Foto: Divulgação

Três criminosos foram presos com armas e droga

Três integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) foram mortos a tiros em Parauapebas, sudeste do Pará, após trocarem tiros com policiais militares. Três outros integrantes da facção foram presos com armas e droga.

A quadrilha já vinha sendo monitorada pela polícia há dias.

Com mandados de prisão em mãos, os policiais militares se deslocaram até Parauapebas, mais precisamente até o bairro Palmares II, onde o bando estava.

Ao chegarem ao local, os policiais foram recebidos a tiros. No revide, três criminosos foram mortos e outros três presos.

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES!

 

Fotos: Divulgação Portal do Zacarias


Miguel Neto foi promovido ao cargo de chefe do estado maior da PMMA (Foto: Divulgação / PM)

13/01/2016 09h52 – Atualizado em 13/01/2016 10h02

Miguel Neto foi nomeado chefe do Estado Maior da PM do Maranhão.
Ele foi exonerado do comando do batalhão em Bacabal após agressões.

Miguel Neto foi promovido ao cargo de chefe do estado maior da PMMA (Foto: Divulgação / PM)Miguel Neto foi promovido ao cargo de chefe do
estado maior da PMMA (Foto: Divulgação / PM)

Depois de apontar uma arma para um cabo da Polícia Militar e para um advogado, tenente-coronel é promovido a chefe do estado maior da instituição, dias depois de ser afastado do comando do 15º Batalhão, em Bacabal (MA).

A decisão foi tomada pelo coronel Marco Antônio Alves da Silva, comandante geral da Polícia Militar do Maranhão, por meio da portaria nº025/2016-DP/2, assinada na terça-feira (12). O documento foi enviado ao G1 por um policial, que preferiu não se identificar.

No documento, o comandante geral da PM determina que Miguel Neto seja nomeado chefe do estado maior da corporação – órgão de informação, estudo, concepção e planejamento para apoio à decisão de um comandante militar. O objetivo principal de um estado-maior militar é providenciar um fluxo de informação.

A Ordem dos Advogados do Brasil no Maranhão (OAB-MA), Thiago Diaz, ainda não comentou sobre a decisão do comando geral da PM. Anteriormente, o presidente da entidade disse que iria tomar as medidas cabíveis para exonerar o tenente-coronel Miguel Neto.

Segundo informações de policiais do 15º Batalhão da PM, em Bacabal, o cabo Ney Fernandes Bandeira, que foi agredido e ameaçado pelo tenente-coronel, foi transferido para São Luís.

O G1 entrou em contato, por telefone, com a assessoria de comunicação da Polícia Militar para saber o que motivou a promoção de Miguel Neto e a transferência do cabo Bandeira. A secretaria de comunicação do estado (Secom), também, foi acionada, mas até a publicação desta matéria não houve resposta de nenhuma das partes.


Diálogo pelo crescimento do Maranhão na Primeira Marcha Municipalista…

Primeira Marcha Municipalista reuniu autoridades do Estado em São Luís

Gestores públicos municipais dialogaram com o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB),  e com deputados estaduais e federais, na primeira Marcha Municipalista, realizada pela Federação dos Municípios do Maranhão (Famem). Os prefeitos receberam a confirmação de que, a partir de janeiro de 2016, prefeituras não mais irão arcar com despesas (pagamento de combustível de viaturas das Polícias Civil e Militar e custeio de alimentação dos policiais, por exemplo) relacionadas ao sistema de Segurança Pública.

O governador garantiu, ainda, que outras reivindicações — pagamento do restante dos convênios firmados ano passado; custeio dos hospitais de 20 leitos; aumento dos repasses aos municípios para custeio do transporte escolar dos alunos do Ensino Médio – serão avaliadas e atendidas dentro do possível, obedecendo a capacidade orçamentária do Estado que, segundo o próprio Dino, também enfrenta dificuldades financeiras.

A plenária envolvendo prefeitos e o governador ocorreu durante o segundo dia de programação da I Marcha Municipalista do Maranhão, evento promovido pela Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem) e que reuniu mais de 200 gestores.

Os trabalhos foram coordenados pelo presidente da entidade, prefeito Gil Cutrim (São José de Ribamar), e também contou com as participações de outros agentes da classe política e da sociedade.