O assassinato de forma brutal do estudante do Colégio Militar Kayube de Carvalho Oliveira, 16, ocorrido no final da tarde do último domingo, 5, está sendo investigada pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

De acordo com o registro do crime, o estudante foi encontrado morto com várias facadas e pauladas, nas margens de um igarapé da Comunidade Val Paraíso, bairro Jorge Teixeira, quarta etapa, Zona Leste de Manaus.

A polícia tem duas versões para um caso e a primeira é que o estudante pode ter sido vítima de latrocínio, que  é o roubo seguido de morte, quando passava por uma área onde se reúnem muitos usuários de drogas nos finais de semana.

A segunda versão, segundo afirmaram os familiares aos policiais que investigam o crime, é que Kayube teria sido linchado por moradores do local depois de ser confundido com um bandido que tinha acabado de roubar uma jovem. Segundo essa versão, os próprios assaltantes teriam, ao perceber populares se aproximando, apontado Kayube como sendo ele o assaltante, o que teria levado ao linchamento por engano.

 

Kayube estava a caminho da igreja quando foi  abatido de forma brutal (Foto: Divulgação)  

O estudante cursava o segundo ano do Ensino Médio do Colégio Militar e a família conta que no domingo ele saiu de casa para ir à igreja que frequentava no bairro, por isso, o que todos acreditam é que os bandidos da área atacaram Kayube durante o seu percurso.

O que reforça a possibilidade de latrocínio, de acordo com um dos investigadores da DEHS, é que foram roubados o par de tênis, relógio, telefone celular e a carteira porta-cédulas com algum dinheiro do estudante do Colégio da Polícia Militar.

A investigação da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD) irá esclarecer qual das duas possibilidades resultou na morte do estudante Kayube de Carvalho Oliveira, de apenas 16 anos.


 

Aulão do Enem foi grande sucesso na cidade.

Na  manhã do dia 03/09 (Domingo) o auditório da Escola Técnica de São Bento esteve lotado por jovens que buscam uma vaga nas universidades públicas.

 

Algo em torno de 300 jovens estiverem presentes para participar do aulão do Enem, evento organizado e ministrado pela equipe da Secretaria Estadual de Tecnologia, Ciência e Inovação do Governo do Maranhão, com o apoio local da Secretaria de Juventude, Ciência e Tecnologia de São Bento, comandada pelo secretário Romildo Cesar Pinheiro.

O prefeito Luizinho Barros esteve presente no evento. O gestor municipal foi levar pessoalmente o seu apoio aos jovens são-bentoenses, que tem se dedicado aos estudos para conquistar essa vitória que é o acesso às nossas universidades públicas, instituições que tem a missão de preparar a nossa juventude para o mercado de trabalho.

 

 

 


yasmin

Um estudante de São Luís (MA), que cursava medicina na Bolívia, foi encontrada morta, neste domingo (29), no apartamento em que morava.

Yasmin Lima estava no 1º período do curso, na Universidade Privada Abierta Latinoamericana (Upal), e residia em Cochabamba.

cochabambaSegundo o relato de um colega de curso, em contato com o Blog do Gilberto Léda, Yasmin foi encontrada pela Divisão de Homicídios de Cochabamba com sinais de envenenamento. Não está descartada a hipótese de suicídio.

Este é o segundo registro de morte de maranhense em Cochabamba. Em 2013, José Antonio Francisco da Costa, natural de São Mateus, morreu após a explosão de um botijão de gás no apartamento que ele alugava no distrito de Huanuni (reveja).

Publicado em por


 

ESTUDANTE16/10/2015 14h18 – Atualizado em 16/10/2015 18h18

WWW.JGMOREIRA.COM.BR

Jovem passou por cirurgia e foi transferida para o Hospital Carlos Macieira.
Adolescente de 17 anos foi atacada perto da escola, na quinta-feira (15).

Do G1 MA

A estudante Milena Coelho do Nascimento, de 17 anos, que teve o pescoço cortado em um ataque na porta da escola, está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Carlos Macieira, em Sâo Luís. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), a jovem passou por cirurgia no Hospital Socorrão 1 e depois foi transferida. O quadro de saúde dela é estável.

Nesta sexta-feira (16), policiais da Delegacia de Homicídios de São Luís estiveram no Centro de Ensino Médio Vinicius de Moraes, na Divinéia, onde a vítima estuda. A polícia está ouvindo testemunhas e vai analisar imagens de câmeras de segurança pra descobrir mais detalhes do crime. O diretor da unidade de ensino deve prestar depoimento para explicar por que liberou os alunos mais cedo no dia do crime.

“Nós não podemos descartar nenhuma hipótese em nenhum momento, até porque estamos no início da investigação. A gente vai verificar a autoria e a motivação, o que levou essa moça a ter sido esfaqueada tão brutalmente, como também saber o por que, qual foi a motivação. Se foi alguma coisa pessoal ou se foi um simples assalto. A gente vai esclarecer no transcorrer da investigação”, explicou o diretor do Deptartamento de Homicídios da Capital, Jefrey Furtado.

Uma equipe da Polícia Militar começou a fazer a segurança na porta do colégio nesta sexta-feira. Como de costume, os alunos chegaram cedo para mais um dia de aula, mas o clima não era de normalidade. “Todo dia tá tendo assalto. O diretor chega, chama a polícia e não adianta nada, não vem. Aqui em cima tem uma ronda escolar, mas nunca passou aqui. Hoje eles estão ali”, revela a estudante Andressa Santos.

Crime
A direção da unidade resolveu suspender as aulas depois do crime. A estudante havia acabado de sair da escola e, depois de caminhar cerca de 200 metros da porta do colégio, foi atacada pelos criminosos. As marcas da violência continuam no chão.

A vítima foi ferida com vários golpes de faca na região do pescoço e levada para o Hospital Socorrão 1, onde amigos e parentes passaram a noite aguardando por notícias. A jovem é do interior do Estado e mora com as tias na capital. A família está aflita sem entender o motivo de tanta violência.

“Até agora eu não tô acreditando que isso tá acontecendo com minha sobrinha, que eu tava no trabalho e recebi essa notícia. Tu é doido? Tô desesperada”, disse a tia Jéssica Rodrigues. “Ela recebeu uma ligação, na hora que ela recebeu, que ela saiu, aí aconteceu isso. Ninguém sabe quem foi, eu não sei porquê. Que eu saiba, todo mundo gosta dela”, conclui a tia Maria Elenice Coelho.

Representantes da Secretaria Estadual de Educação também visitaram a unidade de ensino. O órgão ainda não explicou por que os alunos foram liberados da aula mais cedo.


ARTHUR III

Há décadas o transporte escolar de crianças que estudavam em comunidades distantes na zona rural de Pinheiro era feita de forma mércia e em caminhões paus de araras e semelhantes o que se tornava um transporte irregular, perigoso e desaconselhável, dado aos riscos de acidentes, onde esse transporte chegou a cercear a vida de vários estudantes.

Diante dos constantes apelos da sociedade, o governo federal através do “Programa Caminhos da Escola”, resolveu atender ao chamamento e ao clamor da sociedade, pondo o fim nessa desastrosa vergonha e investir no transporte da educação, liberando ônibus e recursos para transportar crianças, jovens e professores para as escolas publicas.

ARTHUR II

Aqui em Pinheiro, temos conhecimento que existe mais de uma dezena de ônibus escolares, além de recursos que foram liberados para mais aquisições desses veículos pelo Ministério da Educação Cultura (MEC). Essa medida proporciona mais segurança, conforto e mais facilidade no deslocamento dos estudantes e professores até as escolas, principalmente na zona rural.

Entretanto esses veículos estão sendo usados de forma errada, contrariando o que se refere ao Art. 3º da resolução CD/FNDE nº 18, de 19/06/12, ( os veículos a que se refere ao artigo 2º (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) pelo Programa Caminhos da Escola) são destinados para uso exclusivo no transporte dos estudantes matriculados nas redes publicas de ensino.

Mas… Como em Pinheiro ainda… “Corre tudo por conta do vicio…”

Por três (03) dias consecutivos vinha observando uma movimentada correria de “PEGA ÔNIBUS” em frente a danceteria Lála Ritmos de propriedade da senhora festeira Teresinha Durans, localizada à Rua Simião Reis- Pacas que é aliada política do prefeito Filuca Mendes(PMDB).

Flagrei um desses ônibus transportando dançarinos de uma quadrilha junina, que segundo comentam é patrocinada pela senhora Layanna Ferreira (Secretária de Cultura do Município de Pinheiro)

A cadência do ônibus para o transporte dos dançarinos, resultou na troca de outro (micro) ônibus velho, pneus carecas de uma empresa particular para o transporte dos alunos da Escola Domingos /Pacas e outras escolas, pondo em desconforto os estudantes que passaram a correr risco de vida enquanto o ônibus  que lhes pertence esteve ou ainda estar servindo aos festejos.

Assim os absurdos se sucedem. Em data anterior denunciamos esse mesmo ônibus que foi deslocado para as praias de Guimarães-Ma, conduzindo terceiros que foram a passeio desfrutar dos banhos de mar.

Voltamos a denunciar no perfil deste Blog, o flagrante registrado através das fotos onde se percebe claramente em frente a um caminhão na porta da boate, dito caminhão que transporta o som para a festança; enquanto o ônibus que não era o “amarelinho” dos alunos, permanecia na porta da Escola Domingos Perdigão, para efetuar o transporte dos alunos.

Atenção senhores vereadores da Câmara Municipal de Pinheiro e autoridades: ( A cessão de ônibus escolares para atividades particulares, alheias ao interesse publico, deveria motivar os senhores chegar até o Ministério Publico e propor ação civil publica pela pratica de ato de IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA contra esse prefeito e quem mais por oficio praticou essa vergonha.)

 


Janine Ribeiro informou que cursos com notas 4 e 5 terão prioridade sobre os cursos de nota 3 Ministro afirma que novos contratos serão abertos; formação do professor será prioridade

Terça-feira, 09 de junho de 2015 – 10:11

O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, anunciou na noite de segunda-feira, 8, no programa Roda Viva, daTV Cultura, em São Paulo, que haverá mais vagas para os estudantes da educação superior que pretendem obter o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). “Vamos fazer uma segunda edição do Fies; novos contratos serão possíveis”, disse.

De acordo com Janine Ribeiro, outros detalhes, como quantidade de vagas, serão anunciados posteriormente. “O que sabemos é que vamos priorizar as regiões Norte e Nordeste e cursos que o país mais precisa, como os de engenharia, de formação de professores e das áreas de saúde”, destacou. Além disso, como já ocorreu na primeira edição do Fies este ano, os cursos com nota 4 e 5 nos indicadores de qualidade do Ministério da Educação terão prioridade.

Durante uma hora e meia, o ministro falou sobre diversas iniciativas do MEC, como o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e o Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Ele reiterou ainda a prioridade do governo com a educação, mesmo com os ajustes fiscais necessários. “O slogan Pátria Educadora não é ufanista; abrange uma ideia de sociedade mais educada. É todo um processo.”

A bancada de entrevistadores, liderada por Augusto Nunes, contou com Guiomar Namo de Mello, educadora e integrante do Conselho Estadual de Educação de São Paulo; Maria Helena Castro, socióloga e diretora-executiva da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade); João Gabriel de Lima, diretor de redação da revista Época; Fábio Takahashi, repórter do jornal Folha de S. Paulo; e Paulo Saldaña, repórter do jornal O Estado de S. Paulo.

Assessoria de Comunicação Social