Em uma ação coordenada pela Polícia Civil do Maranhão, por intermédio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) com apoio da Delegacia de Roubos e Furtos (Derf) na cidade mato-grossense de Rondonópolis, conseguiu prender em flagrante Maycon Douglas Araújo Almeida (23) pelo crime de estelionato.

Segundo a superintendente da Seic, a delegada Nilmar da Gama, o investigado que estava em liberdade provisória respondendo pelos crimes de roubo, porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas, agia com seus comparsas que se encontram custodiados no presídio de Mata Grande (Mato Grosso), aplicavam golpes em vítimas de vários estados do Brasil, inclusive no Maranhão.

Golpe

Os golpistas se aproveitavam da fragilidade das pessoas que estavam com familiares internados em estado grave nos hospitais particulares de renome e, através de contato telefônico, fingiam ser médicos para solicitar o pagamento para a realização de exames e procedimentos em caráter de urgência, alegando iminente risco de morte.

Primeiramente eles conseguiam detalhes do prontuário dos pacientes ligando para o hospital e passando-se por médicos da instituição de saúde, depois disso, entravam em contato com os familiares dos pacientes utilizando as informações obtidas para solicitar os valores.

A delegada acredita que no Maranhão há relatos de pelo menos quatro casos só na última semana, e tudo indica que este número pode ser muito maior, uma vez que as vítimas, na maioria das vezes não chegam a registrar ocorrência policial.

Anselmo Oliveira – ASCOM/SSP


12/06/2015 20h22 – Atualizado em 13/06/2015 21h27

INSTRUMENTOS

Flagrante foi realizado nesta sexta-feira na região da Baixada Maranhense.
Suspeito usava o registro falso de médico com mesmo nome.

Do G1 MA

Um homem foi preso nesta sexta-feira (12), na cidade de Anajatuba, na Baixada maranhense, suspeito de exercer ilegalmente a profissão de médico. Segundo a Polícia Civil, Valdecir Carvalho Lima utilizava o registro do Conselho Regional de Medicina (CRM) de um médico homônimo e trabalhava normalmente no hospital do município.

De acordo com as investigações, uma denúncia anônima levou a polícia ao paradeiro de Valdecir. O falso médico utilizava o CRM de um médico de mesmo nome, o que foi constatado após verificação junto ao Conselho Regional de Medicina.

No momento da prisão, Valdecir cumpria o seu segundo plantão no hospital do município. Valdecir foi autuado por exercício ilegal da medicina e falsificação de documento público, neste caso, o registro do Conselho Regional de Medicina (CRM). Os dois crimes são  inafiançáveis e, por isso, ele está preso na delegacia de Anajatuba.