A polícia prendeu três homens que invadiram uma funerária e assaltaram todas as pessoas que participavam do velório de uma idosa.

O assalto aconteceu no final da tarde deste domingo no bairro da Cidade Nova, primeira etapa, Zona Norte de Manaus.

Os assaltantes Carlos Portelgar Souza Reis, 27, Gilson de Carvalho SAraiva, 23, e Jefferson Guimarães Reis, 21, foram presos cerca de duas horas depois por uma guarnição da 14ª Companhia Interativa Comunitária.

Eles caíram em uma blitz de trânsito que estava sendo realizada nas imediações do local do assalto.

 

Jefferson chamou os dois homens

para fazer o assalto (Foto: Divulgação)

Jefferson Guimarães trabalhou na funerária durante algum tempo e foi ele quem convidou Carlos e Gilson para realizar o assalto.

 

As vítimas tiveram que entregar dinheiro, jóias e telefones celulares. Os criminosos usavam armas de fogo de brinquedo e uma faca.

Os três homens foram apresentados no 14º Distrito integrado de Polícia (DIP) e autuados em flagrante por crime de roubo majorado.


A Polícia Civil por intermédio da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (DRFV), na manhã desta terça-feira (19), deu cumprimento ao mandado de prisão preventiva em desfavor de Leonardo Magalhães Araújo, 20 anos, conhecido como “Leo”, por ser responsável por diversos roubos de veículos e motocicletas na Capital e regiões metropolitanas, onde tinha como suas principais vítimas moto taxistas.

Leonardo Araújo foi conduzido e apresentado ao Departamento da Polícia Civil para as devidas providências.

Jhanyfer Carvalhos / Ascom – SSP


Dando continuidade às ações de combate ao tráfico de drogas na capital maranhense, a Polícia Civil, por intermédio da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico – Senarc, prendeu, na manhã desta terça-feira (12), o indivíduo Jose Urubatan Castro Salazar (48), conhecido por “BATAN”, pelo crime de tráfico de drogas.
A operação deflagrada foi decorrente de denúncia, via aplicativo WhatsApp, dando conta que o indivíduo estava distribuindo drogas nos bairros Barreto, Jordoa e Ivar Saldanha. Após o recebimento das denúncias, representou-se por um mandado de busca domiciliar na residência e no bar do suspeito, local em que foi encontrado todo o material entorpecente.
Com “BATAN” foram apreendidos cerca de 5kg de entorpecentes, balança de precisão, apetrechos utilizados para o tráfico e a quantia de R$ 1.206,00 (hum mil, duzentos e seis reais), em cédulas trocadas. É importante ressaltar que essa é a quarta vez que Jose Urubatan o “BATAN” como é conhecido, é preso por tráfico de drogas. Diante dos fatos foi encaminhado à sede da Senarc, onde foi autuado pela prática de crime de tráfico ilícito de drogas. Após adoção dos procedimentos legais e de praxe, o mesmo foi encaminhado ao Centro de Triagem de Pedrinhas, onde ficará à disposição do Poder Judiciário.

Carla Andrade – ASCOM/SSP


 

Em mais uma ação deflagrada pela Polícia Civil do Maranhão, por intermédio da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), resultou na manhã desta segunda-feira (27) no cumprimento de mandado de prisão preventiva de Gabriel Carvalho Luz e de Vinicius de Jesus Luz Duarte, vulgo “ Crack”, ambos com 18 anos de idade. A dupla é acusada de cometer uma tentativa de latrocínio no bairro da Cohama, em São Luís.

De acordo com o delegado Tiago Dantas, os dois presos são autores confessos de um crime de latrocínio tentado que ocorreu no último mês de outubro. No ato do crime, as vítimas receberam vários golpes de arma branca, ficando levemente feridas.

As prisões foram decretadas pelo juízo da Central de Inquéritos de São Luís e cumpridas no bairro da Divinéia. Na delegacia, durante seus respectivos depoimentos, Gabriel e Vinícius confessaram suas participações no crime e posteriormente encaminhados ao Centro de Observação Criminológica e Triagem (COCTS) de Pedrinhas, onde ficam presos àdisposição do Poder Judiciário.


                                        

Eles foram encaminhados ao Centro de Observação Criminológica e Triagem de São Luís onde permanecerão à disposição da Justiça.

Durante uma operação da Polícia Civil, realizada nos municípios Santo Amaro, Urbano Santos e São Benedito, sete integrantes de uma organização criminosa especializada em explosões a caixas eletrônicos foram presos. A operação da Polícia Civil por intermédio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) também conseguiu apreender duas pistolas ponto 40, três coletes balísticos, sendo que dois pertence a Polícia Militar do Maranhão e um veículo.

As investigações foram realizadas pelo Departamento de Combate ao Roubo a Banco da Seic, sendo capturados José Valdemir Alves Rodrigues, de 48 anos, Cláudio Maciel dos Santos,30, Gilvan da Rocha Soares, 28, Flávio Ricardo Pereira Reis, 38, Valdeilson Moraes Silva, 28, Jucelio Marinho da Silva, 28, e Cristiane Sousa dos Santos, de 27 anos.

Após análise técnico-jurídica do Delegado de Polícia, os criminosos foram autuados pelos crimes de organização criminosa, receptação e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

Eles foram encaminhados ao Centro de Observação Criminológica e Triagem de São Luís onde permanecerão à disposição da Justiça.


Luan da Silva foi preso durante cerco policial realizado no condomínio Poeirão, no Bequimão, ontem (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS – Um forte aparato policial, com a participação do Corpo de Bombeiros Militar e do Centro Tático Aéreo (CTA), realizou ontem uma operação em um condomínio inacabado, localizado no bairro do Bequimão, conhecido como Poeirão, que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A ação resultou somente na prisão de um dos chefes de uma facção criminosa, oriunda do Rio de Janeiro, e ex-presidiário, identificado como Luan Alexandre da Silva, de 23 anos. Em poder dele, foi apreendida uma pistola 380 e uma quantidade de maconha.

Há informações de que a realização da operação policial teria sido vazada e por isso criminosos que agem na localidade fugiram antes do cerco policial. Segundo informações da polícia, a área habitacional é de responsabilidade da Prefeitura, mas, no momento moram 237 famílias, que possivelmente, podem ter ligação com membros de facção e criminosos, que estão realizando de forma diária roubo, homicídios, venda de droga e tiroteio na cidade.

Facção criminosa

“A localidade foi invadida primeiramente por integrantes de uma facção criminosa do Rio de Janeiro e posteriormente vieram morar pessoas de bem, mas, permitidas pelos faccionados”, declarou o delegado Carlos Alberto Damasceno, coordenador da operação. Ele informou que o cerco policial tinha três objetivos. Um deles era cumprir 237 mandados de busca e apreensão nos apartamentos, em busca de apreender armas de fogo e drogas.

A operação também visava prender foragidos da justiça e criminosos, acusados de cometer tiroteio, homicídio, roubo, latrocínio e comercialização de drogas e identificar moradores suspeitos de terem ligação diretamente com integrantes de facções criminosas. “Vamos tentar separar as pessoas de bem e prender aqueles que devem à justiça. Há possibilidade de haver outras incursões nesse condomínio no decorrer deste ano”, disse o delegado.

O condomínio começou a ser construído em 2005, com recursos do programa federal Promorar e, em 2009, teve investimentos do Habitat Brasil, que é um programa da União, mas, coordenado na capital pela Prefeitura. O delegado informou que, no momento, a Prefeitura pretende terminar a construção desse condomínio por meio do programa Minha Casa, Minha Vida. Inclusive, uma empresa de construção civil já esteve no local, realizando uma vistoria técnica.

A Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh) informou, por meio de nota, que as obras do condomínio fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), de responsabilidade da Prefeitura, por meio da Semurh. Esclareceu que, atualmente, o projeto está em fase de revisão na Caixa Econômica Federal, que é o ente financeiro do PAC.

Investigação

Carlos Damasceno informou que a operação policial foi fruto de trabalho investigativo feito pela equipe da Superintendência da Polícia Civil da Capital (SPCC) e denúncias anônimas de que o condomínio era comandado por integrantes de uma facção criminosa, com ocorrências de tiroteio, venda de drogas e roubo.

Ontem, mais de 700 profissionais da segurança pública estiveram no local, composto por 25 prédios e, segundo o delegado, com o propósito de cumprirem 237 mandados de busca nos apartamentos. Os policiais revistaram todos os apartamentos e conseguiram apreender balança de precisão, munições de calibres diversos, roupa – possivelmente utilizada em assaltos na Ilha – e efetuaram a prisão de Luan da Silva.

Conforme o delegado, Luan da Silva, durante a abordagem tentou jogar uma pistola 380 pela janela, mas acabou sendo surpreendido pelos policiais, que ainda encontraram uma quantidade de maconha. Ele estava em liberdade provisória e tinha sido preso pelo crime de roubo, por uma guarnição da Polícia Militar, no dia 15 de fevereiro deste ano, na Vila Palmeira, com Ronald Santos Costa. Com eles, a polícia apreendeu uma motocicleta Bros, de placa OXZ 7922; uma escopeta ponto 12, três munições, um rifle 22 e três carregadores de calibre 22.

O delegado Armando Pacheco, superintendente da SPCC, informou que por os policiais civis terem atuado nessa operação ontem, os Plantões da Polícia Civil da Ilha funcionaram por um período de 24 horas para atender a demanda das ocorrências policiais.

Protesto
Os moradores do condomínio Poeirão realizaram um protesto no Bequimão, durante a tarde de ontem, porque a luz dos apartamentos foi cortada. Os manifestantes colocaram pedaços de pau, concreto e galhos de árvore na Avenida 1 e a Alcântara, no Bequimão.

Alguns chegaram a deitar no meio da via, para que os veículos não pudessem trafegar. O movimento somente terminou com a chegada da Polícia Militar e o trânsito voltou ao normal no bairro do Bequimão.

Com informações: O Estado


                                                                         Jacson nega dois estupros e assume que violentou apenas a criança de 9 anos

Acusado de estuprar pelo menos duas crianças e uma adolescente, o autônomo Jacson Barros de Souza, 38, foi preso e apresentado nesta sexta-feira de manhã na Delegacia Especializada em Apoio e Proteção a Criança e ao Adolescente (Deapca), pela delegada titular, Juliana Tuma.

De acordo com o que ficou esclarecido durante a investigação, o acusado praticou os crimes no bairro de Dom Pedro, na Zona Centro-Oeste de Manaus, aproveitando-se do fato de trabalhar na área e adquirir a confiança dos moradores.

A delegada informou que as vítimas de Jacson Barros, foram crianças com idades de 9, 10 e uma adolescente de 13 anos de idade, que foram ouvidas na Delegacia Especializada e confirmaram os estupros.

O acusado se apresentava para as famílias como membro de uma igreja e alegava que tinha um projeto direcionado às crianças e adolescentes, para conseguir que os pais permitissem até mesmo que ele saíssem com as vítimas, sem desconfiarem de nada.

 

Delegada Juliana Tuma mandou o acusado de estupro para o presídio (Foto: Divulgação)

A farsa e os atos criminosos começaram a ser e descobertos quando um morador do bairro gravou imagens de Jacson Barros acariciando as partes íntimas de uma das crianças durante o banho de piscina em uma das residências onde ele prestava serviços avulsos.

No inquérito também consta depoimento da tia de uma das crianças afirmando que flagrou o acusado em cima de sua sobrinha de 9 anos e também passou a desconfiar de Jacson, que na verdade nunca pertenceu nenhuma congregação evangélica.

De acordo ainda com a delegada Juliana Tuma, o acusado nega que tenha estuprado a criança de 9 anos e a adolescente de 13 anos, mas assume e confessa que estuprou apenas a menina de 10 anos na piscina de uma das casas onde prestava trabalhos autônomos.

O acusado foi estava com prisão preventiva decretada, responderá por estupro de vulnerável na Justiça e foi encaminhado no começo da tarde ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).


A Polícia Civil, por meio da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico – Senarc, dando continuidade às ações de combate ao tráfico de drogas na capital maranhense, prenderam três mulheres na tarde do último dia (26), Silvia Fernanda Lopes Gomes; Thais Silva Brandão e Thays Raquel Freire Costa, todas por prática de crime de tráfico ilícito.
A operação deflagrada foi decorrente de denúncia via aplicativo WhatsApp, dando conta que as suspeitas estavam comercializando droga nas suas devidas residências, localizadas na Camboa, Anjo da Guarda e no Monte Castelo. Diante dos fatos e com as informações necessárias foram feitas as diligências até os locais.  Onde foram constatados a veracidade dos fatos, encontrados com Silvia Fernanda 39 invólucros de crack e apetrechos para embalagem da substância; com Thais Silva foram apreendidos 5 invólucros de crack e apetrechos para embalagem e com Thays Raquel foram apreendidos 17 invólucros de crack, 19 invólucros de maconha e a quantia de R$ 271, 00 em espécie.

Todas foram encaminhadas à sede da Senarc, onde foram autuadas por prática de crime de tráfico ilícito. Após adoção dos procedimentos legais e de praxe, todas foram levadas ao Centro de Triagem de Pedrinhas, onde ficarão à disposição do Poder Judiciário.

Carla Andrade – ASCOM/SSP 


Uma ação conjunta das policias civil e militar da cidade de Balsas conseguiu desarticular na manhã desta quinta-feira (26), uma quadrilha de assaltantes de banco. Oriundos do estado de Minas Gerais, Tiago Neves Rodrigues, o “Pejor”; Tiago Rodrigues Braga; Douglas Elias dos Santos, o “Ratão”; Cairon Costa Ferreira e, sua companheira que é natural de balsas Josélia Passos, planejavam explodir uma agência bancária na cidade ainda hoje.
De acordo com o Comandante Tenente Coronel do 4° BPM, Juarez Medeiros as informações foram originarias do Serviço de Inteligência da Polícia Militar de Minas Gerais, onde relataram que o bando planejava explodir uma agencia bancaria na cidade.
Logo o Serviço de Inteligência da Polícia Militar de Balsas de posse desse informe conseguiu localizar o veículo vindo de Minas Gerais. Após o monitoramento minucioso de quatro dias foi possível localizar a residência onde o grupo estava.
Nesta manhã o delegado regional de Polícia Civil de Balsas, Fagno Vieira representou pelo mandado de busca e apreensão na residência que foi de pronto deferido pelo juiz Francisco Fernandes.
Tendo em mãos o mandado de busca e apreensão foi montado uma operação com polícias do Grupo de Operações Especiais – GOE e Força Tática no que obtiveram êxito na prisão dessa quadrilha. No interior do domicílio foi encontrado uma grande quantidade de pólvoras, que estava sendo utilizada para fazer explosivos.

Carolina Gomes – ASCOM/SSP 


Foto: Divulgação

O taxista segue internado em estado grave e já passou por várias cirurgias

O assaltante Paulo Roberto Mendes do Nascimento, 24, foi preso nesta quarta-feira à tarde, depois de assaltar e aplicar vários golpes de faca em um motorista de táxi, que continua internado em estado grave no Hospital e Pronto-Socorro Dr. João Lúcio Pereira.

De acordo com a polícia,  o assaltante pegou o táxi nas imediações do Parque do Mindu, no bairro do Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul de Manaus. O assaltante pediu para o taxista levá-lo para a Avenida das Torres, onde alegou que trabalhava.

No caminho o taxista foi atacado a facadas e um dos golpes atingiu sua garganta, provocando grande hemorragia. Segundo os médicos que atenderam a vítima, o taxista só não morreu por um verdadeiro milagre.

 

O assaltante foi preso em flagrante

e confessou o assalto violento ao taxista
O assaltante fugiu levando dinheiro das corridas, relógio, telefone celular e cartões de crédito que estavam na carteira do taxista. Outro taxista que passava pelo local viu marcas de sangue na lataria do taxi, parou e socorreu o colega de profissão.
O assalto foi comunicado no 23º Distrito Integrado de Polícia (DIP) onde os investigadores de plantão receberam uma denúncia anônima indicando quem era o assaltante e depois de duas horas à procura de Paulo Roberto Mendes, ele foi localizado e preso.
Levado para o 23º DIP, o assaltante, que já tinha passagem na polícia, confessou o crime.

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES! 

 

 

Fotos: Divulgação