Na manhã desta terça-feira o prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, participou, a convite do Sindicato dos professores, de uma Assembleia Geral para discutir sobre o momento que a educação do município passa.

O prefeito esteve presente na assembleia extraordinária, convocada pela direção do Sindicato dos professores de Pinheiro, onde na oportunidade conversou com os servidores efetivos da rede municipal de educação sobre  o Plano de Cargos, Carreira, Salário e Remuneração, bem como esclareceu dúvidas sobre os recursos do Fundeb, expôs ainda as dificuldades que o município vem enfrentando devido a crise econômica e política que se  passa no país e se comprometeu em  dialogar com todos os professores sobre qualquer assunto de interesse deles.

De forma racional e inteligente, os professores optaram em sentar a mesa para negociar com o gestor. De forma democrática foi formado uma comissão com sindicato, secretaria de educação, secretaria de finanças, procuradoria municipal, promotoria pública. Segundo o sindicato foram retomadas onde as discussões sobre  PCCR- Plano de Cargos e Carreiras e Remuneração, onde, este plano irá  assegurar os Direitos do Trabalhador e Trabalhadora da Educação, acordo esse firmado entre o gestor e a classe. O sindicato afirmou ainda que essa discussão terá pressa para ser encaminhada antes do final de novembro para a Câmara Municipal antes do prazo da LOA Lei Orçamentária Anual. Além disso o ls professores decidiram não aderir a paralisação haja vista q o prefeito se comprometeu em cumprir com  as reivindicações do sindicato.


Desta forma o prefeito Luciano mostrou pulso firme em enfrentar de frente os problemas e explanar de forma inteligente as dificuldades que o município enfrenta, devido a vários cortes de verbas da educação feitas pelo governo federal.

“Estivemos sempre abertos ao diálogo e desta vez não foi diferente, a classe dos professores faz parte do meu governo, estamos unidos em prol da educação e não será diferente, estou disposto a sentar a mesa com a categoria e ouvir as reivindicações para que juntos, governo e sindicato, façam uma educação de qualidade em Pinheiro. Farei de tudo para que os acordos firmados sejam cumpridos e que ambas as partes andem de mãos dadas. Agradeço aos professores, em nome da professora Dinele, que compreenderam as dificuldades que expusemos e por confiar no nosso governo”, afirmou o prefeito Luciano.
A professora Dinele que é a presidente do Sindicato nos afirma que: “Fizemos essa reunião e convidamos o gestor para que ele explicasse o que estava acontecendo com a educação do município e  o por que dos atrasos de salários dos servidores da educação, e ele nos explicou tudo e concordamos e aceitamos os acordos, e todos os acordos firmados foram n formalizados numa TAC – Termo de Ajuste de Conduta- que será levado ao Ministério Público. Posso dizer que a reunião foi proveitosa e que com diálogos tudo se resolve, também decidimos que não haverá paralisação das aulas por parte dos professores, pois o prefeito se comprometeu em ajudar a categoria”, afirmou Dinele.

E é assim que o prefeito mostra liderança no município, conversando com as classes, e mostrando o real momento que o município e o Brasil estão passando.

Com informações do Blog do Wellington Sergio


O Sindicato dos Servidores e Servidoras do Serviço Público Municipal da Educação de Pinheiro-Ma SIMPROSEMPI reuniu nesta quita feira (09), juntamente com o Prefeito Luciano Genésio para discutirem o que em pauta foi alinhado entre o governo municipal e os representantes do Sindicato dos Professores, ação esta que nitidamente era ignorada pelo ex-gestor municipal Filuca Mendes (PMDB) durante as duas décadas que administrou o nosso município

Desta vez o cumprimento da Lei e a garantia dos benefícios que a classe da Educação tem direito, apontado pelo do acordo firmado hoje com o Prefeito Luciano Genésio e a classe .

O diálogo para abertura da CONSTRUÇÃO PARA UMA NOVA HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO será daqui pra frente uma das formas de atuação da Secretaria de Educação no governo de LUCIANO, tendo como principal pauta a melhoria da área de recursos humanos visando corrigir as questões relacionadas à situação dos servidores e o quadro docente para prover alternativas e melhoria para a categoria.

 

O Prefeito municipal se disponibilizou em auxiliar no que for necessário para resolver questões que ele considera importantes, no andamento das ações para a secretaria e melhoria salarial dos professores.

Todo um levantamento do quadro atual vem sendo finalizado, segundo o Secretário de Educação AUGUSTO MIRANDA, que destacou ainda a sua preocupação que seja de imediato resolvida a situação do pagamento do 1/3 de férias que é garantido por Lei e que será honrado com o efetivo pagamento. (Disse o Secretário.)

 

Ao se reportar à classe dos educadores, o Prefeito Luciano Genésio falou em primeiro momento que a abertura desses diálogos com o Sindicato é uma ação de comunicação de vital importância entre o governo e a classe dos Professores, fazendo com que haja sempre as conversações para soluções sobre as problemáticas da Educação. Participaram ainda da reunião o Vice-Prefeito Stélio Cordeiro, advogado do Sindicato e autoridades da educação que consideraram que a reunião foi de grande importância para este primeiro contato com a representação dos servidores e os gestores da administração municipal.

 


SINDICATO SÃO BENTO

SINPROESEMMA NÚCLEO DE SÃO BENTO RECORRERÁ À JUSTIÇA CONTRA O PREFEITO DO MUNICÍPIO.

O SIMPROESEMMA NUCLEO DE SÃO BENTO – MA, decidiu em Assembleia Geral, nesta quarta feira 03/08/16, realizada no Auditório da Escola Dom Luís de Brito, QUE AJUIZARÁ Ação contra o Prefeito de São Bento, CARRINHO MUNIZ, Carrinho Muniz, por não pagar o reajuste de 11,36% dado à categoria dos profissionais da Educação, pelo governo federal, devido desde  janeiro deste ano, o Sindicato do Magistério Municipal deverá acionar o Ministério Público do Trabalho (MPT), o Ministério Publico Estadual e a Justiça do Trabalho para resolver a pendência.

A classe dos profissionais da educação alega que se passaram sete meses e nenhum percentual foi oferecido pelo prefeito à categoria, como sinal do seu interesse pela valorização dos trabalhadores em educação.

SINDICATO II

Saiba o que é PISO SALARIAL – O piso salarial profissional para os profissionais do magistério público da educação básica é o valor mínimo que os professores em início de carreira devem receber. A regra vale para todo o país. Esses profissionais devem ter formação em magistério em nível médio (ou antigo curso normal) e carga horária de trabalho de 40h semanais, e atuar em estabelecimentos públicos de ensino na educação infantil, no ensino fundamental e no ensino médio, em todo o país.

piso salarial nacional do magistério foi instituído pela Lei n° 11.738, de 16 de julho de 2008, regulamentando uma disposição já prevista na Constituição Federal (alínea ‘e’ do inciso III do caput do artigo 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias) e na Lei de Diretrizes e Base da Educação – LDB (Lei nº 9.394/96). Esta lei também fixou limites para o trabalho de interação com os alunos na composição da jornada docente: professores devem passar no máximo dois terços (2/3) da carga horária em sala de aula, e no mínimo um terço (1/3) da jornada de trabalho deve ser destinado às chamadas atividades extraclasse, como planejamento de aulas, reuniões pedagógicas, correção de atividades etc.

 


 

LUDRIBIAÇÃO

O TEMPO PASSOU, DOIS ANOS SE FORAM A EXATAMENTE 08 DE FEVEREIRO DE 2014- LUDIBRIOU E NÃO PAGOU – Lembram-se

O caramboleiro gestor publico da Prefeitura Municipal de Pinheiro-Ma ,Filuca Mendes (PMDB),tentando subestimar a inteligência da professora Dinele Ribeiro, atual presidenta dos Sindicato dos Professores de Pinheiro-Ma, e usa mais uma vez de suas artimanhas corruptas.

Desta vez o maquiavélico e satânico prefeito, temendo uma nova manifestação de rua pelos grevistas justo no dia da reunião que trataria da construção ou não, do PRESIDIO DE PONTA DE SANTANA, local onde estariam presentes varias Autoridades Municipais e Estaduais além da impressa maranhense que com certeza presenciaria e ouviria o canto de lamento dos mestres da educação.

Assim, o caramboleiro pegou sua “ tropa de choque” com nome de comissão de negociação,  formada por um advogado, o procurador do município , o contador da Prefeitura e a coordenadora do FUNDEB  a esferográfica Secretaria da Educação do Município e tentou LUDIBRIAR Professores e a Sociedade Pinheirense, prometendo uma negociação como Sindicato da Classe, caso a Diretoria cessasse imediatamente a GREVE.

Assim sendo: O dito cujo prefeito, ficaria comprometido em apresentar até o dia 12 do mês em curso a Prestação de Contas dos Recursos do FUNDEB relativo ao exercício de 2013, como também os Recursos deixados pelo seu seu antecessor para o pagamento do Abono Salarial do ano 2012.
Deu para acreditar nisso ?…

LUDIBRIOU E NÃO PAGOU.


CARRINHO PRONTO

Enviado por: Domingos Costa Leite

Por motivo do não pagamento do salário de dezembro/2015, a Diretoria do Sinproesemma (núcleo local), na pessoa do presidente, professor Sérgio de Assis Lopes, esteve em audiência com o prefeito Carrinho Muniz, no dia 12, para saber o motivo que levou a tal situação. A justificativa do não pagamento do salário de dezembro, pelo prefeito, foi em razão do atraso de dois a três meses de salários de outros profissionais, (com os quais ele tinha compromisso) – disse o presidente. Todavia, apresentou ao presidente Sérgio de Assis Lopes, uma proposta na qual garante que vai pagar o atrasado no dia 20 de janeiro. Adiantou também, que pagará o mês de janeiro no dia 02 de fevereiro/2016, conforme o documento abaixo, assinado por ele, a pedido do presidente do Sindicato. Essa proposta foi levada ao conhecimento dos sindicalizados, em reunião realizada ontem, quinta-feira, 14.
O repasse do FUNDEB para o município de São Bento, conforme o site das Transferências Constitucionais foi de R$ 2.054.754,94 (dois milhões cinquenta e quatro mil setecentos e cinquenta e quatro reais e noventa e quatro centavos).
(Compreende-se que a causa do atraso não é a crise que hoje, se torna o bode expiatório para muitos gestores mas, a falta de um planejamento.)

Foto de Domingos Costa Leite.
Foto de Domingos Costa Leite.
Foto de Domingos Costa Leite.
Foto de Domingos Costa Leite.

 

DINELE

Presidente do sindicato municipal de Pinheiro sofre ataques da prefeitura
Publicado em 11/nov/2015 Reeditado/ www.jgmoreira.com.br / 16:26 hs

Após sofrer denúncias na Câmara Municipal e ser acionado pelo Ministério Público Estadual, o prefeito de Pinheiro, Filuca Mendes, começou a retaliar a presidenta do Sindicato dos Professores Municipais de Pinheiro (SINPROSEMP), Dinele Ribeiro. Segundo os sindicalistas, o objetivo é intimidar os servidores e reduzir o papel Sindicato, responsável por desencadear uma greve em outubro e denunciar o mau uso do dinheiro público da educação.
A professora Dinele, alvo dos ataques dos aliados políticos do prefeito Filuca, foi uma das responsáveis pela coordenação da greve que paralisou a rede municipal por semana no mês de outubro. A dirigente encabeçou a luta pela aprovação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos, a gratificação para educadores em salas superlotadas e gratificação por deslocamento.

Acordo não honrado. Para encerrar o movimento, o prefeito chegou a se comprometer em fornecer a folha de pagamento do município ao Sindicato. O documento seria analisado pelos educadores para ter a dimensão do quadro financeiro da cidade e projetar a possibilidade de reajuste salarial e gratificações.

Porém, após o reinício das aulas, em vez honrar os compromissos assumidos com o SINPROSEMP, o gestor deflagrou várias perseguições contra os educadores que não foram às salas de aula na greve. Uma das frentes busca pedir o afastamento da professora Dinele, o que desarticularia a organização dos trabalhadores e assustaria a categoria a fazer novos protestos na cidade.

De acordo com as denúncias, o prefeito trabalha com diretores indicados para a formulação de um abaixo-assinado, no qual cobra a suspensão imediata da professora das suas funções.

Mesmo com as perseguições, a coordenadora do Núcleo do SINPROESEMA em Pinheiro, Leonizia Rodrigues, que acompanha a luta na região, reafirma que os trabalhadores não vão se intimidar diante das perseguições e prometem reforçar ainda mais a luta pela valorização salarial no município. Sinproesemma Núcleo PinheiroSinprosempi Pinheiro Leonizia Rodriguez