Traição

Pai e filho apenas fingiram apoio a Othelino e foram desmascarados ao abrir das urnas…

A infestação de traidores na politica pinheirense tem chegado a números alarmantes, segundo dizem as bombas de profusão de internautas nas redes sociais . Mas será que isso pode influenciar a cabeça e o voto do eleitor ? … Parece que sim…

Os mais, mais traidores, tiveram o seu perfil refletido no pendão da esperança de quem acreditou nada mais nada menos em, o ex-prefeito filuca Mendes e seu filho Deputado não reeleito Victor Mendes, são esses dois super star da politica pinheirense que mais se declararam traidores e os que serão também eternizados por essa alcunha,-traidores,burgueses e golpistas-  (TRAIDORES EM SÉRIE )alcunha configurada no perfil politico da família Mendes.

Como de praxe em todo período de campanha politica sempre temos novidades. Dia a dia os leitores e a sociedade  são surpreendidos com novidades favorável ou contraria, desta feita a novidade não surpreendeu, mas foi repugnante vista da traição de filuca e Cia… que supostamente receberam barrancos de ouro, denominado de fabrica de votos como a exemplo um Hospital Macro Regional-Pho, visto da ligação Deputado Othelino Neto e filuca Mendes, tudo acordado em grande estilo, cordialidade, amizade puxada na ponta do brinco por um simplório fato crédulo de que ali a peneira do garimpo fosse puxada repleta de pepitas enganou até o próprio chefe do acordão, que veio a ser traído, pelas pretensões da exímia dupla, Filuca > Victor Mendes, “traição correligionária desagradável”, e, quando isso ocorre, com certeza virão as ofensas à honra a imagem de cada qual e a reputação rola chão abaixo e passa a ser discursos do dia a dia do traído e dos traidores.

www.jgmoreira.com.br/Jornalista- Registo Nº 0001396-SRTE-MA

Assim descreveu um blog parceiro:

Filuca e Victor Mendes traíram Othelino Neto em Pinheiro

Pai e filho apenas fingiram apoio a Othelino e foram desmascarados ao abrir das urnas…
O resultado nas urnas da cidade de Pinheiro mostram uma disparidade gigantesca em relação ao apoio do ex-prefeito, Filuca Mendes (MDB).
O deputado federal apoiado pelo ex-gestor foi seu filho, Victor Mendes (PSD) que concorria a reeleição mas não logrou êxito.
Victor foi o federal pinheirense mais votado, com 8.921 votos, seguido de André Fufuca – obteve 8.723 votos, candidato do atual prefeito, Luciano.
Já os votos de Filuca para deputado estadual não apareceram. O presidente da Assembléia, deputado Othelino Neto (PCdoB) teve apenas 1.121 votos, ficando em quinto, atrás de Dra. Thaiza – 13.372 votos – e Dr. Leonardo Sá – 11.098 votos e mais dois candidatos.
Uma diferença anormal e inexplicável de votos, que mostra a traição de Filuca e Victor a Othelino…   

Foto: Reprodução

Por Maria Santana, editora do PORTAL DO ZACARIAS – O vídeo que você vai ver tá circulando no WhatsApp. Pelas imagens é possível deduzir que a mulher já sabia da traição e se fingiu de ingênua para dar o flagrante nos dois.

Também é possível deduzir – pelo que se vê – que o “sem-noção” “pegava” a amante no quarto onde morava com a mulher.

O que leva a se deduzir isso é o fato de ela ter a chave do quarto.

Tudo suposição, claro, pois não sabemos o que realmente aconteceu. Alguém aí, sabe?

Veja as imagens:

(espere o vídeo carregar)


Foto: O marido traído, a mulher e o oficial (foto menor): triângulo amaroso quase termina em tragédia

Um triângulo amaroso envolvendo um oficial, uma soldado e o marido dela, também policial militar, quase termina em tragédia, nesta quarta-feira, em Manaus.

 

Dois vídeos que começaram a circular agora à noite no WhatsApp mostram o momento da confusão

 

No primeiro vídeo, o saldado Rafael da Silva Souza aparece puxando a mulher dele pelos cabelos de dentro do carro do tenente Diego Feitosa.

Rafael e a esposa (Foto: Reprodução)

 

A mulher volta rapidamente para o banco dianteiro do carro. Fora de si, o marido fecha a porta do veículo com um chute enquanto xinga a mulher, Lucianne Perrone, chamando-a, entre outras coisas, de vagabunda.

Em seguida, parte para cima do oficial, que segura uma arma de fogo.

 

A “pivô” da confusão

(Foto: Reprodução)

 

“Atira, porra, atira, porra”, grita ele indo para cima do tenente.

 

O segundo vídeo mostra o marido traído esmurrando o tenente, que corre.

 

O amante

O caso foi parar na polícia.

Segundo um policial civil, o flagra se deu perto da casa do casal.

Veja os vídeos:


flavio-dino-olhar-de-odio-e1452202444479-940x540

Comunista alertou para possível futuro arrependimento do ex-governador por ter votado pelo afastamento da presidente

Como era esperado, o governador Flávio Dino (PCdoB) usou as redes sociais para se manifestar sobre a votação da bancada maranhense no processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Com 18 deputados, a bancada deu 10 votos favoráveis ao afastamento da petista.

Um desses votos foi do ex-governador e deputado José Reinaldo Tavares (PSB). Tavares fez questão de pedir desculpas ao governador ao externar seu voto. Ele declarou que não poderia trair sua própria consciência e o que fizeram com ele e com o ex-governador Jackson Lago (PDT). Ele lembrou ainda do estelionato da Refinaria Premium I, em Bacabeira, antes de declarar o voto pelo impeachment de Dilma.

Ainda assim, ao se manifestar sobre o voto do padrinho, Flávio Dino fez questão de prestar homenagem e agradecimento aos parlamentares maranhenses que “votaram contra o golpe, pelo respeito à Constituição e à democracia”, e aproveitou para mandar o recado: “Votar NÃO neste momento exige muito discernimento, respeito à história do Brasil e coragem. E quem age assim, não se arrepende. Avante”, disse.

Vale aguardar do que Zé Reinaldo pode se arrepender por não ter seguido o esperado pelo governador comunista.


Achando-se protegido e inatingível com oito anos de mandato, Roberto Rocha desdenha de aliados

Ainda sobre a repercussão de uma entrevista concedida pelo senador Roberto  Rocha (PSB) aos blogs Marrapá e Clodoaldo Correa, é preciso fazer algumas considerações sobre as declarações e das consequências disso para a política maranhense. Fazendo uma análise rápida do que foi dito ali, percebe-se, claramente, uma arrogância com as palavras quando ele atribui somente a si próprio a definição do futuro político do PSB, como se fosse o dono do partido, faz críticas e pouco caso dos “aliados” Edivaldo Holanda Jr (prefeito de São Luís) e Flávio Dino (governador do Maranhão), chama para si mesmo os méritos pela eleição no ano passado, entre outras coisas.

Roberto Rocha, ao que parece, sente-se, neste momento, como a “própria bala que matou Kenedy”, “o último biscoito do pacote” ou “a última coca-cola do deserto” e até se esquece que se o hoje governador  do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), não tivesse entrado de cabeça na campanha dele, em 2014, teria levado a pior no confronto com o ex-deputado federal Gastão Vieira (PMDB) que chegou a passar-lhe a frente, por diversas vezes, nas pesquisas. No entanto, mostra-se “cuspindo no prato em que comeu”.

Não há como não reconhecer o esforço hercúleo  de Flávio Dino e nem a dedicação do prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PTC), para a eleição de Roberto Rocha. Mas o senador, em suas próprias palavras, não vem reconhecendo isso . Pasmem! Fala até em disputar a Prefeitura de São Luís contra o “aliado” de outrora e quiça concorrer ao próprio governo daqui a quatro anos, já que se sente protegido e inatingível pelos oito anos de mandato que lhe garantem o Senado, contra quem o ajudou em 2014.

Sobre a arrogância de se intitular o próprio dono do PSB, ao declarar, sem papas na língua, que “a decisão sobre as eleições de 2016 será a que ele definir”, o secretário de Ciência e Tecnologia, Bira do Pindaré, pretenso pré-candidato a prefeito de São Luís pelo partido, demonstrou surpresa diante da recente afirmação do senador. O deputado disse desconhecer que a sigla seja comandada por uma só pessoa no Maranhão, em entrevista ao blog do jornalista Jorge Vieira.

Com oito anos de mandato que conquistou com a ajuda desses aliados, Roberto Rocha ou “Racha”, como gostam de chamar alguns, acha-se acima de todos  e agora se uniu ao presidente da Câmara Municipal, vereador Astro de Ogum (PMN), para concorrer com governo do Estado e Prefeitura de São Luís, no aspecto cultural, com o extra-oficial Arraial da Cidade, na Cohama. E assim vem se livrando e se distanciando dos aliados de outrora.

E se agora “cospe no prato em que comeu”, Roberto Rocha se esquece também de trabalhar a Comunicação. E se o faz, tudo fica em Brasília mesmo! Apagado na mídia maranhense, a atuação do senador quase não aparece em jornais, tvs, sites e blogs do Estado. Até agora, o povo do Maranhão espera saber o que um senador, efetivamente, faz ou pode fazer por um Estado.

É, quem te viu, quem te vê, senador!

– See more at: http://silviatereza.com.br/senador-quem-te-viu-quem-te-ve/


%d blogueiros gostam disto: