamente nu e com marcas de tortura foi jogado no começo da manhã desta terça-feira, 19, na Estrada Manoel Urbano, município de Iranduba, distante 27 quilômetros de Manaus em linha reta.

Moradores de um ramal próximo de onde o corpo foi jogado disseram que ouviram disparos se arma de fogo por volta das 05h. Eles imaginaram que se tratasse se alguém caçando naquela área, mas quando o dia clareou se depararam com o cadáver jogado no meio da estrada que conduz ao Iranduba.

O cabo PM Magno Silva, que esteve no local comandando a guarnição de patrulhamento do município, disse que o homem tinha idade aproximada de 20 anos. Entre as pessoas que residem na área e estiveram no local do crime, nenhuma delas reconheceu a vítima.

Uma equipe de policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) foi à estrada Manoel Urbano juntamente com um perito do Instituto de Criminalística e a equipe de remoção do Instituto Médico Legal (IML) que posteriormente trouxe o corpo para sua sede em Manaus.

Em um contato com o delegado titular da DEHS, Jeff David Mc Donald, ele disse que o crime vai ser investigado mas por enquanto a vítima não está identificada. Também a ainda não existem nomes de suspeitos mas o delegado acredita que no decorrer da investigação todo esse mistério será desvendado.

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES! 

Fotos: Divulgação Portal do Zacarias


O cadáver sem a cabeça e sem a perna estava à margem do igarapé

O corpo de um homem decapitado e sem uma das pernas foi encontrado boiando no começo da manhã desta quinta-feira, 17, em um igarapé da Rua Piau, bairro do Jorge Teixeira, na Zona Leste de Manaus.

 

Estas são as primeiras informações da polícia, que foi informada do encontro de cadáver por volta das 7h30 por moradores que foram às margens do igarapé jogar lixo doméstico e se depararam com o homem sem cabeça e sem a perna direita.

 

Alguns populares chegaram a entrar no igarapé, que não está muito fundo nesta época do ano, à procura da cabeça e da perna do homem decapitado, mas as duas partes do corpo não foram localizadas.

 

A parte do tórax e nas costas foram verificados profundos golpes de faca e o que pode ajudar na identificação do homem assassinado é uma tatuagem na barriga próximo ao quadril, segundo comentou o perito do Instituto de Criminalística.

 

Na calça que a vítima vestia não foi encontrado nenhum documento pessoal e até às 9h ainda era aguardada a presença da equipe do Instituto Médico Legal (IML) que estava atendendo outra ocorrência de morte violenta.

 

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES! 

 

 

 

Fotos: Divulgação. Com informações: Portal do Zacarias


O corpo de um caseiro foi encontrado boiando e com o rosto desfigurado, por volta das 16h desta terça-feira, no igarapé que passa às margens da comunidade conhecida como “Panelão”, no município do Careiro Castanho, distante 88 quilômetros de Manaus em linha reta.

Uma equipe do Instituto Médico Legal (IML) juntamente com policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) e um perito platonista do Instituto de Criminalística (IC) fizeram o deslocamento rumo à comunidade onde o cadáver foi encontrado boiando.

Até às 17h ainda não havia nenhuma informação oficial dos policiais indicando se o caseiro morreu por afogamento ou foi vítima de assassinato.

O corpo do caseiro deve ser trazido para Manaus e o exame de necropsia vai confirmar se houve crime de homicídio ou se trata-se apenas de uma vitima de afogamento.

 

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES! 

 

 

Com informações: Portal do Zacarias


Os funcionários do IML removeram o corpo após ser encerrado o trabalho de perícia

A polícia foi avisada no começo da manhã deste domingo, 6, da existência do corpo de um homem em uma área de mata da Rua Tio San, Comunidade Alfredo Nascimento, no bairro da Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus.

Não foi informado que tipo de arma ou qualquer outro instrumento teria sido usado no crime. Um funcionário do Instituto Médico Legal (IML) disse que a vítima tinha a cara de um palhado tatuada em uma das pernas e muitas marcas de agressão física pelo corpo.

Um dos policiais da Delegacia de Homicídios disse que a vítima tinha um saco plástico na cabeça, estava com as mãos amarradas e foi enrolado em um lençol antes de ser jogado na área de mata.

 

                                                                         Moradores encontraram o corpo e chamaram a polícia (Foto: Divulgação)  

Ninguém ouviu movimentação de pessoas, gritos ou qualquer outro tipo de barulho na área de mata,  despertado a suspeita de que o homem foi morto em outro lugar e depois seu corpo jogado no local.

A vítima tem idade aproximada de 25 anos no máximo e até às 10h30 não havia comparecido ninguém na sede do orgão, no bairro da Cidade Nova, para fazer a identificação.


O corpo de um homem com idade aproximada de 20 anos, trajando bermuda azul, foi encontrado, na manhã desta sexta-feira, 27, no ramal Águas Claras, nas proximidades da Avenida das Torres, Zona Norte de Manaus.

Um perito do Instituto de Criminalística da Polícia Civil informou que o homem foi morto com três tiros na cabeça e também tinha marcas de agressão por todo o corpo.

Um caseiro que se identificou como Jaime Batista Colares, 40, foi o primeiro a encontrar o cadáver quando saiu para fazer uma capinação e deparou-se com o homem. que tinha o rosto encoberto com um saco plástico.

 

A vítima, de cor morena, não estava com nenhum documento pessoal que facilitasse sua identificação, mas uma tatuagem nas costas pode ajudar a reconhecê-lo nas próximas horas.

O corpo foi retirado do local pelo Instituto Médico Legal por volta das 9h.

 

Um dos policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) lembrou que o ramal Águas Claras sempre foi local de “desovas”.

Fotos: Divulgação


O cadáver foi encontrado por caseiros de um sítio e a vítima estava decapitada

O corpo de um homem que morreu com várias facadas e decapitado,  com idade aproximada de 40 anos, cor clara, cabelos pretos e curtos, foi encontrado no começo da manhã deste domingo, 8, no ramal do Paricatuba, situado à altura do quilômetro 21 da rodovia AM-010, que liga Manaus ao município de Rio Preto da Eva.

De acordo com as primeiras informações da polícia, o cadáver foi encontrado por um casal que toma conta de um sítio. Muito assustados, os dois moradores correram até o telefone rural instalado em um comércio na margem da rodovia e comunicaram à Polícia Militar, que enviou uma guarnição ao local.

O homem assassinado tinha ao menos dez perfurações de faca nas costas, outras quatro na região do tórax e a cabeça foi cortada fora e deixada encostada no pescoço. Os assassinos foram ao ramal durante a madrugada para cometer o crime, segundo um morador do ramal, que ouviu gritos durante a madrugada.

Os policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e um perito do Instituto de Criminalística não encontraram documentos pessoais da vítima nos bolsos de sua calça. O corpo foi trazido sem qualquer identificação para Manaus pela equipe de plantão do Instituto Médico Leal (IML).

O crime vai ser investigado pela DEHS.

 


Corpo foi encontrado lago da comunidade ribeirinha do Aturiá

O corpo de um homem sem cabeça foi encontrado boiando na tarde da última terça-feira, 27, em um lago da Comunidade do Aturiá, município de Careiro da Várzea, distante 25 quilômetros de Manaus.

Ribeirinhos que moram na comunidade e praticam pesca constante no igarapé encontraram o cadáver decapitado e comunicaram o fato ao 3º Pelotão da Polícia Militar, que enviou uma equipe ao local.

O comandante do 3º PPM, sargento Edson Carvalho relatou que depois do encontro do corpo foi realizada uma busca na área por terra e dentro do igarapé mas a cabeça do homem não foi encontrada.

Não existe ninguém desaparecido na Comunidade do Aturiá e o homem sem cabeça também não foi reconhecido através das suas vestes ou outras partes o corpo, por isso foi confirmado que não se tratava de um morador do local.

Houve a informação que vêm acontecendo muitos assaltos a embarcações e aos moradores daquela área ribeirinha do Careiro da Várzea levando a suspeita que o homem assassinado, decapitado e jogado no igarapé pode ser uma vítima de “piratas” ou “barrigas d’águas”.

O encontro de cadáver foi comunicado ao Instituto Médico Legal que foi para o Porto da Ceasa onde o corpo foi deixado por uma equipe do Corpo de Bombeiros com apoio do Batalhão Fluvial da Polícia Militar.

Uma investigação será iniciada pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

 

Fotos: Divulgação


 

Um grupo de traficantes comandado pelo ex-presidiário conhecido como “Japa” espancou até a morte o auxiliar de armazém desempregado Rosivaldo Cardoso, 30, na madrugada de ontem, domingo, 25, na frente do apartamento onde a vítima morava no Conjunto Viver Melhor, Zona Norte de Manaus.

O traficante estava sozinho quando discutiu com Rosivaldo porque ele não quis baixar o volume de seu aparelho de som. Os dois homens teriam trocado agressões verbais e físicas antes de “Japa” ir até uma outra rua chamar cinco comparsas de tráfico para espancar o auxiliar de armazegem.

Testemunhas do episódio disseram que Rosivaldo viu “Japa” voltando com vários homens armado com pedaços de pau. Ele correu para dentro de seu apartamento mas não adiantou porque o grupo arrombou a porta e promoveu o espancamento. Os agressores só pararam de bater quando viram que Rosivaldo já estava morto.

 

“Japa” está sendo procurado pela

equipe da DEHS (Foto: Divulgação) 

O corpo do auxiliar de armazém tinha algumas perfurações de faca e marcas de pauladas aplicadas pelo grupo comandado por “Japa”. Depois do crime, os envolvidos no espancamento fugiram e guarnições da Polícia Militar percorreram todas as ruas do conjunto, mas nenhum dos acusados foi localizado.

 

O corpo de Rosivaldo foi encontrado na sala de seu apartamento com o rosto bastante desfigurado.

 

Ele era separado e pai de cinco filhos, segundo informações de parentes que foram ao Instituto Médico Legal (IML) cuidar de sua liberação. A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) já iniciou a investigação desse assassinato.