Assassina cruel

Olhe bem para esta mulher na foto. Sabe o que ela fez com o filho de 9 anos, esse garotinho ao lado dela? Deu 12 facadas nele e depois o esquartejou ainda vivo. VEJA VÍDEOS

Foto: Reprodução Portal do Zacarias

O resultado do laudo cadavérico detalha a crueldade com que Rhuan Maycon da Silva Castro, 9 anos, foi assassinado em Samambaia, no Distrito Federal.

De acordo com a Polícia Civil, o menino levou 12 facadas, sendo uma no peito enquanto dormia. Assustada, a vítima ainda se levantou e ficou ajoelhada ao lado da cama. Em seguida, levou mais 11 golpes desferidos por Rosana Auri da Silva Cândido, 27 anos, sua própria mãe, no dia 31 de maio.

O laudo apontou ainda que, quando a cabeça de Rhuan foi arrancada, os sinais vitais do menino ainda estavam presentes. Segundo a PCDF, enquanto a mãe começava a esquartejar o corpo, a companheira dela, Kacyla Priscyla Santiago Damasceno, 28, acendia a churrasqueira. Ela teria segurado o garoto durante o esfaqueamento.

A mãe e a companheira dela, Kacyla Pryscila Santiago Damasceno Pessoa,também teve participação no crime (Foto: Divulgação PC / DF)

A ideia das criminosas, segundo o delegado adjunto da 26ª DP (Samambaia), Guilherme Melo, era assar as partes do corpo, fazendo com que a carne se desprendesse dos ossos. As mulheres chegaram a comprar um martelo com a intenção de triturar os ossos do menino.

De acordo com o médico-legista Christopher Diego Beraldi Martins, a mãe retirou toda a pele do rosto da criança, que seria colocada na churrasqueira e jogada em um vaso sanitário. Para tornar o corpo ainda mais irreconhecível, a própria mãe também tentou retirar, com a faca, os globos oculares de Rhuan.

Rhuan Maicon foi encontrado esquartejado dentro de mala em rua do DF (Foto: Arquivo da família)

Após tentar assar tórax, cabeça, pernas e braços, as mulheres desistiram ao perceberem que a carne não desprendia dos ossos como elas esperavam. Resolveram então dividir as partes do corpo em duas mochilas infantis. Uma delas foi jogada em um bueiro da Quadra 425 de Samambaia.

VEJA O QUE AS DUAS DIZEM

SOBRE O BÁRBARO CRIME:

 

 


 

O procurador Deltan Dallagnol e o ministro Sérgio Moro em evento  Foto: Hélvio Romero/Estadão

Investigações vão apurar ataques contra celulares de procuradores e do então juiz; mensagens indicam suposta colaboração entre Moro e coordenador da Lava Jato

BRASÍLIA – A Polícia Federal instaurou há cerca de um mês um inquérito para investigar ataques feitos por hackers aos celulares de procuradores da República que atuam nas forças-tarefas da Lava Jato em Curitiba, no Rio e em São Paulo, segundo apurou o Estado com uma fonte a par da investigação. Há 4 dias, outro inquérito foi aberto para apurar ataques ao celular do ministro da Justiça, Sérgio Moro.

No domingo, o site The Intercept Brasil divulgou o suposto conteúdo de mensagens trocadas pelo então juiz federal Sergio Moro e por integrantes do Ministério Público Federal, como o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa em Curitiba.

As conversas mostrariam que Moro teria orientado investigações da Lava Jato por meio de mensagens trocadas no aplicativo Telegram. O site afirmou que recebeu de fonte anônima o material. O The Intercept tem entre seus fundadores Glenn Greenwald, americano radicado no Brasil que é um dos autores da reportagem. De acordo com o site, há conversas escritas e gravadas nas quais Moro sugeriu mudança da ordem de fases da Lava Jato, além de dar conselhos, fornecer pistas e antecipar uma decisão a Dallagnol.

Os hackers miraram especialmente mensagens trocadas por meio do Telegram. As vítimas, que não haviam acionado a verificação em duas etapas, recurso que adiciona camada adicional de segurança às mensagens, tiveram suas conversas violadas pelos criminosos, segundo fonte a par da investigação.

Os procuradores notificaram a Polícia Federal após um deles desconfiar de mensagem recebida por meio do aplicativo. O ataque em massa foi descoberto e começou a ser apurado pela PF.

Um investigador que conversou com o Estado sob reserva diz que somente as vítimas do ataque poderão confirmar se o conteúdo das mensagens é verdadeiro. Isso porque é muito comum que hackers incluam passagens falsas no meio de conversas “roubadas” das vítimas.

Um integrante da cúpula do Ministério Público Federal, que falou ao Estado sob reserva, disse que foi “imprudente” o uso do Telegram e não das vias oficiais, já que há uma rede oficial e segura do MPF para esse fim. O ministro Marco Aurélio de Mello, do Supremo Tribunal Federal, disse que esse tipo de comunicação não deveria ocorrer por aplicativos.

“A troca de mensagens entre juiz e Estado acusador tem de ser no processo, com absoluta publicidade. A internet é sempre perigosa”, disse ao Estado. Ele não quis comentar, porém, o teor das conversas e eventual repercussão em casos em andamento.

A força-tarefa da Lava Jato em Curitiba afirmou, em nota divulgada na noite deste domingo, que “não sabe exatamente ainda a extensão da invasão”, mas que “possivelmente” foram copiados “documentos e dados sobre estratégias e investigações em andamento e sobre rotinas pessoais e de segurança” dos integrantes do grupo e de suas famílias.

Disse ainda antecipar que os criminosos tentem usar o material roubado para constranger os integrantes da força-tarefa, falseando o conteúdo das conversas. “Uma vez ultrapassados todos os limites de respeito às instituições e às autoridades constituídas na República, é de se esperar que a atividade criminosa continue e avance para deturpar fatos, apresentar fatos retirados de contexto, falsificar integral ou parcialmente informações e disseminar ‘fake news’.”

Segundo a nota, os procuradores têm “tranquilidade” de que as mensagens “refletem atividade desenvolvida com pleno respeito à legalidade e de forma técnica e imparcial” e que não irão “se dobrar à invasão imoral e ilegal, à extorsão ou à tentativa de expor e deturpar suas vidas pessoais e profissionais”.

Também por meio de nota, Sergio Moro afirmou que, nas mensagens em que é citado, “não se vislumbra qualquer anormalidade ou direcionamento da atuação enquanto magistrado”. O ministro da Justiça disse lamentar “a falta de indicação de fonte de pessoa responsável pela invasão criminosa de celulares de procuradores” e o “sensacionalismo das matérias, que ignoram o gigantesco esquema de corrupção revelado pela Operação Lava Jato”.

Preocupação

Os ataques de hackers vêm sendo recorrentes e já eram motivo de preocupação dentro do MPF. Em maio, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, determinou instauração de procedimento administrativo para acompanhar a apuração de tentativas de ataques cibernéticos a membros do MPF. Dodge determinou ainda que a Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação da PGR adotasse providências para diagnosticar eventuais ataques e resolver o problema. À época, ela considerou os ataques graves e afirmou que eles poderiam comprometer diversas apurações em curso.

No final de abril, o ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, informou que seu celular havia sido “clonado ou hackeado”. O relator do processo da Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 2.ª Região, Abel Gomes, também foi alvo de hacker, como mostrou a Coluna do Estadão no sábado.

Na semana passada, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, teve seu celular pessoal clonado. Ele cancelou a linha e determinou a abertura de investigações. O ministro desconfiou de uma ligação recebida por ele e, logo em seguida, bloqueou a linha. Procurados pela reportagem, a Polícia Federal, a Procuradoria-geral da República e Palácio do Planalto não comentaram.


As duas mulheres disseram que trabalhavam para um “traficante forte” 

” Duas mulheres são presas em flagrante com drogas no Conjunto João Paulo, Zona Leste de Manaus”

Duas mulheres que a polícia ainda não oficializou seus nomes e idades porque não portavam documentos pessoais foram presas por volta das 3h45 da madrugada desta terça-feira, 4, no Conjunto João Paulo, bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus.

A acusação contra as duas “beldades do crime”, como foram denominadas pelos policiais da 15ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), é de tráfico de drogas e associação para o tráfico. As mulheres portavam 17 porções de cocaína e 24 porções de maconha.

Porções de drogas apreendidas na ação dos policiais militares (Foto: Divulgação) 

A abordagem aconteceu na Avenida Dom Jackson Damasceno e na bolsa de uma delas os policiais encontraram as substâncias entorpecentes. Uma das mulheres presas disse que um “traficante forte” daquela área tinha deixado a droga para ser comercializada.

As traficantes foram apresentadas no 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP) juntamente com a droga apreendida para ser realizado o auto de flagrante delito. As duas mulheres também seriam encaminhadas ao Fórum Ministro Henoch Reis para a audiência de custódia.


O pai estuprador batia e ameaçava as filhas para que não denunciassem os estupros

O pai estuprador batia e ameaçava as filhas para que não denunciassem os estupros

Um homem que estuprou as duas filhas quando ainda tinham 4 e 10 anos foi condenado a 18 anos e 8 meses de prisão em regime fechado pela Justiça do Estado do Amazonas.

Na tarde da última terça-feira, 28, o mandado de prisão foi cumprido por policiais do 4º Distrito Integrado de Polícia (DIP), coordenados Leo delegado titular Rafael Costa e Silva.

O pai tarado se encontrava no prédio da Defensoria Pública do Estado (DPE) quando o delegado e sua equipe chegaram para dar a voz de prisão e cumprir a ordem judicial.

Ficou provado durante a investigação realizada durante o inquérito policial que o homem com 55 anos de idade estuprou as filhas e permaneceu praticando os abusos sexuais durante vários meses.

Delegado Rafael Costa e Silva e sua equipe cumpriram  mandado de prisão do pai estuprador (Foto: Divulgação) 

As primas das duas irmãs souberam de tudo, chegaram a presenciar os estupros que aconteciam na casa onde elas moravam com o pai e indignadas contaram tudo para o resto da família.

A polícia foi procurada e o crime foi confirmado pelas duas irmãs, que não denunciaram logo que os estupros começaram a acontecer porque eram ameaçadas e até espancadas pelo pai tarado.

As provas foram se somando e ficaram bastante robustas ao ponto do acusado ser julgado e condenado a cumprir a sentença penal no regime fechado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj).

O pai estuprador das duas filhas menores de idade foi recolhido ao presídio na manhã desta quarta-feira, 29, após a sua apresentação à imprensa no 4º Distrito Integrado de Polícia.


Cantor de JENIFER-Gabriel Diniz

O cantor Gabriel Diniz, conhecido pelo hit “Jenifer”, morreu nesta segunda-feira (27), aos 28 anos, na queda de um avião de pequeno porte no povoado Porto do Mato, em Estância, na região sul de Sergipe.
De acordo com a Polícia Militar, há três mortos. Inicialmente, o Grupamento Tático Aéreo (GTA) havia informado que eram quatro ocupantes na aeronave, que decolou de Salvador.
Amigos de Gabriel Diniz reconheceram o corpo do artista entre as vítimas. A assessoria de imprensa da produtora do artista confirmou que ele estava no avião. Também foi encontrado o passaporte do cantor perto do local do acidente. Na noite deste domingo (26), ele havia feito um show em Feira de Santana (BA).
Em nota, a produtora afirmou: “A Luan Promoções, familiares, fãs, amigos e equipe estão todos muito abalados com está triste notícia que pegou todos de surpresa nessa manhã, 27. Com muito pesar confirmamos a morte do Gabriel Diniz. O cantor estava em um bimotor que caiu no sul do estado de Sergipe no começo dessa tarde. Sua alegria estará para sempre em nossos corações! Não deixaremos perder a sua irreverência jamais, você conquistou uma nação com o seu trabalho e carisma!”.
Mariana Xavier, estrela do clipe de Jenifer, principal sucesso do cantor Gabriel Diniz, de 28 anos, recebeu com susto a informação da queda do avião que o transportava. “Estou em choque. Vim para Nova York, nos Estados Unidos, comemorar o meu aniversário e agora recebi as informações de que rolou a queda do avião do Gabriel. Recebi a notícia de maneira muito truncada. Estou sem acreditar no que aconteceu”, afirmou a atriz, por telefone, para o site QUEM na tarde desta segunda-feira (27).

O homem estava com ferramentas em sua mochila para usá-las no arrombamento e furto

IMAGEM FORTE! Moradores espancam ladrão até a morte dentro de uma creche no bairro Zumbi dos Palmares, Zona Oeste de Manaus

Um ladrão ainda nao identificado foi agredido até a morte na noite da última terça-feira, 21. Ele foi morto quando tentava praticar um furto na Creche Municipal Maria Aparecida, situada na Avenida Altaz Mirim, bairro do Zumbi dos Palmares na Zona Leste de Manaus.

O linchamento foi praticado por um grupo de moradores armados com pedaços de pau que flagraram o ladrão dentro da creche. Somente neste ano a creche já havia sofrido três invasões, arrombamento e furto de gêneros alimentícios da merenda escolar das crianças.

Os agressores estavam furiosos e só pararam de espancar o ladrão quando chegou ao local uma equipe de policiais militares da 14ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom). Os policiais tentaram socorrer o homem mas logo confirmaram que ele já estava morto.

 

Creche Maria Aparecida  já havia sido alvo de bandidos neste ano

Dentro da mochila do ladrão foram encontradas ferramentas que seriam usadas no arrombamento de portas da sala onde ficam armazenados os gêneros alimentícios da creche. Os furtos anteriores aconteceram nos meses de fevereiro, março e abril deste ano.

A direção da Creche Municipal Maria Aparecida Silva Dantas confirmou as várias invasões e furtos praticados no decorrer do ano e existe a suspeita que o homem espancado e morto tenha participado dos crimes. O corpo do ladrão ainda encontra-se no IML sem nenhuma identificação.

ATENÇÃO! IMAGEM FORTE! 


O homem foi encontrado morto por enforcamento no final da tarde da última quarta-feira

Quase no final da tarde desta quarta-feira, 22, o corpo de um homem com idade presumível de 20 anos foi encontrado em meio a um matagal na Avenida Brasil, na Zona Oeste de Manaus.Segundo informação de um dos policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), a vítima estava com as mãos amarradas para trás e tinha marcas de tortura.

Um morador de rua que sempre vai ao matagal para fazer suas necessidades fisiológicas foi o primeiro a se deparar com o corpo do homem morto por volta das 17h30.

A equipe de perícia do Instituto de Criminalística constatou que a morte do homem foi provocada por enforcamento com uma corda que ainda estava enrolada no pescoço.

Quando o corpo foi encontrado a vítima vestia uma calça jeans azul, camisa de meia da mesma cor, os pés descalços e um cordão de aço cirúrgico no pescoço.

Alguns moradores que não quiseram se identificar informaram que no horário noturno, por ser uma área quase totalmente escura, o local vira ponto de consumo de drogas.

A investigação do crime já está por conta da equipe de policiais da DEHS e, segundo foi comunicado ainda na quarta-feira, não existem pistas dos assassinos.

ATENÇÃO! IMAGEM FORTE! 


Na tarde desta segunda-feira (13), um homem identificado como Valdir Manoel da Silva Aguiar, foi assassinado a tiros em São José do Ribamar.
Segundo informações da Polícia Militar, a vítima que era motorista de “táxi lotação” foi morto dentro do seu veículo na frente do filho menor de idade, que estava no banco do passageiro. O crime ocorreu no bairro J. Câmara e teria sido praticado por dois elementos que até o momento não foram identificados. A motivação do crime é investigada.
Ainda segundo a polícia, Valdir Manoel da Silva Aguiar tinha passagem pela polícia pelos crimes de receptação e homicídio.

Bandidos dos celulares

A Polícia Militar prendeu em flagrante no último sábado (11), três homens que estavam jogando celulares por cima do muro da Penitenciária de Pedrinhas, em São Luís. Após a prisão, o trio foi levado para a Delegacia da Cidade Operária.

De acordo com a PM, os presos foram identificados como Nayadison dos Santos de Oliveira, de 25 anos; Ronaldo Pereira da Silva, de 20 anos; e José Carlos Teixeira da Silva, de 40 anos. Todos estavam em um carro, em frente ao presídio, e dois foram vistos arremessando pacotes por cima do muro.

Policia prende trio jogando celulares para dentro do presidio em São Luis

Além de seis celulares, a polícia também apreendeu um carregador, 71 reais, um carro e um facão. Após o flagrante, a policia também apreendeu os pacotes que já haviam sido jogado para dentro do presidio.


O homem foi perseguido e morto a tiro pelo “justiceiro” desconhecido

O homem foi perseguido e morto a tiro pelo “justiceiro” desconhecido

 Mais um assaltante foi alvo fatal de um “justiceiro” em Manaus. Desta vez o bandido foi morto na Avenida Marques de Quixeramobim, bairro do Parque das Laranjeiras, Zona Norte de Manaus.

De acordo com a polícia, o assaltante com idade aproximada de 20 anos foi morto a tiros por volta das 20h30 da última quarta-feira, por um homem desconhecido que o perseguiu em uma motocicleta.

‘Justiceiro’ aparece do nada, persegue, atira e mata assaltante na Zona Norte de Manaus

O bandido fugia de moto após assaltar várias pessoas em uma parada de ônibus situada na frente do Hospital e Pronto-Socorro Dr. João Lúcio.

No local do assalto, o bandido roubou vários celulares e chegou a disparar um tiro para apavorar ainda mais as vítimas, e logo em seguida subiu na motocicleta e fugiu na direção do Parque das Laranjeiras.

Testemunhas contam que outro homem apareceu em uma motocicleta no local do assalto, estava de capacete, pegou informações no local e saiu em disparada em busca do assaltante.

Policiais da Rocam chegaram ao local e já encontraram o assaltante morto na pista

O “justiceiro” alcançou o assaltante na Avenida Marques de Quixeramobim, disparou os tiros contra ele e fugiu logo em seguida, como relataram pessoas que estavam no local do assassinato.

Quando a polícia chegou ao local, o assaltante já estava morto, de capacete, jogado à margem da avenida e tinha uma perfuração de bala nas costas e outro na cabeça, o que revela que o “justiceiro” teve muita precisão no disparo que fez.

Pelo “modus operandi” do justiceiro, a polícia suspeita que ele pode ser o mesmo que matou o assaltante de uma drogaria, na quarta-feira à noite no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus.

O homem morto não tinha nenhum documento e foi levado do local para a sede do Instituto Médico Legal (IML) onde permanece sem nenhuma identificação.

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES!