Ex-Prefeito

Nenzin foi assassinado na manhã desta quarta-feira quando estava com o filho Mariano Júnior.

Nenzin foi assassinado na manhã desta quarta-feira quando estava com o filho Mariano Júnior.

 

 

Há fortes rumores em Barra do Corda de que o ex-prefeito Manoel Mariano de Sousa, o Nenzin, tenha sido assassinado pelo próprio filho Mariano Júnior, o ‘Nenzin Júnior’, ex-candidato a prefeito do município e seu herdeiro político.

Ainda há pouco, horas depois de retornar de Barra do Corda, onde esteve pessoalmente acompanhando as investigações, o Secretário da Segurança, Jefferson Portela confirmou a O INFORMANTE que a polícia já investiga essa hipótese. O secretário não quis dar mais informações, adiantando apenas que “está tudo muito estranho” para ser um crime de pistolagem.

É pública e notória a ‘disputa intestina’ travada em Barra do Corda entre familiares do ex-prefeito, que possui muitos bens. Hoje Mariano Júnior é herdeiro político do pai, e hoje o filho mais próximo de Nenzin.

O INFORMANTE apurou, também, que momentos depois de Nenzin ser baleado o filho dele, empresário Pedro Telles, esteve na UPA, para onde o ex-prefeito foi levado, com sintomas de embriaguez e desequilíbrio, acusando o irmão Mariano Júnior de ter cometido o crime.

A presença de Pedro Telles em Barra do Corda chega a causar estranheza, já que ele está com prisão decretada pelo assassinato de um conterrâneo conhecido como Miguelzinho, no início dos anos 2000. Pedro Telles foi julgado, condenado e perdeu todos os recursos impetrados para anular o júri. Com o processo transitado em julgado, o empresário teve a prisão decretada recentemente, mas a Polícia não conseguiu prendê-lo. A informação da decretação da prisão vazou e Pedro Telles se evadiu. Estranhamente, estava na manhã desta quarta-feira na UPA, para onde o pai foi levado, ainda com vida.

Fonte Jornal Pequeno/ O Informante


Não resistindo aos ferimentos causados pelas balas de que foi vítima agora de manhã, o ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o popular Nenzin, ele faleceu no Socorrão, da cidade de Presidente Dutra.

Nenzin estava indo para sua fazenda em companhia de um filho quando foi vitima de atentado. Uma das balas teria atingido o pescoço e saiu pela boca.

A cidade de Barra do Corda está comovida com a morte de seu maior líder político e pai do deputado Rigo Teles. Aguardem novas informações.

Fonte: Luis Cardoso


O ex-prefeito Manoel Mariano de  Sousa, o Nenzin, de Barra do Corda, pai do deputado Rigo Telles, acaba de sofrer um atentado a bala naquela cidade. Informações obtidas por O INFORMANTE dão conta de vários tiros disparados e Nenzin teria sido atingido com dois.

Um dos tiros atingiu Nenzin na cabeça. O ex-prefeito foi levado para a UPA de Barra do Corda e de lá transferido para Presidente Dutra.

Familiares já providenciaram a remoção do ex-prefeito para São Luís.

Mais noticias a qualquer momento.


 

 

Pronto e inaugurado mas… Abandonado  na gestão do ex-prefeito (Carrinho)Carlos Alberto Lopes Pereira(PSDB), o matadouro público municipal vai ser totalmente reformado o que vai trazer alegria para os marchantes que sonhavam com o novo empreendimento. Os marchantes e a população Sambentoense nunca  engoliram a forma do descaso de como o ex-prefeito tratou o patrimônio publico Municipal durante o seu mandato, esquecendo que o matadouro é patrimônio do povo de São Bento.

Após sua inauguração  o matadouro foi abandonado pelo ex-prefeito que lhe negou condições para o funcionamento, tentando assim apagar de forma vexatória o real trabalho de uma obra conclusa gerando prejuízo enorme para os cidadãos do nosso municipio e isso foi ruim.

Segundo o Prefeito atual LUIZINHO BARROS  que hoje convive com as dificuldades financeiras do municipio que administra , o mesmo se reportou ao Blog dizendo: “Estamos  desempenhando esforços junto ao Governo do Estado para viabilizar recursos com o objetivo de reconstruirmos o matadouro, pois a sua reconstrução e funcionamento e o que ele representa para as famílias sambentoenses é algo de suma importância para a qualidade de vida do nosso povo. A gestão municipal vem trabalhando para que a situação seja solucionada o quanto antes .”  , disse.

Em verdade, o Prefeito Luizinho Barros por sua vez, que como ele sempre faz, não espera de braços cruzados ou cair do céu, ele arregaça as mangas e vai atras do que é melhor para a população Sambentoense.

 



Decisão foi tomada por desembargadores da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA)


Outro ex-prefeito de Paço do Lumiar teve a prisão decretada por crimes previstos na Lei de Licitações e crime de responsabilidade (Decreto-Lei n° 201/67). Mábenes Fonseca foi condenado a oito anos e seis meses de reclusão e multa no valor de R$ 12.292,31, inabilitando-o para o exercício de cargo ou função pública pelo prazo de cinco anos.

Na denúncia contra Mábenes Fonseca, o MPMA afirmou que ele teve suas contas referentes ao exercício financeiro de 2003 reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), época em que foi gestor do município.

Entre as irregularidades apontadas, incluem-se ausência de processos licitatórios na contratação de serviços de coleta de lixo, compra de gêneros alimentícios e material gráfico; fragmentação de despesas para compras de material escolar, de higiene e limpeza; notas fiscais inidôneas e ausência de encaminhamentos de relatórios. O TCE imputou-lhe o débito de R$ 614 mil e aplicou multas no valor de R$ 245 mil.

Mábenes que responde a mais de 25 ações, recorreu ao Tribunal de Justiça pedindo a reforma da sentença para absolvê-lo das acusações ou reduzir a penalidade, argumentando ser inepta a denúncia e inexistentes o crime e o dolo de lesar o erário.

Ao analisar o recurso, o desembargador Raimundo Melo (relator) afastou as teses da defesa, observando que na condição de gestor, foi Mábenes quem assinou os contratos apontados nos crimes, autorizando os empenhos e pagamentos.

O G1 tenta contato com os advogados do ex-prefeito, mas até o momento não conseguiu.


José Antônio Nunes Aguiar, conhecido como Mindubim

José Antônio Nunes Aguiar, conhecido como Mindubim, foi detido como resultado das investigações relacionadas ao agiota Gláucio Alencar, acusado de envolvimento na morte do jornalista Décio Sá

AGIOTAGEM

05/11/2015 – 07h04

FONTE Jornal O IMPARCIAL

O ex-prefeito de Arari, José Antônio Nunes Aguiar, conhecido pelo apelido de Mindubim, foi detido nessa quarta-feira, dia 04, em operação da Superintendência de Combate à Corrupção (Seccor) da Polícia Civil do Maranhão, após o cumprimento de três mandados de busca e apreensão, dois executados em Vitória do Mearim e um na capital São Luís. A ação é desdobramento das investigações relacionadas às centenas de cheques administrativos de prefeituras, assinados por prefeitos e ex-prefeitos, encontrados com o agiota Gláucio Alencar, preso como mandante do assassinato do jornalista Décio Sá, cujo blog denunciava a rede de corrupção que desviou milhões de reais dos cofres de diversos municípios maranhenses.

Segundo o superintendente da Seccor, delegado Lawrence Melo Pereira, entre os cheques apreendidos havia vários de emissão da Prefeitra de Arari de 2005 e 2006, quando Nunes Aguiar comandou a administração municipal, com valores que variam de R$ 12 mil a R$ 102 mil, além de cheques em branco.
O ex-prefeito foi interrogado e sua assinatura coletada para possibilitar a realização de exame grafotécnico. Documentos, pendrives e HDs completam a colheita que vai subsidiar a apuração. Face a sua condição de advogado, todo o processo contra Nunes Aguiar teve acompanhamento de representante da OAB.
Embora a investigação criminal original, que apurou o assassinato de Décio Sá, remonte a 2012, as operações de combate à corrupção e ao desvio de verbas públicas decorrentes “somente ganharam celeridade após a posse do governador Flávio Dino, em 2015, que deu carta branca à Polícia”, destaca o superintendente Lawrence Pereira.
A operação desta quarta teve a coordenação dos delegados Roberto Fortes e Leonardo Bastian, da Comissão de Combate à Agiotagem da Seccor. Além da ação que resultou na detenção de Nunes Aguiar, já foi promovido levantamento patrimonial do investigado, já que também é objetivo essencial o ressarcimento aos cofres públicos dos recursos desviados.
Outras etapas da operação continuam em todo o estado. O superintendente Lawrence comemora e faz questão de frisar: “o combate à corrupção é bandeira do governador”.

%d blogueiros gostam disto: