Câncer de boca afeta 30 mil pessoas anualmente nos EUA (Foto: Julia Freeman-Woolpert / stock.xchng)

Câncer de boca afetou mais de 15 mil pessoas: 

Dados mundiais são de revisão de estudos feita por médica brasileira.
Infecção por HPV aumenta risco de câncer de boca.

Mariana LenharoDo G1, em São Paulo

O perfil dos pacientes com câncer de boca mudou nos últimos anos. A doença, que antes tinha uma incidência maior entre homens mais velhos, principalmente por causa do consumo de álcool e cigarro, agora está acometendo homens mais jovens, com idade entre 30 e 44 anos. Entre as mulheres, a doença também tem aumentado, especialmente nessa faixa etária.

O motivo, segundo especialistas, é a maior exposição ao sexo oral sem proteção. O vírus HPV, transmitido por contato sexual, aumenta o risco da doença.

A conclusão foi de uma revisão de estudos coordenada pela médica epidemiologista Maria Paula Curado, do A.C.Camargo Cancer Center. A revisão incluiu dados de estudos feitos em vários países.

Ela explica que, embora a população mundial esteja envelhecendo – e o câncer de boca seja uma doença associada a pessoas com mais de 50 anos – existe uma tendência de aumento da doença em pessoas mais jovens.

A incidência entre homens de 30 a 44 anos aumentou de 4 para 10 casos a cada 100 mil na comparação entre as décadas de 1991 a 2000 e de 2001 a 2010, segundo a revisão. Entre as mulheres de 30 a 44 anos, a incidência subiu de 2 para 5 casos a cada 100 mil no mesmo período. Maria Paula apresentou o trabalho no Congresso Mundial da Academia Internacional de Câncer Oral (IAOO), em São Paulo, nesta quinta-feira (9).

Sexo oral desprotegido
Segundo a pesquisadora, muitos casos de câncer de boca têm três causas possíveis de se prevenir: consumo de álcool, cigarro e infecção pelo vírus HPV. “A maioria dos tumores de boca estão relacionados a hábitos de vida de risco. A estratégia de prevenção é modificar isso.”

Maria Paula observa que, muitas vezes, as pessoas esquecem que é preciso se proteger também no sexo oral usando preservativo, seja na versão masculina ou feminina. “O sexo oral, se é feito sem cuidado, pode resultar em uma infecção por HPV, que aumenta os riscos do câncer”, diz.

Câncer perigoso
O câncer de boca pode ser perigoso e, dependendo da fase em que é diagnosticado, a chance de sobreviver pode ser de 50%. Os primeiros sintomas muitas vezes passam despercebidos, pois se parecem com uma afta. “Por isso é muito importante fazer exame clínico na cavidade oral. Um clínico geral ou um dentista podem identificar esses sinais ao examinarem a boca.”

Segundo estimativa do Instituto Nacional de Câncer (Inca), eram esperados 4.010 casos de câncer na cavidade oral entre mulheres em 2014 e 11.280 casos entre homens.


Menor que sobreviveu ao espancamento no Maranhão mostra os ferimentos
Menor que sobreviveu ao espancamento no Maranhão mostra os ferimentos Foto: Marcelo Theobald / Extra
Luã Marinatto

Cinco dias após as agressões sofridas no bairro Jardim São Cristóvão, em São Luís, no Maranhão, o adolescente de 17 anos que sobreviveu à sessão de espancamento ainda traz nos corpo as marcas da violência. O menor tem escoriações no rosto, nos dois braços e nas pernas, além de uma lesão no ombro e um dente trincado.

Menor que sobreviveu ao espancamento no Maranhão mostra os ferimentos
Menor que sobreviveu ao espancamento no Maranhão mostra os ferimentos Foto: Marcelo Theobald / Extra

Neste sábado, a família do jovem recebeu a equipe do EXTRA em sua casa, no mesmo bairro onde ocorreu o linchamento. O adolescente acompanhava, na última segunda-feira, Cleidenilson Pereira da Silva, de 29 anos, numa suposta tentativa de assalto a um bar. Cleidenilson acabou amarrado a um poste e morreu com socos e golpes com uma garrafa de cerveja. O menor fingiu estar desacordado e se salvou.

Ao EXTRA, ele contou que um vizinho estava no grupo que acompanhava as agressões:

— Ele me reconheceu e começou a falar para as pessoas pararem. Se não fosse por isso, poderia ter sido pior.

Menor que sobreviveu ao espancamento no Maranhão mostra os ferimentos
Menor que sobreviveu ao espancamento no Maranhão mostra os ferimentos Foto: Marcelo Theobald / Extra

Desde o ocorrido, o menor só tem saído de casa para prestar depoimento. Com medo, a família pensa em tirá-lo de casa por um período.

No momento da agressão, ele diz não ter pensando em nada:

– Vou pensar o que numa hora dessas? Tive muito medo de morrer, mas não dá tempo de pensar em nada.

Menor que sobreviveu ao espancamento no Maranhão ao lado da mãe
Menor que sobreviveu ao espancamento no Maranhão ao lado da mãe Foto: Marcelo Theobald / Extra

O adolescente deixou a escola no fim do ano passado, quando cursava a quinta série, expulso depois de “uma guerra de jambo” — alunos de duas turmas se enfrentaram no pátio, atirando frutas uns contra os outros. Passado o susto da morte, ele não titubeia ao dizer os planos para o futuro:

– Vou voltar a estudar. Com certeza.


 

Cledenilson da Silva, 29, foi despido, amarrado e linchado em São Luís (Foto: Biné Morais / O Estado)

10/07/2015 15h25 – Atualizado em 10/07/2015 17h03, Reeditado www.jgmoreira.com.br ás 21:17 hs

‘Não deu tempo nem de ele me contar’, diz Maria Gonçalves, de 51 anos.
Pais de Cledenilson da Silva, 29, falaram com o G1 nesta sexta-feira (10).

João Ricardo Barbosa e Clarissa CarramiloDo G1 MA

Cledenilson da Silva, 29, foi despido, amarrado e linchado em São Luís (Foto: Biné Morais / O Estado)

A história de Cledenilson Pereira da Silva, de 29 anos, linchado após tentar assaltar um bar em São Luís, mostra que a vítima era pobre, usuário de drogas, desempregado, não possuía passagens pela polícia e provavelmente seria pai no fim deste ano. O perfil, semelhante ao de muitos brasileiros, foi revelado pela mãe adotiva Maria José Gonçalves, de 51 anos, entrevistada pelo G1 nesta sexta-feira (10).

As pessoas que fizeram isso com ele, se não forem presas, não estarão desafiando a mim, mas sim à polícia, pois matar como mataram e não serem punidos não pode”
Maria José, 51, mãe da vítima

“No velório, vi uma menina chorando bastante e perguntei quem era. Era a namorada dele. Foi aí que fiquei sabendo que ela está grávida de três meses do meu filho”, declarou emocionada a mãe.

Nesta manhã, Maria José e o pai Antônio Pereira da Silva, 53, foram à Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) para prestar depoimento sobre o caso. Segundo eles, dias antes de morrer, o filho, que só tinha estudado até a 8ª série, havia comentado sobre concluir os estudos para iniciar um curso profissionalizante. Comentou ainda que tinha interesse em alugar uma casa para morar com uma namorada.

“Teve um dia que ele chegou muito feliz em casa e eu sem entender nada. Só me falou dos planos que tinha. Não deu tempo nem de ele me contar a novidade [que seria pai]”, lamentou.

Mãe de cinco filhos, Maria José disse que apenas Cledenilson não era biológico, o que não passava de um detalhe na família que mora no João de Deus, próximo ao Jardim São Cristóvão, onde tudo aconteceu – bairro considerado o 6º bairro mais violento da Região Metropolitana, segundo o Centro de Apoio Operacional do Controle Externo da Atividade Policial do Ministério Público do Maranhão.

“Todos eram tratados de forma igual e se davam muito bem. Lá em casa, ele morava comigo, meu marido (pai biológico) e mais um irmão (26 anos). Veio morar comigo quando tinha 13 anos quando conheci o pai dele. O Cledenilson nunca conheceu a mãe biológica, mas isso nunca foi problema, pois ele sempre dizia que a mãe verdadeira dele era eu”, contou.

Maria José Gonçalves, 51, mãe de Cledenilson, linchado no MA (Foto: João Ricardo Barbosa / G1)Maria José Gonçalves, 51, mãe de Cledenilson,
linchado no MA (Foto: João Ricardo Barbosa / G1)

Ficha limpa
A mãe desconhece o envolvimento do filho em roubos anteriores, mas confirma que ele era usuário de drogas desde os 16 anos. Cledenilson trabalhava em oficinas mecânicas, mas ultimamente estava fora do mercado de trabalho. Ao G1, o delegado Claudio Barros afirmou que a vítima não possuía passagens pela polícia.

“Ele não chegava com nada roubado em casa e nem roubava nada de casa. Ele era calmo. Sabia que ele fumava, mas ele chegava em casa e ia dormir. Comigo, com o pai e com os irmãos ele sempre foi tranquilo. Garanto como ele era em casa, mas infelizmente não sei como era na rua com as companhias”, disse.

Ela não acredita que a arma de fogo estava com o filho e também diz que não conhecer o adolescente de 16 anos que o acompanhava na tentativa de assalto. A mãe chegou a ir à rua onde tudo aconteceu, viu o poste no qual o filho foi amarrado e desabafou quanto ao crime.

“Não acreditei que fizeram isso com ele ali. Tantas casas e lojas e ninguém fez nada para evitar. Quem fez isso com meu filho deve pagar. Se ele realmente tentou roubar ou até mesmo se ele tivesse matado alguém, nem assim deveriam fazer o que fizeram, pois a Justiça existe para isso. Deveriam segurá-lo e entregar para à polícia. As pessoas que fizeram isso com ele, se não forem presas, não estarão desafiando a mim, mas sim à polícia, pois matar como mataram e não serem punidos, não pode”, pediu.

Suspeito de tentar assaltar bar é linchado no Jd. São Cristóvão, em São Luís (Foto: Biné Morais / O Estado)Local do crime, Jd. São Cristóvão, em São Luís
(Foto: Biné Morais / O Estado)

Rotina violenta
Maria José conta que, no Natal de 2012, o filho se envolveu em uma briga por ter negado um cigarro a um vizinho. Na oportunidade, ele sofreu um corte profundo de faca no pescoço. Ela já perdeu outro filho, morto a tiros no João de Deus após tentar apartar uma briga. Outras duas filhas casaram – uma mora em São Luís e a outra está no Rio de Janeiro.

O irmão de Cledenilson que ainda mora com os pais também tem envolvimento com drogas. Segundo a mãe, ele está muito angustiado. “Meu sofrimento é maior, pois tenho que me acalmar e fazer o meu outro filho não ficar mais furioso ainda. Eles eram muito unidos. Faziam quase tudo juntos”, revela.

Maria Gonçalves trabalhava em um restaurante em Arari, no interior do Maranhão. Ela passava 15 dias longe de casa e monitorava os filhos por ligações telefônicas. Depois da morte do filho, ela diz não ter mais vontade nem de trabalhar e, por isso, não retornou ao emprego. O pai é funcionário em uma empresa em São Luís e tenta seguir a rotina. A renda mensal na casa gira em torno de R$ 1.300,00.

Autores identificados
Segundo o delegado Cláudio Barros, as investigações estão avançadas. Ele informou nesta sexta que a polícia deve indiciar entre quatro e cinco pessoas como executores do linchamento e garantiu que todos os que tiveram participação direta ou indireta, incitando o crime, responderão na medida dos atos praticados.

Além dos pais e do adolescente apreendido, a Polícia Civil já ouviu alguns suspeitos e testemunhas. O prazo para concluir as investigações é de 30 dias, mas o delegado acredita que o inquérito será concluído antes disso.

O bar que foi alvo da tentativa de assalto continua fechado.


lcmdivulgação.com.br

O deputado estadual Othelino Neto convidou o médico e vereador Leonardo Sá a se filiar no PCdoB. Pré-candidato a prefeito de Pinheiro, Sá deve ser o candidato apoiado por Flávio Dino para a disputa com o atual prefeito Filuca Mendes, afilhado de José Sarney.

“Há pouco convidei o médico Leonardo Sá para disputar a prefeitura de Pinheiro pelo PCdoB. Lá também vamos derrotar coronéis. De hoje e de ontem”, disse Othelino, em sua página no twitter.

Na avaliação do deputado, os dois projetos que estão postos, em Pinheiro, representam continuidade do que é ruim ou a volta do que foi experimentado e desaprovado. Othelino Neto se refere ao grupo liderado pelo prefeito Filuca Mendes e o grupo do ex-prefeito José Genésio e Luciano Genésio. “Por isso, trilhamos por um caminho diferente, que de fato aponta para a mudança de verdade, com alternância de poder, tal qual fizemos em 2014″, arrematou.

Pesquisa

Pesquisa realizada pelo instituto Exata em Pinheiro que entrevistou 503 pessoas entre os dias 02 a 05 de junho deste ano, aponta crescente e menor índice de rejeição do pré-candidato a prefeito de Pinheiro, Leonardo Sá.

A pesquisa Exata de Opinião Pública avaliou o atual prefeito da cidade, Filuca Mendes com 39% de rejeição, seguido do ex-prefeito Zé Arlindo com 24% e Luciano Genésio, filho do ex-prefeito Zé Genésio com 10% de rejeição, confirmando assim, Leonardo Sá com maior aceitação do eleitorado pinheirense com apenas 7% de rejeição.

Na pesquisa é confirmado o sentimento de mudança, e aponta Leonardo Sá derrotando o atual prefeito Filuca Mendes, numa disputa entre os dois candidatos.

Outro índice favorável a Leonardo, que apontou a Exata, é que em todos os cenários, o pré-candidato a prefeito se manteve sempre acima de 22%, aparecendo com 33% e até 48% vencendo as eleições.


10/07/2015 17h00 – Atualizado em 10/07/2015 17h00

Eles trabalham no ramo de venda de veículos em São Luís.
Prisão aconteceu na manhã desta sexta-feira (10).

Do G1 MA

Francisco Orlandir Batista Brito e Luís Armando Silveira de Lemos foram presos em Santa Inês, MA (Foto: Divulgação/PRF)Francisco Orlandir Batista Brito e Luís Armando Silveira de Lemos foram presos em Santa Inês, MA (Foto: Divulgação/PRF)

Dois empresários identificados como Francisco Orlandir Batista Brito, 46 anos, e Luís Armando Silveira de Lemos, 44, foram presos na manhã desta sexta-feira (10), por uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Santa Inês, a 250 km de São Luís.

Segundo informações da PRF, os empresários, que são donos de uma revendedora na Avenida dos Africanos, na capital, estavam tentando retirar, por meio de uma procuração, uma caminhonete retida há duas semanas por licenciamento atrasado.

Desconfiados da autenticidade da procuração, os policiais decidiram averiguar com o cartório emissor do documento, quando foi confirmada que a procuração apresentada por Francisco e Luís era falsa.

Além disso, os policiais também encontraram com eles outra procuração e mais uma quantia superior a trinta mil reais em cheques. Em depoimento, eles afirmaram que receberam a procuração de outra pessoa, que também é do ramo de venda de veículos usados.

Francisco Orlandir Batista Brito e Luís Armando Silveira de Lemos foram encaminhados para Delegacia de Polícia Civil de Santa Inês, onde ficarão à disposição da Justiça.


HELDE ARAGÃO – Atualizado em 10/07/2015 00 hs 06

Helder Aragão é acusado de praticar fraudes em licitações e contratos.
Esquema envolve secretários, funcionários, empresários e laranjas.

Do G1 Ma

A Promotoria de Justiça de Anajatuba (MA) ajuizou ação civil pública por ato de improbidade administrativa pedindo o afastamento liminar e a perda do cargo contra o prefeito Helder Aragão (PMDB), acusado de desviar R$ 13.914,048,02 dos cofres públicos por meio de fraudes em licitações e contratos. As irregularidades foram tema do quadro “Cadê o dinheiro que tava aqui?”, do Fantástico. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (9) pela assessoria do Ministério Público do Maranhão.

Segundo o promotor de Justiça Carlos Augusto Soares, as investigações apontam fraudes em contratos e licitações firmados entre a Prefeitura de Anajatuba e as empresas de fachada “A-4”, “Vieira & Bezerra”, “Construtora Construir” e “M A Silva Ribeiro”, de propriedade de Fabiano de Carvalho Bezerra e Antonio José Fernando Júnior Batista Vieira.

A ação ajuizada no dia 3 de julho pede o afastamento do prefeito, a perda do cargo, perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, o ressarcimento integral do dano, a suspensão dos direitos políticos de oito a dez anos, pagamento de multa civil de até três vezes o valor do acréscimo patrimonial e a proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de até dez anos.

Também são acusados de envolvimento os secretários municipais Edinilson dos Santos Dutra (Administração e Finanças), Álida Maria Mendes Santos Sousa (Educação), Leonardo Mendes Aragão (Assistência Social), Luís Fernando Costa Aragão (Saúde); os membros da Comissão Permanente de Licitação (CPL) João Costa Filho, Georgiana Ribeiro Machado e Francisco Marcone Freire Machado e o ex-controlador-geral Francisco Diony Soares da Silva e o ex-procurador-geral Antonio Carlos Muniz Cantanhede.

Completam a lista de envolvidos os vereadores Marcelo Santos Bogea e Domingos Albino Beserra Sampaio; os empresários de fachada, Antonio José Fernando Júnior Batista Vieira e Fabiano de Carvalho Bezerra; os financiadores do esquema criminoso, Antonio Carlos Braide e Hilton José Paiva os Reis, os “sócios-laranjas” e operadores do esquema Glauco Mesquita de Oliveira, José Antonio Machado de Brito Filho, Anilson Araújo Rodrigues, Ginaldo Marques da Silva, Franklin Bey Freitas Ferreira, Marcelo Alexandre Silva Ribeiro, José de Ribamar Costa Moura, Matilde Sodré Coqueiro, Natascha Alves Lesch, Diego Fabrício Silva Barbosa e Maina Maciel Mendonça.

Esquema
Segundo o promotor de Justiça Carlos Augusto Soares, titular da Promotoria de Anajatuba, as ações são baseadas em investigações realizadas em conjunto com a Polícia Federal, Controladoria Geral da União, Tribunal de Contas da União.

“Foi uma investigação aprofundada, extensa e bem coordenada, na qual foram realizadas quebras de sigilo fiscal, telefônico e bancário dos investigados, com autorização judicial, mecanismos esses que permitiram a constatação inequívoca do envolvimento de todos os requeridos nos ilícitos apontados”, revela o promotor.

Para Soares, a participação de todos os envolvidos no esquema criminoso é irrefutável. “Eles são responsáveis pela assinatura de contratos, oriundos de fraudes em licitações ou dispensas e inexigibilidades ilegais, na importância de R$ 13.914,048,02, contratos esses firmados entre a Prefeitura de Anajatuba e as empresas de fachada A-4, Vieira & Bezerra, Construtora Construir e M A Silva Ribeiro”, relata.


Criança havia sido dada como morta pela equipe médica de hospital.
Apesar do longo tempo sem oxigenação a bebê passa bem.

Joyce MackayDo G1 MA

“Não tem explicação. O bebê estava sem pulso desde às 8h da manhã, chegamos lá por volta das 14h então era inviável que tivesse vida ainda. Ela nasceu morta e sem nenhuma explicação começou a respirar”, relatou o médico Rafael Machado, que participou de um salvamento inusitado nesta quarta-feira (8), na cidade de Santo Amaro, a 237 km de São Luís.

Bebê nasce durante voo de helicóptero do GTA (Foto: Divulgação)Bebê nasce durante voo de helicóptero do GTA
(Foto: Divulgação)

O Grupo Tático Aéreo do Maranhão (GTA) foi acionado pela equipe do Hospital Municipal Monsenhor Amaro por volta das 12h da quarta-feira após ser constatada a ausência de sinais vitais do bebê que estava no canal de parto da mãe. “Eles disseram que eu não estava nada bem e que minha filha estava morta. Então pediram o helicóptero”, contou a mãe Maria da Conceição Souza, de 36 anos.

A equipe de salvamento chegou ao local para tentar salvar a vida da mãe, mas foi durante o voo entre Santo Amaro e São Luís que o inesperado aconteceu. A dez minutos de chegar no destino final, Maria da Conceição começou a sentir novamente contrações. “Ela virou para mim e disse estou expulsando. A criança nasceu às 15h40 sem sinais vitais. Eu chequei pulso, coraçãozinho e não tinha nada. De repente por um milagre divino ela começou a respirar e dar sinais de vida”, disse o médico.

Ela não tinha pulso. De repente por um milagre divino ela começou a respirar e dar sinaPara o piloto, Capitão Onildo Sampaio, esse voo foi o mais marcante da sua vida profissional. “Este foi meu voo mais emocionante. Comprova que a vida é realmente a confirmação de um ato de Deus”, disse.

Apesar do longo tempo sem oxigenação a bebê Vitória passa bem e não teve nenhuma sequela. O nome foi sugerido pelo médico que registrou o fato como um verdadeiro milagre. “Foi muito emocionante. Eu sugeri Vitória porque realmente foi uma vitória”, disse Rafael Machado.

Maria da Conceição Souza já é mãe de outras três meninas e um menino. Agora ela comemora a vitória ao lado da sua caçula. “Foi um milagre! Só Deus e essa equipe para me salvar. Hoje eu estou aqui com a minha filha”, disse a mãe.

Equipe do GTA, mãe e bebê resgatado do Maranhão (Foto: Joyce Mackay / G1)

 


NOVO OTHELINO  Othelino disse que todo esse impasse está acontecendo, graças ao governo anterior que deixou várias heranças malditas que agora estão sendo corrigidas

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) reiterou, na sessão desta quinta-feira (09), a disposição do governo Flávio Dino (PCdoB) em negociar a questão dos índios. Ele informou sobre uma reunião, que acontecerá nesta sexta-feira (10), com a participação de representantes do Governo, do Ministério Público Federal e da Fundação Nacional dos Índios (Funai) para tratar do assunto.

“Para o governo passado não se sentir seguro em fazer repasses com a permissividade que era a marca da gestão anterior, no que diz respeito a pagamentos suspeitos, era porque realmente algum problema havia”, disse Othelino.

Segundo o deputado, diante de diversas irregularidades encontradas na formalização dos processos, vai ser necessário um termo de ajustamento para que o Governo não seja responsabilizado por pagamentos irregulares, que não tiveram cumpridos todos os trâmites legais.

O deputado voltou a esclarecer que as dificuldades nesses pagamentos, no real cumprimento dos pré-requisitos legais para que eles fossem feitos, não se iniciaram na atual gestão, mas na administração Roseana Sarney. Ele reiterou que, em nenhum momento, o Governo Flávio Dino deixou de negociar.

“Enfatizo a disposição do Governo, em não só continuar a negociação, como tentar resolver dentro do que permite a legislação e os princípios da boa aplicação dos recursos públicos, sanar as pendências quanto à educação, em específico a pauta principal da reivindicação que é a questão do pagamento do transporte escolar”, disse Othelino.

O deputado criticou a oposição por tentar passar a ideia de que o Governo seria insensível e não estaria disposto a negociar. “Foram horas e horas de conversas, tanto que já houve dois pagamentos referentes às pendências de 2013 e 2014 de dívidas deixadas pelo governo Roseana Sarney”, comentou.

Reuniões discutem a questão

O deputado disse que o Governo não vai deixar passar como verdades as mentiras repetidas com o único objetivo de tentar desqualificar o governo que, de fato, propõe-se a fazer mudanças. “A única coisa que aconteceu nessas negociações foi muita conversa em um nível republicano. E é por ser zeloso, por ter cuidado com o patrimônio público e querer preservar a legislação e só fazer pagamentos que, de fato, tenham cumprido todos os procedimentos legais, que essas discussões estão acontecendo”, frisou.

Othelino afirmou que todo esse impasse está acontecendo, graças ao governo anterior que deixou várias “heranças malditas” que agora estão sendo corrigidas. Segundo o deputado, construir e reconstruir um Estado deixado como terra arrasada, não é uma missão fácil. Para ele, o Governo é feito de homens e mulheres que não são mágicos, que não têm a capacidade de resolver e de desfazer estragos históricos da noite para o dia.

“Tenho certeza que, apesar da crise de abstinência do grupo Sarney, da má vontade da oposição e do medo de que os privilégios continuem acabando, esse Governo está dando certo e mudará o Maranhão, mesmo com a gritaria rouca e despropositada da oposição”, afirmou.


ANDRE VIEm Sã Bento-Ma distante de Pinheiro 42 km  de Pinheiro, chega a este Blog a confirmação do assassinato de André Nascimento Castro Neto (26 anos), mais conhecido como “DEDECO” residente no Bairro São Benedito, naquele município, que por volta das 03 hs da manhã desta quinta feira (09/07), foi abordado por (02) dois desconhecidos que pilotavam uma moto Honda.

OANDRE Vs indivíduos   portavam armas  branca do tipo “FACÃO”  e passaram a desferir na vitima  vários golpes e perfurações por todo o corpo ocasionando  sua morte .

Informações dão conta que  o assassinato de “DEDECO” ocorreu pelo chamado acerto de contas, já que o mesmo era suspeito de vários delitos na região, e isto pode ter sido a verdadeira motivação do crime.

A  Policia de São Bento investiga o caso


Com a chegada da equipe de reportagem, os agressores se dispersaram.
É o segundo caso registrado na Região Metropolitana em menos de 24h.

Do G1 MA

Uma equipe de reportagem da TV Mirante presenciou na manhã desta quinta-feira (9), na rodovia MA-201, conhecida como Estrada de Ribamar, a tentativa de linchamento a um suspeito por assalto. O suspeito foi identificado como Darlan dos Santos, 20 anos.

De acordo com informações obtidas pelo repórter Douglas Pinto, ele estaria tentando assaltar uma jovem dentro de um ônibus, quando começaram as agressões. Com a chegada da equipe de reportagem, os agressores se dispersaram. O pai do suspeito, que assistiu, ao vivo, as imagens, foi para o local na tentativa de resgatar a vítima.

É o segundo caso de tentativa de linchamento registrado na Região Metropolitana de São Luís em menos de 24h: nessa quarta-feira (8), o suspeito, identificado como Alisson Bruno da Costa, 19 anos, tentou roubar uma moto, mas foi pego pela população que chegou a iniciar o espancamento, mas a polícia conseguiu impedir.

Linchamento
No início da semana, um homem foi amarrado nu a um poste e linchado no bairro do São Cristóvão, em São Luís: Cledenilson Pereira da Silva, de 29 anos, foi morto após tentar roubar um bar na companhia de um adolescente de 16 anos. A Delegacia de Homicídios abriu um inquérito na terça-feira (7) para identificar os responsáveis pela morte de Cledenilson.

Os dois foram amarrados com uma corda. Cledenilson foi amarrado a um poste, completamente despido e agredido até a morte por populares. O adolescente foi apreendido e encaminhado para a Delegacia do Menor Infrator (DAI), na capital maranhense.