O assassinato de forma brutal do estudante do Colégio Militar Kayube de Carvalho Oliveira, 16, ocorrido no final da tarde do último domingo, 5, está sendo investigada pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

De acordo com o registro do crime, o estudante foi encontrado morto com várias facadas e pauladas, nas margens de um igarapé da Comunidade Val Paraíso, bairro Jorge Teixeira, quarta etapa, Zona Leste de Manaus.

A polícia tem duas versões para um caso e a primeira é que o estudante pode ter sido vítima de latrocínio, que  é o roubo seguido de morte, quando passava por uma área onde se reúnem muitos usuários de drogas nos finais de semana.

A segunda versão, segundo afirmaram os familiares aos policiais que investigam o crime, é que Kayube teria sido linchado por moradores do local depois de ser confundido com um bandido que tinha acabado de roubar uma jovem. Segundo essa versão, os próprios assaltantes teriam, ao perceber populares se aproximando, apontado Kayube como sendo ele o assaltante, o que teria levado ao linchamento por engano.

 

Kayube estava a caminho da igreja quando foi  abatido de forma brutal (Foto: Divulgação)  

O estudante cursava o segundo ano do Ensino Médio do Colégio Militar e a família conta que no domingo ele saiu de casa para ir à igreja que frequentava no bairro, por isso, o que todos acreditam é que os bandidos da área atacaram Kayube durante o seu percurso.

O que reforça a possibilidade de latrocínio, de acordo com um dos investigadores da DEHS, é que foram roubados o par de tênis, relógio, telefone celular e a carteira porta-cédulas com algum dinheiro do estudante do Colégio da Polícia Militar.

A investigação da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD) irá esclarecer qual das duas possibilidades resultou na morte do estudante Kayube de Carvalho Oliveira, de apenas 16 anos.