O corpo da garota de programa foi encontrado boiando logo que o dia amanheceu

O corpo da garota de programa conhecida como “Neguinha”, 25 anos aproximadamente, foi encontrado boiando por volta das 06h desta segunda-feira, 11, na Rua Lourenço Braga, bem em frente à Feira Manaus Moderna, no Centro de Manaus.

A mulher estava completamente nua, tinha um golpe profundo no pescoço, marcas de espancamento por todo o corpo e um corte profundo também foi encontrado em sua cabeça, produzido supostamente por paulada.

Um canoeiro foi o primeiro a encontrar o corpo no momento em que chegava para vender verduras na Feira Manaus Moderna e imediatamente ele telefonou para a Polícia Militar informando sobre o crime.

Canoeiros ajudaram na remoção do  corpo de dentro do rio (Foto: Divulgação) 

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) e a Perícia conseguiram reirar o corpo de dentro do rio com ajuda dos canoeiro e tripulantes de algumas embarcações que estavam no local.

Ainda não existem nomes de suspeitos mas algumas pessoas que trabalham na Feira Manaus Moderna disseram que “Neguinha” fazia programas sexuais na área central e também era usuárias de drogas.

O corpo da garota de programa foi removido do local pela equipe do Instituto Médico Legal (IML) e uma investigação já foi iniciada.

Fonte: Portal


Uma mulher foi morta com três tiros, na noite desta quarta-feira, quando, na companhia de outros dois criminosos, assaltava um ônibus no bairro de Nossa Senhora de Fátima, na Zona Norte de Manaus.

 

Os tiros teriam sido disparados pelo segurança de uma empresa de transporte.

 

Não há informações, até o momento, se os comparsas da mulher foram presos ou conseguiram fugir.

 

Mais informações a qualquer  momento.

 

Fotos: Divulgação

Com informações: Portal do Zacarias


Criminoso foi preso em Praia Grande, no litoral de São Paulo (Foto: G1)

Criminoso foi preso em Praia Grande, no litoral de São Paulo (Foto: G1)

Serial killer que afogou pelo menos oito crianças é preso no litoral de SP

Acusado virava amigo da família das crianças antes de matá-las em SP.
Crimes começaram em 1992 e alguns corpos nunca foram encontrados

Um homem suspeito de matar oito crianças com idades entre cinco e 12 anos foi preso nesta terça-feira (8), em Praia Grande, no litoral de São Paulo, enquanto saía da casa onde morava. De acordo com a polícia, Douglas Baptista, de 62 anos, é considerado um dos maiores assassinos em série da história do litoral de São Paulo.

Najila de Jesus morava em São Vicente e foi assassinada por Douglas em 2003 (Foto: Arquivo / TV Tribuna)Najila de Jesus morava em São Vicente e foi morta
por Douglas em 2003 (Foto: Arquivo / TV Tribuna)

Baptista é suspeito de cometer crimes contra crianças na Baixada Santista, principalmente em São Vicente, entre os anos de 1992 e 2003. O homem amarrava os braços e as pernas das vítimas e as jogava em rios e mangues para que se afogassem.

Segundo informações da polícia, Douglas foi abordado quando deixava um imóvel localizado no bairro Quietude. Neste momento, quando o suspeito avistou o carro da Polícia Militar que fazia patrulhamento pelo local, ele tentou fugir, mas foi abordado pelos policiais.

De todas as oito vítimas de Douglas, sete eram meninas e um era menino. Dentre as crianças assassinadas, uma delas era enteada do serial killer. A polícia investiga a existência de novas vítimas do criminoso.

Nathaly Jennifer Ribeiro foi levada de sua casa e encontrada morta em Itanhaém (Foto: Arquivo / TV Tribuna)Nathaly Ribeiro foi levada de sua casa e achada
morta em Itanhaém (Foto: Arquivo / TV Tribuna)

Os últimos crimes conhecidos cometidos por ele foram os homicídios de Nathaly Jennifer Ribeiro e Najila de Jesus. Ambas tinham cinco anos de idade e foram levadas da frente da casa delas, na comunidade do Jardim Sambaiatuba, no dia de natal em 2003. Na época, a polícia concluiu que o serial killer conhecia todas as vítimas e se tornou amigo de todas as famílias para facilitar a sua ação. Alguns corpos nunca foram localizados.

Após cometer o último assassinato em 2003, o serial killer morou em Porto Alegre durante algum tempo. Depois disso, ele foi preso e ficou na Penitenciária de São Vicente, mas recebeu alvará de soltura e estava respondendo em liberdade.

Ainda de acordo com o Delegado de Plantão da Delegacia Sede de Praia Grande, Siulen Vieira Leung, os crimes de Douglas só foram reconhecidos neste ano pela Justiça. “Ele estava em liberdade, mas após o crime ser reconhecido e com o mandado de prisão ele passa a ficar sob o poder da Justiça”, explica o delegado.

O caso foi encaminhado para a Delegacia Sede da cidade e, a partir de agora, a polícia investiga possíveis novos ataques do maníaco.