No Rio Bebê Bebê baleado na cabeça no útero da mãe foi reanimado ao nascer

Bebê baleado na cabeça no útero da mãe foi reanimado ao nascer. veja imagem

A radiografia do bebê, feita às 2h47 do último dia 7, mostra a bala alojada na cabeça

A primeira imagem registrada de Bernardo ao vir ao mundo não tem laços, balões nem unicórnios coloridos. Em preto e branco, o primeiro registro da criança, que nasceu prematura de oito meses na madrugada do domingo passado, é um raios X de perfil que mostra a bala que perfurou o útero da mãe do menino e foi se alojar na cabeça do bebê. Uma lembrança indesejável, que mãe alguma gostaria de guardar ao lado do primeiro cachinho de cabelo cortado. Esse é o tipo de violência que deixa os seres humanos aterrorizados.

Antes mesmo de nascer, Bernardo foi vítima da violência que aterroriza os cariocas. A mãe dele, que prefere não ser identificada, foi baleada enquanto estava sentada na calçada de casa na comunidade Terra Nostra, em Costa Barros. Logo após a cesariana de emergência, o bebê precisou ser reanimado e intubado. Com apenas 2,2 quilos, Bernardo veio ao mundo com os pulmões ainda imaturos.

Por isso, somente após três dias na UTI neonatal do Hospital municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, ele foi operado e teve a bala retirada da nuca, onde estava alojada entre o couro cabeludo e a calota craniana. Um milagre, segundo o chefe da Neonatologia do hospital, José Alberto Vieira.

A radiografia do bebê que foi baleado na cabeça no útero da mãe (Foto: Reprodução)

O médico explicou que exames realizados no recém-nascido confirmaram que a bala não provocou danos cerebrais. Uma ultrassonografia feita na última quinta-feira mostrou que não há edema nem sangramento na cabeça do bebê. Assim como Bernardo, sua mãe também segue “clinicamente bem”.

O próximo passo é retirar a criança do respirador artificial. Para isso, os médicos já começaram a reduzir a sedação do recém-nascido e, aos poucos, estimulam Bernardo a respirar sozinho. Por meio de uma sonda, ele recebe alimentação.

Enquanto isso, a mãe do bebê também se recupera bem. Ela deve receber alta esta semana.

Informações : O Globo


Na manhã da última quinta-feira (07), em uma operação coordenada pela Superintendência Estadual de Investigações Criminais – Seic, com apoio de outras unidades da Polícia Civil, realizou uma operação em desfavor de integrantes de uma facção criminosa, dando-se cumprimento a 16 (dezesseis) mandados de busca e apreensão e a 05 (cinco) mandados de prisão, resultando, ainda, em 03 (três) prisões em flagrante.

A ação foi coordenada pelo Departamento de Combate ao Crime Organizado e teve como alvo indivíduos suspeitos de integrarem uma facção criminosa com a prática de tráfico, homicídios, porte de armas/munições e outros delitos.

Foram presos e encaminhados ao sistema penitenciário estadual os nacionais Higor Azevedo Ramos – “Higor Bola” (101 papelotes de crack, caderno de anotações de tráfico de drogas e quantia em dinheiro); Ronilson Dias de Souza  – “Jumentão” (50 gramas de crack, R$ 499,00, petrechos para o tráfico, 01 veículo Corsa/Classic e 04 aparelhos celulares); Carlos Feitosa da Silva – “Carlinhos” (500 gramas de crack, 02 balanças de precisão, R$ 437,00 e 02 aparelhos celulares); Mauro Alberto Guterres (03 aparelhos celulares, caderno com anotações de contabilidade e R$ 290,00) e Valquiria dos Santos Machado (03 aparelhos celulares, R$ 200,00 e caderno com anotações de contabilidade).

Por: Carla Andrade/Ascom-SSP


A Madrugada em Zé Doca foi de total terror, por volta das 2h da madrugada bandidos fortemente armados cercaram o quartel da Policia Militar e trocam rajadas de tiros com a PM, enquanto outro bando assaltava a agência do Banco do Brasil da cidade.
A quantidade tiros foram intensas nas ruas, impedindo pessoas e veículos trafegarem. Lojas e supermercados também foram atingidos.
Às 02:45 após explodiram a agência do banco do Brasil, as informações dão conta que os criminosos fugiram em direção a cidade de Araguanã em três veículos, uma Hilux, uma Estrada e outro carro não identificado.
Esta é a segunda vez que a agência é explodida por criminosos. Até o momento não se sabe a quantidade que foi levado do banco e nem o rumo certo dos bandidos, a Polícia trabalha para que tudo seja solucionado rapidamente. Breve mais informações deste caso.


Nosso Portal de Notícias recebeu a informação de uma onda de assaltos a motocicletas que aconteceram neste domingo (23), na cidade de Mirinzal.

Segundo informações, muitos assaltos tem acontecido com muita frequência na cidade, dizem os moradores. Em um dos casos, uma moto foi roubada na porta da residência do cidadão.

Há alguns dias que um jovem foi alvejado com um tiro numa tentativa de assaltantes roubarem sua motocicleta que, segundo os médicos, graças a Deus está em estado estável.

Ainda não há pistas dos ladrões que estão comandando essa onda de assaltos na cidade. E a situação não parece que vai melhorar, já que a polícia militar já está até saindo da cidade, em parte.


O Grupo de Operações Especiais GOE, do décimo Batalhão de Polícia Militar de Pinheiro,  localizou o veiculo dos joaninos que foram sequestrados em São Vicente Ferrer. A informação foi confirmadas pelas autoridades policiais.

De acordo com as informações, o veículo foi localizado nas proximidades do Conjunto Residencial Minha Casa, Minha Viva na Bubalina, em Pinheiro. Eles foram deixados pelos criminosos que abordaram os dois rapazes na tarde de ontem, em São Vicente Ferrer.

O veículo de Placa NXG 8707,  foi recuperado na manhã de hoje e é do auxiliar administrativo Souzinha Assunção.  Lifinho e Jailson ainda estão em observação no hospital de Pinheiro e não correm o risco de morrer.

Reveja a matéria do sequestro

 

Urgente: jovens de São João Batista são sequestrados em São Vicente Ferrer

  | 0 comentários

Dois jovens da cidade de São João Batista foram supostamente sequestrados em São Vicente Ferrer. Segundo as informações, trata-se dos jovens identificados apenas como Lifinho e Jailson.

Ambos são da região dos Campos, do povoado Perabendiba. De acordo com o que o blog colheu, eles estariam indo para a cidade de São Vicente Ferrer, quando supostamente sofreram uma tentativa de homicídio e logo em seguida foram sequestrados.

Um pegou dois tiros e o outro levou uma surra dos criminosos, que foram deixados na estrada entre São Vicente e Pinheiro. Os dois foram levados para a cidade de Pinheiro. Além disso, os criminosos levaram o carro que eles estavam.

Lifinho e Jailson ainda estão no Hospital de Pinheiro e estão fora de risco de morte. Um deles, Lifinho, é cortador de cabelo no centro de São João Batista.

Ainda segundo o que o blog colheu, o carro roubado é de Souzinha Assunção e um dos envolvidos é sobrinho do mesmo. O blog está colhendo mais informações e pode voltar ao assunto a qualquer momento.

Folha de SJB


De acordo com Polícia Militar, foi identificada uma possível bomba no 9º andar do prédio.

A Defesa Civil do Distrito Federal pediu que os funcionários do Ministério do Trabalho deixassem o prédio e que o público próximo se afastasse após a identificação de uma suspeita de bomba no 9º andar, na manhã desta quinta-feira (25).

A Polícia Federal e o Esquadrão Antibombas estão no local. Exército faz barreira em frente ao ministério para impedir que pessoas se aproximem.

O servidor Flávio Lopes disse que estavam trabalhando normalmente e os brigadistas e seguranças passaram nos andares avisando sobre a ameaça de bomba e pedindo para descer.

Fonte: G1Data de publicação:


colombiana-iv

Nesta sexta feira 21/10/201  nas primeiras horas da manhã, o corpo da mulher de nome ANA DOLORES CANTEIROS RIVEROS, (32 anos) de origem Colombiana , representante e vendedora de maquinas e roçadeiras  foi localizado por moradores  da localidade Iriri, municipio de Pinheiro-MA . Segundo informações do site Jornal Ação Turilândia, ela foi supostamente sequestrada na quarta feira (19/10) , em Santa Helena ou Turilândia, baixada ocidental maranhense. A policia já tinha empreendido diligência em busca da sua localização sem obter exito. O corpo foi encaminhado para o Hospital Antenor Abreu/Pinheiro-Ma  , onde será realizado a autópsia para descobrir a “morte” da jovem. O caso está sendo investigado pelas policias Civil  e Militar do 10º BPM/Pinheiro.

colombiana-v

Mais uma pessoa indefesa que é morta pela bandidagem, que segundo diz a população;  o crime ostenta poderes na baixada ocidental maranhense.

 

 

 

 


ASSALTOS

Segundo dados do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Maranhão (STTREMA), neste mês já foram registrados 13 assaltos à ônibus. No primeiro semestre, foram contabilizados 246 casos e abril foi o mês com a maior quantidade de assaltos com 62 casos registrados. O ano passado terminou com um total de 366 assaltos a ônibus.

  • THIAGO BASTOS / O ESTADO

Muitas pessoas estão sendo obrigadas a pegar vários ônibus para evitar ficar por muito em paradas por medo de assaltos; ocorrências dentro dos coletivos também assustam

O medo ainda é o sentimento dos usuários do transporte coletivo que aguardam à noite nos abrigos da capital maranhense, especialmente após as 20h. O Estado percorreu as principais avenidas da cidade e constatou que, apesar da promessa da Polícia Militar do Maranhão (PMMA) para reforçar a segurança nos corredores de São Luís (em operação intitulada Catraca), os cidadãos ainda temem a ocorrência de assaltos no horário.

Na Avenida dos Portugueses, por exemplo, em um ponto localizado ao lado do campus do Bacanga, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), usuários priorizam embarcar em qualquer coletivo por medo. “Eu poderia até pegar outro ônibus, no entanto, como estou com medo de permanecer por aqui, vou pegar qualquer linha para ir ao Terminal e de lá, eu me viro”, disse o artesão Marcelo Ferreira, de 34 anos, morador do Sá Viana. Ele revelou ainda que o medo era tão grande, no momento em que estava no abrigo, que ficou preocupado até com a presença do veículo de reportagem de O Estado. “Quando eu vi o carro de vocês parando aqui perto, pensei logo que fosse outra coisa”, disse.

Na Avenida Getúlio Vargas, no Monte Castelo, em frente à Igreja Nossa Senhora da Conceição, vários usuários relataram ocorrências de assaltos no local. “ Eu já vi pessoas aqui sendo assaltadas. É um local muito perigoso mesmo”, disse a estudante Wendy Cristina, de 23 anos, moradora da Fé em Deus.

Ainda na Avenida Getúlio Vargas, nas proximidades de uma empresa que oferece curso técnico, pessoas que saem das aulas para pegar ônibus no horário relatam insegurança no trecho. “ Aqui eu sei que é perigoso, já vi gente passando pela avenida correndo de assaltante. Essa avenida ficou muito sujeita aos bandidos e piorou com a falta de policiamento”, reclamou o militar Jefferson dos Santos Barbosa.

Na Avenida Beira-Mar, nos abrigos instalados pela Prefeitura de São Luís, os usuários do transporte coletivo também reclamaram da falta de policiamento no trecho. “ É incrível pois a gente fica aqui e em nenhum momento nós conseguimos ver policiais. Às vezes prefiro gastar mais uma passagem para pegar logo um ônibus e sair daqui, do que ficar aqui e ser vítima de assaltos”, disse.

Motoristas – Além do temor dos usuários que esperam por um coletivo nos abrigos, motoristas e passageiros também temem a ocorrência de roubos na parte interna dos veículos. Os motoristas, em especial e em sua maioria preferem não revelar as identidades, afirmam que, em determinadas situações, preferem não parar em específicos pontos de ônibus. “Por exemplo, quando fica mais tarde, por volta das 10h da noite e no fim do turno, a gente só para no Centro e em outros abrigos em que a gente já conhece mais ou menos a pessoa”, disse um motorista da linha Cohatrac/São Francisco. Por coincidência, a linha foi a mesma usada pela jovem Alessandrina Alves, que faleceu no dia 3 deste mês após tentativa de assalto a coletivo na capital maranhense.

Procurada por O Estado, a Polícia Militar do Maranhão (PMMA) informou que tem intensificado, nos últimos dias, as operações de verificação do uso de armas no interior dos coletivos. No entanto, apesar da informação, nos pontos visitados por O Estado, não foi encontrada uma viatura da PM.