O senador Edison Lobão (MDB) juntamente com Roseana (MDB) e Sarney Filho (PV) estiveram em carreata na Cidade Operária em São Luis, neste domingo (26):

09h – Cidade Operária.

ASCOM – Senador Edison Lobão.

Elton Costa de Araújo tinha 20 anos e cumpria prisão preventiva por tráfico de drogas. Ele foi encontrado em um banheiro.

Um detento da Penitenciária de Pedrinhas morreu na manhã desta quinta-feira (3) dentro da Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 3 (UPSL 3). Ele foi identificado como Elton Costa de Araújo, de 20 anos.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que já comunicou às polícias Civil e Militar a morte do interno. Ele teria sido encontrado sem lesões corporais aparentes no banheiro do banho de sol da unidade prisional, logo após o retorno dos internos para seus respectivos pavilhões.

Elton cumpria prisão preventiva em Pedrinhas por tráfico de drogas (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Elton cumpria prisão preventiva por tráfego de drogas. A decisão foi determinada em 19 de fevereiro deste ano decorrente de um inquérito proveniente da Delegacia do Maiobão, em Paço do Lumiar. A Delegacia de Homicídios acompanha o caso.


A Polícia Militar por meio do 6º Batalhão no comando do major Marcelo, na última segunda-feira (08), por volta das 16h40 localizou a menor desaparecida no mês de novembro de 2017.

O grupo de serviço avançado do 6º Batalhão recebeu determinação do coronel Aritanã, comandante do CPAM 2, para localizar a menor que havia sido aliciada por seu namorado criminoso Jefferson Raimundo Vaz Correa. Iniciando os levantamentos de inteligência e mantendo contato com colaboradores, recebeu-se a informação de que o casal havia fugido de um cerco policial na cidade de Santa Helena, após Jefferson ter roubado uma motocicleta. Na fuga deixaram para trás diversos objetos, entre eles um cartão de memória contendo imagens de Jefferson portando uma pistola calibre .40 mm pertencente à Polícia Militar do Maranhão e que havia sido subtraída pelo mesmo.

Após ampla divulgação das imagens dos envolvidos através das redes sociais, na tarde de hoje (08), o serviço de inteligência do 6º Batalhão recebeu ligação de um colaborador informando ter avistado uma jovem muito parecida com a menor em busca na região da Santa Bárbara. De imediato deslocamos para o bairro e procedemos diversas incursões, até o momento em que foi possível avistar a adolescente transitando em via pública. A mesma foi abordada de imediato e conduzida para a delegacia da Cidade Operária, onde fizemos contato com sua família e em seguida apresentada para o delegado de plantão para os procedimentos cabíveis.

Paralela a apresentação da menor, a guarnição da viatura da raposa havia prendido Jefferson no mesmo momento, em companhia de dois outros elementos na região da praia do Aracagi, com drogas. Ao ser questionado sobre a arma da Polícia Militar que estava em seu poder, este relatou que havia vendido a mesma para um elemento no município de Santa Helena. Informação que coincidia com o relatado pela menor para o GSA.

De imediato o serviço de inteligência manteve contato com o soldado Froes da guarnição do município de Santa Helena e repassou todas as informações obtidas, e este acionou as guarnições de serviço que deslocaram até o povoado Bom Viver e efetuaram a recuperação da pistola pertencente a Polícia Militar do Maranhão.

Por: Carla Andrade/Ascom-SSP


Luan da Silva foi preso durante cerco policial realizado no condomínio Poeirão, no Bequimão, ontem (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS – Um forte aparato policial, com a participação do Corpo de Bombeiros Militar e do Centro Tático Aéreo (CTA), realizou ontem uma operação em um condomínio inacabado, localizado no bairro do Bequimão, conhecido como Poeirão, que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A ação resultou somente na prisão de um dos chefes de uma facção criminosa, oriunda do Rio de Janeiro, e ex-presidiário, identificado como Luan Alexandre da Silva, de 23 anos. Em poder dele, foi apreendida uma pistola 380 e uma quantidade de maconha.

Há informações de que a realização da operação policial teria sido vazada e por isso criminosos que agem na localidade fugiram antes do cerco policial. Segundo informações da polícia, a área habitacional é de responsabilidade da Prefeitura, mas, no momento moram 237 famílias, que possivelmente, podem ter ligação com membros de facção e criminosos, que estão realizando de forma diária roubo, homicídios, venda de droga e tiroteio na cidade.

Facção criminosa

“A localidade foi invadida primeiramente por integrantes de uma facção criminosa do Rio de Janeiro e posteriormente vieram morar pessoas de bem, mas, permitidas pelos faccionados”, declarou o delegado Carlos Alberto Damasceno, coordenador da operação. Ele informou que o cerco policial tinha três objetivos. Um deles era cumprir 237 mandados de busca e apreensão nos apartamentos, em busca de apreender armas de fogo e drogas.

A operação também visava prender foragidos da justiça e criminosos, acusados de cometer tiroteio, homicídio, roubo, latrocínio e comercialização de drogas e identificar moradores suspeitos de terem ligação diretamente com integrantes de facções criminosas. “Vamos tentar separar as pessoas de bem e prender aqueles que devem à justiça. Há possibilidade de haver outras incursões nesse condomínio no decorrer deste ano”, disse o delegado.

O condomínio começou a ser construído em 2005, com recursos do programa federal Promorar e, em 2009, teve investimentos do Habitat Brasil, que é um programa da União, mas, coordenado na capital pela Prefeitura. O delegado informou que, no momento, a Prefeitura pretende terminar a construção desse condomínio por meio do programa Minha Casa, Minha Vida. Inclusive, uma empresa de construção civil já esteve no local, realizando uma vistoria técnica.

A Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh) informou, por meio de nota, que as obras do condomínio fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), de responsabilidade da Prefeitura, por meio da Semurh. Esclareceu que, atualmente, o projeto está em fase de revisão na Caixa Econômica Federal, que é o ente financeiro do PAC.

Investigação

Carlos Damasceno informou que a operação policial foi fruto de trabalho investigativo feito pela equipe da Superintendência da Polícia Civil da Capital (SPCC) e denúncias anônimas de que o condomínio era comandado por integrantes de uma facção criminosa, com ocorrências de tiroteio, venda de drogas e roubo.

Ontem, mais de 700 profissionais da segurança pública estiveram no local, composto por 25 prédios e, segundo o delegado, com o propósito de cumprirem 237 mandados de busca nos apartamentos. Os policiais revistaram todos os apartamentos e conseguiram apreender balança de precisão, munições de calibres diversos, roupa – possivelmente utilizada em assaltos na Ilha – e efetuaram a prisão de Luan da Silva.

Conforme o delegado, Luan da Silva, durante a abordagem tentou jogar uma pistola 380 pela janela, mas acabou sendo surpreendido pelos policiais, que ainda encontraram uma quantidade de maconha. Ele estava em liberdade provisória e tinha sido preso pelo crime de roubo, por uma guarnição da Polícia Militar, no dia 15 de fevereiro deste ano, na Vila Palmeira, com Ronald Santos Costa. Com eles, a polícia apreendeu uma motocicleta Bros, de placa OXZ 7922; uma escopeta ponto 12, três munições, um rifle 22 e três carregadores de calibre 22.

O delegado Armando Pacheco, superintendente da SPCC, informou que por os policiais civis terem atuado nessa operação ontem, os Plantões da Polícia Civil da Ilha funcionaram por um período de 24 horas para atender a demanda das ocorrências policiais.

Protesto
Os moradores do condomínio Poeirão realizaram um protesto no Bequimão, durante a tarde de ontem, porque a luz dos apartamentos foi cortada. Os manifestantes colocaram pedaços de pau, concreto e galhos de árvore na Avenida 1 e a Alcântara, no Bequimão.

Alguns chegaram a deitar no meio da via, para que os veículos não pudessem trafegar. O movimento somente terminou com a chegada da Polícia Militar e o trânsito voltou ao normal no bairro do Bequimão.

Com informações: O Estado


A Polícia Civil, por meio da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico – Senarc, dando continuidade às ações de combate ao tráfico de drogas na capital maranhense, prenderam três mulheres na tarde do último dia (26), Silvia Fernanda Lopes Gomes; Thais Silva Brandão e Thays Raquel Freire Costa, todas por prática de crime de tráfico ilícito.
A operação deflagrada foi decorrente de denúncia via aplicativo WhatsApp, dando conta que as suspeitas estavam comercializando droga nas suas devidas residências, localizadas na Camboa, Anjo da Guarda e no Monte Castelo. Diante dos fatos e com as informações necessárias foram feitas as diligências até os locais.  Onde foram constatados a veracidade dos fatos, encontrados com Silvia Fernanda 39 invólucros de crack e apetrechos para embalagem da substância; com Thais Silva foram apreendidos 5 invólucros de crack e apetrechos para embalagem e com Thays Raquel foram apreendidos 17 invólucros de crack, 19 invólucros de maconha e a quantia de R$ 271, 00 em espécie.

Todas foram encaminhadas à sede da Senarc, onde foram autuadas por prática de crime de tráfico ilícito. Após adoção dos procedimentos legais e de praxe, todas foram levadas ao Centro de Triagem de Pedrinhas, onde ficarão à disposição do Poder Judiciário.

Carla Andrade – ASCOM/SSP 


Durante o assalto, por volta das 13h19 deste domingo, um policial reagiu. Houve morte e passageiros feridos.

O ônibus coletivo da linha Coqueiro sofreu tentativa de assalto neste domingo, dia 1, por volta das 13h19. O incidente ocorreu em Oleama, na Estiva. Dois meliantes tentaram entrar no ônibus, mas, ao perceber o possível assalto, o motorista rapidamente fechou as portas. Apenas um assaltante conseguiu entrar no veículo.

Assalto a ônibus em São Luís.

Segundo relato, durante o assalto com uso de arma de fogo, o policial Walderson Gatinho, que seguia para o seu plantão, reagiu. Houve troca de tiros e o assaltante, ainda não identificado, foi baleado e não resistiu aos ferimentos. Morreu no local.

Já o policial Walderson, que foi atingido de raspão no queixo, recebe atendimento médico e está fora de perigo. Durante a troca de tiros, outros dois passageiros foram atingidos. Ambos, uma jovem e um rapaz ainda não identificados, estão fora de perigo.

Arma utilizada pelo assaltante.

Fonte O Imparcial


 O trabalhador não resistiu ao ser baleado na região do pescoço. (Foto: Divulgação)

Fontes da SHPP disseram que o trabalhador foi atingido por disparos de arma de fogo no pescoço, morrendo no local.

Na manhã desta terça-feira (26), ocorreu um homicídio doloso na Feira do João Paulo, mais precisamente na Rua Projetada, por volta das 9h. De acordo com esclarecimentos da Superintendência Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), a vítima trabalhava como engraxate, mas ainda não foi identificada. O homem não resistiu após ser baleado.

Fontes da SHPP disseram que o trabalhador foi atingido por disparos de arma de fogo no pescoço, morrendo no local. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, mas nada pôde fazer, pois o engraxate já estava morto no chão. O delegado Felipe, da Superintendência de Homicídios, esteve no trecho do assassinato, colhendo dados importantes para descobrir o autor dos tiros e a dinâmica da execução.


Publicado em por

O advogado Roberto Elísio Coutinho, que foi filmado agredindo a própria mãe em São Luís (reveja), removeu sua conta no Facebook.

Por volta das 23h de ontem (25) começaram a circular os primeiros vídeos das agressões.

As imagens provocaram reação imediata de internautas contra o agressor.

Diante da repercussão do caso, a página dele na rede social acabou sendo excluída, provavelmente pelo próprio.

Providências

Em mensagem postada na página do Blog do Gilberto Léda no Facebook, o corregedor-geral do Ministério Público do Maranhão, Eduardo Nicolau, informou que o órgão já está tomando providências.

“Providências estão sendo tomadas com urgência”, destacou.

Outro lado

O blog já entrou em contato com Roberto Elísio e aguarda retorno. Mais cedo ele deu entrevista ao jornalista Marcial Lima, quando alegou ser esquizofrênico (saiba mais)

Mais um vídeo exclusivo

Além dos vídeos que já circulam nas redes desde quinta-feira, o Blog do Gilberto Léda teve acesso a mais uma série de gravações contendo agressões do advogado à idosa.

Por conta do teor repugnante das imagens – e por entender que o que precisava ser visto sobre o assunto já foi mostrado -, a filmagem abaixo é a última sobre o assunto a ser publicada.

 


Durante a troca de tiros, dois policiais da Senarc foram baleados nas mãos.

Após escapar do CDP, “Bebezão” e “Amarelinho” foram se esconder na Vila Conceição, onde ontem enfrentaram a polícia e morreram.

Por Nelson Melo

Em uma situação tensa registrada no fim da tarde de ontem (23), por volta das 17h, na Vila Conceição, Altos do Calhau, em São Luís, dois policiais da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc), identificados como Jesse e Weslley, foram baleados na mão. O caso aconteceu durante uma operação da equipe no local, sendo que dois bandidos foram alvejados no confronto e morreram. Eles foram identificados como Ronalth Correia Coelho, conhecido como “Bebezão”; e Valdemir Laurindo Flores, o “Amarelinho”, de Alagoas, que teriam liderado a explosão ocorrida na noite de domingo (21), no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, e resultou na fuga de 32 detentos.

O delegado Tiago Salgado, da Senarc, descreveu que os investigadores seguiram à Vila Conceição para efetuar a condução de um criminoso reconhecido como “Codó”, que seria um dos líderes da facção Comando Organizado do Maranhão (COM). No entanto, ao entrarem na casa do bandido, apenas a esposa dele estava na residência. De lá, os policiais se deslocaram a outro imóvel, onde o procurado estaria escondido logo após perceber a presença das equipes.

Nesta casa, disse Salgado, “Codó”, “Bebezão” e Laurindo Flores já haviam rendido cinco moradores, que ficaram sob a mira de um fuzil calibre 556, uma pistola ponto 40 e um revólver calibre 38. Na chegada dos policiais, Jesse e Weslley acabaram sendo atingidos por tiros na mão, sendo levados a um hospital, mas não correm risco de morrer. Do lado de dentro, os dois comparsas do líder do COM também foram baleados, mas não se entregaram de imediato.

Enquanto isso, iniciou-se uma negociação com os suspeitos para que liberassem os reféns. O diálogo com os bandidos foi tenso, mas, após conversas, dois moradores foram liberados, e depois mais outros. Com o apoio do Grupo de Resposta Tática (GRT) da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), do Centro Tático Aéreo (CTA) e da Polícia Militar, todos os moradores foram soltos, sendo que “Codó” saiu com o último refém ainda com arma de fogo apontada para sua cabeça.

“Bebezão” e “Amarelinho” feridos, então, foram levados ao Hospital Municipal Doutor Clementino Moura (Socorrão 2), na Cidade Operária, onde não resistiram. Com eles, as equipes apreenderam o fuzil, a pistola e o revólver. O delegado Tiago citou que em desfavor de “Codó” havia um mandado de prisão decretado, mas não especificou por qual crime.


IMG_2941-1180x502

Dando continuidade ao combate a crimes contra a mulher, a Secretaria de Segurança Pública do Estado apresentou, na tarde desta quarta-feira (9), José Mario Oliveira Prazeres, de 39 anos e Genilson Melo Cabral, de 25 anos, suspeitos de encomendar e cometer homicídios contra duas mulheres em cidades do interior do Maranhão, caracterizando os crimes como feminicidios.

A primeira ação policial ocorreu na cidade de Miranda do Norte, que resultou na prisão de José Mario, suspeito de cometer ou encomendar a morte de Francisca das Chagas da Silva no início de fevereiro deste ano.  De acordo com o delegado regional de Itapecuru-Mirim, Samuel Morita, os motivos que levaram ao crime ainda não foram esclarecidos, porém investigações e denúncias mais apuradas apontam a participação direta do suspeito. O crime teve grande repercussão na região devido a vítima ser uma líder sindical muito simpatizada pela população.

Em outra operação, a polícia civil, por meio da Delegacia Especial da Mulher de Bacabal, conseguiu prender, na tarde da terça-feira (8), Genilson Melo, suspeito de matar uma idosa de 85 anos naquela cidade.

Segundo a delegada Fernanda Chaves, o acusado tinha o hábito de invadir residências onde moravam apenas mulheres. No momento do crime, ele teria entrado pelo telhado da casa, onde estavam a idosa Maria Luiza e sua filha deficiente auditiva e visual e, em seguida, cometeu o estupro e o estrangulamento de Maria Luiza. Genilson foi preso no momento em que dormia ao lado corpo da vítima.

A prisão foi baseada também em depoimentos de possíveis vítimas do maníaco. O suspeito foi encaminhado à delegacia da cidade, onde confessou o crime.

IMG_2958

Além dos delegados das regionais, estiveram presentes na coletiva o Secretário de Segurança, Jefferson Portela, o Delegado-Geral da PC, Lawrence Melo, o Comandante-Geral da PMMA, Coronel Pereira, o Superintendente da Polícia Civil do Interior (SPCI), Dicival Gonçalves e a Secretária Adjunta da Mulher, Susan Lucena.

De acordo com o secretário Jefferson Portela, essas prisões provam que qualquer tipo de violência contra a mulher não será tolerado pelas autoridades policiais do estado do Maranhão. Ele ainda citou projetos que devem ser lançados no objetivo de prevenir e reprender esse tipo de crime, táticas adotadas para prestar assistência às mulheres do estado.